terça-feira, 5 de julho de 2011

Ana Paula Oliveira – A dama do futebol


A ex-árbitra Ana Paula Oliveira, famosa por sua beleza e por posar nua para uma revista masculina, quer voltar a bandeirar em 2012 no Brasil, onde é celebridade.
A apelidam de “dama do futebol” e reafirma plenamente com uma personalidade que se impõe e remete ao futebol. Veste uma minisaia rosa, camisa brance e porta com garbo sua principal ferramenta de trabalho: o apito.
Conversamos com a árbitra assistente brasileira Ana Paula Oliveira, famosa por seu trabalho nos campos de futebol e porque em 2007 causou grande alvoroço e polêmica quando decidiu posar nua para uma revista masculina.
Desde os 14 anos já dirigia partidas amadoras, inspirada por seu pai, que foi árbitro, e pouco a pouco forjou uma carreira na arbitragem até chegar a ser profissional de ponta.
Participou dos Jogos Olimpicos de Atenas em 2004 e é a única árbitra mulher que esteve em um duelo da Copa Libertadores da Américas, ainda que as polêmicas a tenham perseguido por suas decisões em campo e fora dele. Há dois anos fora da arbitragem, as fotos lhe trouxeram benefício econômico, mas nem tanto em sua carreira esportiva.
“Foi uma decisão pessoal porque minha família não tinha dinheiro, sou a mais velha de três irmãos e não tínhamos condições, meus pais estavam com problemas de saúde e tomei a decisão de posar nua porque o dinheiro podia dar uma condição digna à minha família, comprar uma casa…”
“Como profissional a revista ajudou muito. Tive muitos prejuízos, não sei porque. Depois de três anos está tudo mais tranquilo, tenho a possibilidade de voltar (na arbitragem)”, revela Ana Paula.
Sua beleza não passa despercebida pelos curiosos que se aproximam, interrompem a entrevista e pedem autógrafo e fotos. Aos 33 anos, acredita que voltará à arbitragem em 2012.
“Existem boas perspectivas, é muito importante o trabalho que tenho que realizar na preparação física, porque agora as mulheres tem que fazer o mesmo teste físico que os homens, por isso vou trabalhar para voltar este ano ou em 2012, ano olímpico, de novas possibilidades.”
“Minha notoriedade no Brasil e no mundo levou muitas garotas a procurar esta nova profissão. Penso que o saldo é muito positivo, muitas mulheres no Brasil são árbitras por minha causa”, se orgulha.
Oliveira sorri fácil, simpática, principalmente quando se faz referência à sua beleza, que agradece com certa timidez. Perguntada se algum jogador já a convidou para sair, responde.
“Somente uma vez, mas não direi quem é (risos). Foi no Campeonato Brasileiro. Mas não direi a equipe nem o jogador nem nada. Não aceitei porque sou muito profissional”, conclui a também analista de arbitragem na tevê brasileira.

Fonte: RefNews
Escrito em Português do Brasil

Sem comentários: