sábado, 3 de dezembro de 2016

Egipto: Árbitro ajuda a marca golo!

Aconteceu esta semana no campeonato Egípcio. No jogo Enppi contra Aswan um jogador do Enppi faz um remate à baliza e o árbitro, que estava onde nunca poderia estar, ajudou a que a bola entrasse depois desta ressaltar no seu pé.

Veja o vídeo:

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

NBA: afinal, o vídeo-árbitro é capaz de não resolver tudo

Liga Norte-americana de Basquetebol (NBA) negou um protesto dos Denver Nuggets por uma má avaliação do vídeo-árbitro no jogo Memphis - Grizzlies.
No final desse encontro, disputado a 8 de novembro e que os Grizzlies venceram por 108-107, os Nuggets alegaram que foi atribuída incorretamente uma posse de bola à formação de Memphis quando faltavam 0,7 segundos para o final do encontro, o que impediu a equipa de Denver lançar um ataque que poderia determinar um resultado diferente.
Nesse lance, a equipa de arbitragem entendeu que a bola tinha sido tocada por Emmanuel Mudiay, dos Nuggets, antes de sair para fora, uma decisão validada pelo vídeo-árbitro, que tomou a decisão depois de visionar as imagens de duas câmaras.
No entanto, e finalizado o encontro, uma terceira câmara mostrou que Mudiay não tocou na bola antes dela sair do terreno e a posse de bola deveria ter sido atribuída aos Nuggets. Os responsáveis da NBA consideraram que se tratou de um erro de arbitragem e não uma aplicação errada das regras, pelo que decidiu negar o protesto dos Nuggets.
Os responsáveis da NBA admitiram, porém, reavaliar a metodologia do recurso às imagens para reduzir as hipóteses de ocorrerem situações semelhantes.
Fonte: O Jogo

Howard Webb: "Jogadores pediam cartão amarelo para terem folgas no Natal"

Antigo árbitro inglês revelou que futebolistas pediam para serem suspensos.

O inglês Howard Webb, conhecido por ter arbitrado jogos da Premier League entre 2003 e 2014, revelou que por vezes os jogadores pediam que lhes mostrasse o cartão amarelo para serem suspensos durante o natal.

"Aconteceu algumas vezes durante a época de Natal na Premier League. Os jogadores querem algum tempo livre e dizem 'um cartão amarelo podia ajudar-me', disse Webb, num programa da BT Sport. "Não é algo que os fãs queiram ouvir", acrescentou o ex-árbitro.

Os futebolistas ingleses com jogos marcados para dezembro e janeiro muitas vezes têm de sacrificar as grandes celebrações natalícias, especialmente os que jogam no feriado do Boxing Day, a 26 de dezembro. Para se safarem, os jogadores pediam para serem suspensos, visto que as normas do futebol inglês dizem que um jogador que receba cinco cartões amarelos é obrigado a cumprir um jogo de suspensão, segundo o Mirror.

Muitos jogos estão marcados para o mês de dezembro na Inglaterra e só para o Boxing Day estão agendadas oito partidas, segundo a SkySports. Entre dia 27 de dezembro e 2 de janeiro, vão acontecer 18 jogos da Premier League.

Fonte: DN

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Presidente da FIFA sugere que jogadores usem GPS para detetar foras-de-jogo

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, falou sobre a presença da tecnologia no mundo do futebol, numa entrevista concedida ao "Le Parisien".
E se a partir de agora todos os futebolistas usassem um sistema GPS para determinar quando estão em situação irregular? A ideia foi lançada por Gianni Infantino, presidente da FIFA, numa entrevista ao "Le Parisien", que levantou o véu quanto a uma alternativa para terminar com decisões polémicas nos foras-de-jogo.
"Hoje há sistemas de GPS extremamente sofisticados. Poderia ajudar. Também poderíamos aplicar o fora-de-jogo apenas a partir dos 16 metros. Na FIFA trabalho com duas lendas como Van Basten e Boban que têm muitas ideias", afirmou Infantino, que adiantou ainda que espera introduzir a tecnologia de vídeo no Mundial 2018.
"Vamos multiplicar [os testes] durante o período de dois anos e decidir em março de 2018. Espero que tenhamos o vídeo a tempo para o Mundial [2018]", acrescentou.
Fonte: Sapo Desporto

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Árbitros de Sporting, Porto e Benfica na Liga dos Campeões

A UEFA nomeou o escocês William Collum para arbitrar o jogo de hoje entre o Sporting e o Real Madrid, da quinta jornada do grupo F da Liga dos Campeões de futebol. Williams Collum, internacional desde 2006, dirigirá o quarto jogo da presente edição da ‘Champions’, arbitrando um encontro de equipas portuguesas nas competições europeias pela quarta vez.
Para a visita do FC Porto ao FC Copenhaga, da ronda 5 do grupo G, a UEFA indicou o árbitro sérvio Milorad Mažić. Com as insígnias da FIFA desde 2009, também dirigirá o quarto jogo da Liga dos Campeões desta temporada, tendo sido ele o árbitro do encontro entre Benfica e Besiktas, da primeira jornada do grupo B, que terminou empatado 1-1. No total, será o terceiro jogo de equipas portuguesas nas competições europeias dirigido por Milorad Mažić, que também arbitrou em 2014 o encontro entre a Alemanha e Portugal (4-0) na fase de grupos do último Campeonato do Mundo, no Brasil.
O árbitro esloveno Damir Skomina vai dirigir a visita do Benfica ao Besiktas, em encontro da quinta jornada do Grupo A da Liga dos Campeões de futebol, anunciou hoje a UEFA. Na partida de quarta-feira, Skomina vai ter os compatriotas Jure Praprotnik e Robert Vukan como assistentes e Matej Jug e Slavko Vincic como assistentes adicionais, enquanto Bojan Ul será o quarto árbitro. Skomina, de 40 anos, esteve no último Europeu e vai dirigir pela segunda vez uma equipa portuguesa esta temporada, depois de ter estado na derrota caseira do Sporting frente ao Borussia Dortmund (2-1), igualmente na ‘Champions’. O esloveno já arbitrou cinco vezes jogos do Benfica, o último dos quais nos oitavos de final da Liga Europa de 2013/14, no empate em casa do Benfica com o Tottenham (2-2). Na mesma época, Skomina já tinha dirigido a derrota ‘encarnada’ em casa do Olympiacos (1-0), na Liga dos Campeões. Em 2011/12, o esloveno esteve em dois encontros do Benfica na ‘Champions’, frente ao Manchester United (1-1), na fase de grupos, e ao Chelsea (0-1), nos quartos de final. Apenas por uma vez o Benfica venceu encontros arbitrados por Skomina, tendo os ‘encarnados’, na primeira vez que encontraram Skomina, vencido em casa do Marselha (2-1), na Liga Europa.
Fonte: Sapo Desporto

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Opinião: O bichinho da arbitragem

por Adriana Correia (ex-árbitra)

Para quem não me conhece, fui árbitra de futebol durante 11 anos. Tirei o curso com 14 anos e até 2014 exerci esta função (com algumas lesões pelo meio).
É uma atividade/hobbie muito polémico, com muitos poucos fãs e apoiantes.
Aqui vai o que vos posso dizer por experiência própria: tudo o que sou hoje devo-o em grande parte à arbitragem!
Para além da minha (excelente) educação por parte dos meus pais, grande parte da minha responsabilidade, atitude e postura ganhei com a arbitragem.
Podem pensar: "ah que parvoíce, mas os árbitros não fazem nada, isso é ridículo". 
Não é!
A arbitragem consiste sobretudo em gerir pessoas. Em lidarmos com elas. Em poder exercer poderes com contenção. Em usarmos o bom senso.
Não são estas características essenciais para a nossa sociedade? Na minha opinião, são!
Sobre esta (grande) parte da minha vida ainda muito tenho para contar. Mas não tenho dúvidas (e quem é árbitro tem essa noção) de que a arbitragem (seja de que desporto for) é uma excelente base de formação escolar.... Para a vida.
Acham ridículo? Não é! E vou-vos explicando porquê... E mesmo assim se calhar não vão entender. Para perceberem teriam possivelmente de passar pela atividade... Mas acreditem em mim!
E porque não implementar uma disciplina de base escolar em que os alunos, em vez de terem "educação cívica" (não sei se ainda existe), em que fazem trabalhos sem conclusões nenhumas, tivessem uma disciplina que lhes concedesse responsabilidade, coordenação, gestão emocional, condição física e tantas outras capacidades necessárias para o dia a dia?
Pensem só um bocadinho nisto...

Fonte: Blog "Just Get a Better World"

Vídeo: Jogador expulso por baixar calçoes de adversário...

No final da partida entre Grécia e Bósnia, que terminou empatada em 1 a 1, um lance ímpar eaqueceu o jogo e chamou muita atenção dos espectadores. O jogador bósnio Edin Dzeko não gostou da entrada que o grego Sokratis Papastathopoulos lhe fez e abaixou o calção do adversário, deixando-o de cuecas em pleno campo.
Confusão geral. Gregos e bósnios trocaram empurrões e ofensas. Diante da situação, o árbitro da partida não pensou duas vezes e exibiu o cartão amarelo a Dzeko. O atacante da Roma já tinha sido advertido com outro cartão amarelo e acabou expulso. Papastathopoulos, já devidamente vestido, também foi advertido.


Fonte: RefNews

Opinião/Reflexão sobre a importância do Video-Árbitro

Opinião de Luís Sobral 
(Jornalista / Diretor Pessoas e Media at Federação Portuguesa de Futebol
Alguns jogos entre grandes equipas internacionais têm dupla produção.
Isto significa que há publicidade dos dois lados, logo muitas câmaras em ambas as bancadas.

No Itália-Alemanha de terça-feira foi assim.
A Bola TV transmitiu o jogo a partir do sinal que passou em Itália. Visto dessa forma, este lance parece uma má decisão da equipa de arbitragem portuguesa.
Visto na transmissão para a Alemanha (este frame saiu de lá), foi um extraordinário momento de Rui Licínio, assistente de Artur Soares Dias.
Na carrinha do vídeo árbitro estavam todas as câmaras e foi fácil a Jorge de Sousa confirmar que a decisão dos colegas tinha sido perfeita. Mesmo que em casa milhares tenham achado o contrário.
Sem dupla produção, provavelmente este caso teria passado à história como um erro. Assim foi um excelente momento.
Quantas vezes já terá acontecido?

Comité Independente da CBF realiza avaliações dos árbitros - Vitor Pereira lidera o processo


O Comitê Independente de Arbitragem, que foi criado para avaliar o desempenho de cada um dos árbitros que atuam no Brasileirão, vem apresentando as avaliações a cada rodada. Como havia sido anunciado em Agosto, o trabalho começou na 20ª rodada do campeonato, primeira do returno da competição.
O ranking por rodada é elaborado de acordo com as notas atribuídas pela Comissão Independente, que leva em consideração a própria observação dos jogos, os relatórios do analista de campo e do analista de vídeo.
 Grupo comandado pelo português Vitor Pereira (foto), que apitou duas Copas do Mundo e foi chefe da Comissão de Arbitragem da Federação Portuguesa por mais de dez anos. Além dele, outros dois ex-árbitros farão parte desta equipe: José Roberto Wright e Cláudio Vinícius Cerdeira.
Aproveitando o trabalho de análise de desempenho dos árbitros que já é executado a cada jogo por analistas contratados, os membros da comissão poderão referendar ou reformar as observações do responsável pela partida. Baseado neste desempenho, eles conjuntamente darão notas aos trios de arbitragem. Esses números vão compor um ranking da Comissão Nacional de Arbitragem no campeonato.
Também caberá a esta comissão definir sanções aos árbitros que cometerem erros nas partidas e estabelecer um programa de reciclagem junto à Escola Nacional de Árbitros de Futebol (ENAF) para que estes juízes aperfeiçoem seus conhecimentos.
Além da análise individual, será responsabilidade desta comissão uma avaliação global da arbitragem, constatando falhas que ocorrem com maior incidência e estabelecendo medidas de correção para as situações comuns. Este aperfeiçoamento poderá ser feito por intermédio de cursos, provas teóricas, análise de vídeos, entre outros.

Fonte: RefNews
Nota: Texto escrito em português do Brasil

Vídeo:A decisão mais "polémica" do Itália - Alemanha "validada" com apoio do Vídeo-Árbitro


Gianni Infantino ficou muito satisfeito com os resultados do teste ao vídeo-árbitro no Itália-Alemanha de terça-feira, conduzido por uma equipa de arbitragem portuguesa liderada por Artur Soares Dias. No campo, o assistente Rui Licínio anulou um golo a Kevin Volland por fora de jogo, num lance que gerou alguma polémica. Mas, como pôde ser confirmado pelas imagens de TV vistas por Jorge Sousa, foi bem decidido.





Como foi a experiência do Video-Árbitro no Itália - Alemanha

José Fontelas Gomes, líder do Conselho de Arbitragem, assistiu com Gianni Infantino, presidente da FIFA, à arbitragem de Artur Soares Dias no Itália-Alemanha com a ajuda de Jorge Sousa à frente de 32 câmaras.

O jogo particular entre a Itália e a Alemanha realizado anteontem em Milão (0-0) foi considerado um passo de gigante rumo à introdução do videoárbitro no futebol. No campo esteve o árbitro português Artur Soares Dias e como video-árbitro Jorge Sousa, que teve a companhia do presidente da FIFA, Gianni Infantino, e do presidente do Conselho de Arbitragem, José Fontelas Gomes, que explica ao DN a reação do homem que lidera o organismo que superintende o futebol a nível mundial.

"O presidente da FIFA ficou extremamente satisfeito. Acompanhou in loco o desenrolar do jogo, esteve na carrinha grande parte do encontro para perceber a verdadeira mais-valia desta ferramenta. Ficou muito contente e pelas declarações que vi está bastante entusiasmado", refere José Fontelas Gomes, que vê no italo-suíço um trunfo para a causa: "Tenho a certeza de que é um aliado de peso para que o videoárbitro comece a funcionar, mas é preciso ver as condições dos outros países, de forma a que estejamos na presença de uma ferramenta global."

Para José Fontelas Gomes "a arbitragem portuguesa esteve num momento histórico para o futebol, para o seu futuro concretamente" e é um "orgulho a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) estar nesta fase do projeto". Inclusivamente a nomeação de Artur Soares Dias para o Itália-Alemanha em seleções A e de Hugo Miguel para o Itália-Dinamarca em sub-21 - ambos auxiliados por Jorge Sousa, na função de videoárbitro - foi vista como o reconhecimento do "trabalho e do esforço da FPF", que tem marcado presença em workshops de desenvolvimento do videoárbitro "com o International Board e a FIFA".

Decisões em cinco, seis segundos
Sobre o jogo propriamente dito, Jorge Sousa teve uma intervenção direta em dois lances. "Houve um lance de possível penálti para a Itália e um golo anulado à Alemanha. Esses dois lances foram bem ajuizados no campo por Artur Soares Dias mas o video-árbitro conseguiu tomar uma decisão com rapidez em cinco/seis segundos que acabou por suportar o julgamento de Artur Soares Dias. Da experiência que temos tido as situações são decididas de forma célere."

E afinal como se processa a comunicação entre o árbitro de campo e o árbitro que tem à sua frente as câmaras? - neste jogo foram 32 ao passo que nos sub-21 foram sete. "A primeira decisão é do árbitro de campo, que pode reconsiderar a sua decisão, através da comunicação com o video-árbitro, desde que o jogo não tenha recomeçado. Mas se o próprio video-árbitro tiver alguma dúvida a decisão final é do árbitro de campo, sendo que as quatro situações protocoladas para o video-árbitro intervir são, como se sabe, lances de penálti, de expulsão, de golo e de identificação de um jogador. Jorge Sousa, na carrinha, ouve toda a comunicação da equipa de arbitragem que está no campo e quando quer intervir carrega num botão para entrar no circuito", explica José Fontelas Gomes, que ficou feliz por o "sentimento generalizado das entidades presentes foi de que correu tudo muito bem, inclusivamente a excelente arbitragem no campo do Artur Soares Dias".

Uma realidade no Mundial 2018
José Fontelas Gomes não arrisca uma data para a integração global do video-árbitro, mas mostra esperança num evento que poderá ser o catalisador desta ferramenta a nível mundial. "Ainda não há uma data específica. Nós, em Portugal, fizemos um teste offline na Supertaça e talvez consigamos fazer mais testes semilive, como este do Itália--Alemanha, mas isso depende sempre de autorizações. Acredito que no Mundial 2018 seja uma realidade e a partir daí as coisas aconteçam naturalmente para todos e não só para alguns", esclarece.


O que parece certo é que, mais ano menos ano, o recurso ao video-árbitro dificilmente passará à história como uma tentativa abandonada de melhorar a verdade desportiva. "Pelo investimento que tem sido feito, o video-árbitro é um caminho sem retorno. Com a informação que temos hoje e as experiências que foram feitas esta ferramenta é uma mais-valia", constata o dirigente, que não vê o video-árbitro ser executado por alguém sem experiência de campo. "A FIFA quer que esta função seja desempenhada por árbitros no ativo, que estejam no topo. O video-árbitro tem de conhecer o jogo e as dificuldades que um árbitro sente no campo para em segundos ir buscar as imagens precisas no meio de 30 câmaras."

Fonte: DN