terça-feira, 8 de Julho de 2014

Pedro Proença entre os 15 finalistas

Dos 25 árbitros escolhidos para o Campeonato do Mundo, dez foram dispensados ficando uma lista reduzida de 15, na qual entra o português Pedro Proença, para os últimos quatro jogos do torneio.

A equipa portuguesa, que conta ainda com os auxiliares Bertino Miranda e Tiago Trigo, já esteve em três jogos neste Mundial: o Camarões – Croácia e o Japão – Colômbia, ambos da fase de grupos, e o Holanda – México, dos oitavos de final.

Em aberto, mantém-se a possibilidade de apitar a final, o jogo de atribuição do 3.º lugar e uma das meias-finais, já que para a primeira, entre Brasil e Alemanha, já foi nomeado o mexicano Marco Rodriguez.

Além de Proença, continuam no Brasil os seguintes árbitros: Howard Webb (Inglaterra), Velasco Carballo (Espanha), Nicola Rizzoli (Itália), Jonas Eriksson (Suécia), Cuneyt Cakir (Turquia), Carlos Rodriguez (Equador), Sandro Ricci (Brasil), Enrique Zencovich (Chile), Marco Moreno (México), Mark Geiger (EUA), Djamel Haimoudi (Argélia), Noumandiez Doue (Costa do Marfim), Yuichi Nishimura (Japão) e Ravshan Irmatov (Uzbequistão). 

Fonte: A Bola

quinta-feira, 30 de Janeiro de 2014

Vídeo: Árbitro prometeu expulsões... e cumpriu




Gimnasia e Estudiantes disputaram um "amigável" mas o encontro tornou-se perigoso para quem estava dentro das quatro linhas, face à agressividade que o jogo tomou. Farto do que estava a ver, o árbitro tomou uma atitude pedagógica e informou os capitães de ambas as formações que à próxima falta ríspida, haveria uma admoestação com cartolina vermelha. E assim aconteceu, com Israel Damonte a sofrer na pele as consequências de uma medida incomum...

José Gomes: «Está a ser criado um ambiente que nada prestigia o futebol»


José Gomes, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), garante que os árbitros estão preparados para lidar com a pressão, mas tentou consciencializar os adeptos, pedindo moderação nas críticas aos árbitros portugueses.

"Não é o ambiente que se está a criar ao longo deste campeonato que vai por pressão no árbitro. Mas isto mexe com famílias, com a vida pessoal de cada um, como aconteceu como Manuel Mota, e as pessoas precisam de pôr a mão na consciência e perceber o que estão a fazer. Está a ser criado um ambiente que nada prestigia o futebol", comentou, em declarações à Antena 1.

Além de explicar que "tanto a FPF como a Liga vão dar condições para que algumas situações não se repitam", José Gomes falou dos dirigentes, também a pedir que haja moderação para impedir violência.

"Os dirigentes têm de conseguir ter um equilíbrio emocional para que as declarações não sejam inflamatórias, sejam com um mínimo de responsabilidade para que realmente não despolete a violência e todo o tipo de situações que têm acontecido ao longo dos últimos tempos", rematou.

Fonte: Record


Conselho de Arbitragem da AF Guarda demite-se em solidariedade com árbitros


Os membros do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol da Guarda pediram esta terça-feira em bloco a demissão e aceitaram a justificação dada pelos árbitros do organismo, que faltaram a todos os jogos do passado fim de semana. Em causa está a penalização considerada "desajustada" de um mês de suspensão e 100 euros de multa aplicada ao treinador do Estrela de Almeida, José Albanom, que a 19 de janeiro terá alegadamente agredido um árbitro na partida frente ao Pala. Em "solidariedade" com o árbitro agredido e como forma de protesto contra a "insegurança e falta de penalização" deste caso, os árbitros da AF Guarda faltaram aos 38 jogos que estavam agendados para o fim de semana de 25 e 26 de janeiro. 

Em comunicado, o Conselho de Arbitragem desta associação, composta por quatro membros, aceitou a justificação dada pelos árbitros e revelou que irá apresentar um pedido de demissão junto do presidente da Assembleia-Geral da AF Guarda. "Numa altura em que muito nos esforçamos para diminuir despesas aos clubes e poder realizar jogos sem policiamento este é um passo atrás face a todos os progressos que tinham sido obtidos. É compreensível que os árbitros não se sintam seguros e que tenham manifestado o seu desagrado", lê-se no comunicado. 

Até que seja eleito um novo Conselho de Arbitragem, os atuais membros mostram-se disponíveis para assegurar a gestão do órgão. 

FIFA expulsa árbitro que aceitou "suborno sexual"


O árbitro Ali Sabbagh foi proibido pela FIFA de participar em qualquer atividade relacionada com o futebol e de frequentar estádios. Uma sanção com caráter vitalício.
Ali Sabbagh, natural do Líbano, já havia sido suspenso pela Confederação Asiática de Futebol e foi detido por seis meses. Foi acusado de corrupção, ao interferir no resultado de um jogo em troca de favores sexuais, de borla; o suborno chegou de uma organização ligada a apostas.
A partida da Taça AFC (equivalente à Liga Europa) realizou-se em abril do ano passado, entre uma equipa de Singapura e da Índia - o trio de arbitragem liderado por Ali Sabbagh não chegou a entrar no relvado, sendo substituído pouco antes do início do jogo.
Os seus assistentes Ali Eid e Abdallah Taleb também estão proibidos de terem qualquer ligação ao futebol, mas durante 10 anos.

Fonte: Relvado

Pedro Henriques: Taça da Liga

Os procedimentos no que diz respeito ao não cumprimento do horário do início dos jogos são os seguintes: o árbitro, na reunião técnica, uma hora antes do jogo, informa sobre o "count down" e reforça sempre a importância do cumprimento dos "timings" apresentados. A partir do momento em que uma equipa não cumpre o horário, deve o árbitro perguntar ao seu capitão, assim que o mesmo chegue, o motivo que levou ao atraso, mencionando no relatório de jogo as razões apresentadas pelo capitão, bem como o tempo de atraso, e consequentemente a hora a que posteriormente se iniciou o jogo. O árbitro deve ainda informar o delegado da Liga para que esses factos (minutos de atraso, hora de início de jogo e razões invocadas para o atraso) possam também constar do seu relatório. Acrescentar ainda que também o observador do árbitro tem de mencionar no relatório que elabora o tempo de atraso do início de jogo, bem como a hora a que o mesmo se iniciou. De referir ainda que estes procedimentos também são todos válidos para eventuais atrasos no cumprimento do tempo de intervalo que, de acordo com a lei, não pode exceder os 15 minutos. 

O local das faltas é importante para a análise das infrações nomeadamente quando elas ocorrem nos limites das áreas. A regra base é que conta o início da ação para determinar o respetivo local da infração, sendo que a lei apenas tem uma exceção, que é quando um jogador é agarrado fora da área e entra dentro da mesma agarrado e só depois é que cai, neste caso não conta para efeitos de punição o início da ação mas o local onde termina. 

A lei 12 faltas e incorreções, na página 118, fala sobre as diversas nuances que existem no que diz respeito a "agarrar um adversário", dizendo entre outras coisas o seguinte: se um defensor começa a agarrar um atacante fora da área de grande penalidade e prossegue a sua ação para o interior da área, o árbitro deve conceder um pontapé de grande penalidade. Foi neste contexto que se enquadrou a grande penalidade cometida por Igor Rossi sobre Ghilas e que foi corretamente assinalada pelo árbitro Manuel Mota. 

Os temas abordados, em matéria de arbitragem, na reunião onde estiveram alguns dos clubes do futebol profissional, foram os seguintes: o sorteio puro dos árbitros, as classificações públicas, a profissionalização em "full time" e o recurso às novas tecnologias e imagens televisivas. O lado positivo está no facto de haver uma nítida preocupação em contribuir para uma melhor arbitragem, naturalmente com mais competência, menos erros e mais transparência. O lado negativo é que alguns dos conteúdos e ideias propostas revelam o desconhecimento da forma de funcionamento das instituições internacionais que regem o futebol mundial e, por outro lado, um total desajustamento à realidade e funcionamento do sector da arbitragem propriamente dita. Louve-se a iniciativa, mas convém que os temas propostos tragam efetivamente contributos práticos para a evolução do sector e não sejam só um conjunto de propostas não exequíveis e sem qualquer aplicação prática e descontextualizada da realidade. 


Fonte: O Jogo

segunda-feira, 27 de Janeiro de 2014

Vergonha: Talho de Manuel Mota volta a ser vandalizado


A eliminação do Sporting na Taça da Liga devido à vitória do FC Porto sobre o Marítimo no último minuto teve consequências no estabelecimento do árbitro que assinalou a grande penalidade convertida por Josué.
De acordo com o jornal Guimarães Digital, o talho de Manuel Mota foi vandalizado esta madrugada horas depois da eliminação do Sporting na Taça da Liga. O árbitro bracarense assinalou uma grande penalidade no último minuto de jogo entre FC Porto e Marítimo, e na conversão do castigo máximo, Josué acabou por garantir a passagem dos dragões às meias-finais da prova e a eliminação dos leões que tinham vencido minutos antes do Penafiel por 3-1.
Segundo escreve o referido jornal, por volta da uma da manhã, a montra do estabelecimento de Manuel Mota foi partida com um saco de pedras por indivíduos não identificados. O caso já está a ser investigado pela GNR e o árbitro de 36 anos já esteve no local para se inteirar dos prejuízos materiais.
Esta já não é a primeira vez que um dos estabelecimentos de Manuel Mota é vandalizado. Em dezembro do ano passado, um dos três talhos do árbitro de 36 anos foi também vandalizado na sequência do nulo entre Sporting e Nacional para o campeonato nacional, em que os leões viram um golo de Slimani ser anulado por Manuel Mota. Na altura, um dos talhos foi vandalizado com as palavras "Mota lampião, não prejudiques o leão" escritas na parede.

Fonte: Sapo Desporto

sábado, 25 de Janeiro de 2014

Portugal acolhe "elite" dos árbitros europeus

A UEFA decidiu organizar em Portugal o 23.º curso avançado para árbitros de elite da UEFA e a 22.ª formação para árbitros internacionais.
Pedro Proença, Olegário Benquerença e Artur Soares Dias vão ser os representantes portugueses nas ações promovidas pelo organismo que rege o futebol europeu, sob orientação do responsável técnico, o italiano Pierluigi Collina.
Além de Proença, vão estar também em solo luso os outros nove árbitros europeus chamados pela FIFA para o Campeonato do Mundo de 2014, casos de Felix Brych (Alemanha), Cuneyt Çakir (Turquia), Jonas Eriksson (Suécia), Bjorn Kuipers (Holanda), Milorad Mazic (Sérvia), Nicola Rizzoli (Itália), Carlos Velasco Carballo (Espanha), Howard Webb (Inglaterra) e Svein Oddvar Moen (Noruega).
Esta ação reconhece a capacidade organizacional da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que recentemente lançou o processo da profissionalização dos árbitros e avançou com a criação de uma academia para a arbitragem.

Fonte: Sapo Desporto

O fair play às malvas, outra vez...

As imagens chegam de um jogo do campeonato asiático sub-22 e mostram mais um exemplo de falta de fair play.

Bola atirada fora pela Coreia do Sul, que vencia por 2-0. No reatamento, nem todos os jogadores da Síria estavam em sintonia. E o suplente Mardek Mardikian aproveitou e fez mesmo golo, para surpresa dos adversários e também da maior parte dos membros da sua equipa.


O jogo acabou 2-1, a Coreia passou às meias-finais e a Síria foi eliminada.

Veja as imagens, a partir do 1h00m no vídeo:


Fonte: Mais Futebol

Árbitros C2 em Estágio N3 e Observadores Nacional A em curso em Tomar


Está a decorrer, em Tomar, a 2.ª Ação de Reciclagem e Avaliação para Observadores Nacional A e Árbitros C2 em estágio N3.
O período da manhã deste sábado destina-se à realização das provas de avaliação regulamentares, com observadores e árbitros a realizarem, em simultâneo, o teste escrito. Seguidamente, enquanto os árbitros efetuam as provas físicas, os observadores realizam o teste prático, que é constituído pelo visionamento de uma parte de um jogo e elaboração do respetivo relatório de observação.
 
Durante a tarde, será feito um balanço do trabalho efetuado até ao momento e será projetada a segunda parte dos campeonatos. Os árbitros estagiários terão, ainda, a oportunidade de analisar o processo de estágio.
O Conselho de Arbitragem fará o encerramento das duas ações.

Fonte: FPF

sexta-feira, 24 de Janeiro de 2014

Sporting "atira-se" ao Presidente do Conselho de Arbitragem


Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, é o mais recente alvo do Sporting por força da entrevista que concedeu esta quinta-feira ao jornal O Jogo e na qual teceu algumas considerações discordantes quanto às propostas leoninas avançadas «para melhorar o futebol português».
Os leões dizem não entender as críticas públicas do dirigente às ideias apresentadas na reunião de 16 de janeiro, já depois de, em privado, Vítor Pereira se ter mostrado «coincidente» e concordante com as sugestões verde e brancas e, por isso, acusam o antigo árbitro de «cobardia».
Eis o comunicado do Sporting, na íntegra:

«O Sporting Clube de Portugal manifesta a sua indignação e estranheza pelas declarações proferidas pelo presidente do Conselho de Arbitragem, publicadas hoje [ndr.: ontem], num diário desportivo. Com as mesmas ficou clara a cobardia em discutir os assuntos pessoalmente e a falta de interesse em alterar o que está mal no futebol português. Esta entrevista apenas visou desvalorizar o trabalho elaborado, classificando de «ideias» as propostas concretas apresentadas, chegando mesmo a afirmar que as mesmas não podem vir a «contribuir para uma melhoria do futebol ou das arbitragens».
Como é o do conhecimento público, o Sporting Clube de Portugal elaborou um dossier detalhado com um conjunto de alterações que considera necessárias para a transparência e salutar competitividade do desporto nacional e que envolvem temáticas diversas desde fiscalidade, arbitragem, agentes desportivos, fundos, entre outras.

As propostas apresentadas materializam-se em alterações legislativas e regulamentares e não se limitam à apresentação de meras questões conceptuais. Os propósitos desta documentação são bem claros, constituindo uma base de trabalho, para partilhar, discutir e enriquecer, com o contributo de todas as partes interessadas em melhorar o desporto nacional e a indústria do futebol, em particular.

Neste momento essa documentação está entregue a grupos de trabalho com a participação de mais de metade dos clubes da I e II Ligas, para posterior apresentação nas entidades nacionais e internacionais competentes.

O referido dossier, depois de apresentado aos Grupos Parlamentares do PSD, PS, CDS, PCP e Bloco de Esquerda, ao Ministro da Administração Interna, ao Secretário de Estado da Juventude e Desporto e Liga Portuguesa de Futebol Profissional, foi alvo de reunião na Federação Portuguesa de Futebol, no passado dia 16 de Janeiro.

É importante realçar que Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem, esteve presente na referida reunião. Neste encontro estiveram ainda presentes, o vice-presidente, Hermínio Loureiro, o secretário-geral, Paulo Lourenço, e o próprio presidente da FPF, Fernando Gomes, manifestou o seu agrado pelas propostas apresentadas, afirmando que as iria integrar nos grupos de trabalho já existentes na FPF, sendo, inclusivamente coincidentes com algumas já em desenvolvimento.

No decorrer da reunião o presidente do Conselho de Arbitragem, tendo oportunidade e o dever, em sede própria, não expressou qualquer comentário ao documento. Ao invés, preferiu agora vir, na praça pública, tentar descredibilizar o trabalho realizado, contrariando o acordado entre o presidente do Sporting Clube de Portugal e o presidente da Federação Portuguesa de Futebol. Na altura foi combinado a realização de um trabalho conjunto, tendo por base a documentação apresentada, a que Vítor Pereira anuiu não se expressando contra.

Este comportamento em nada dignifica o órgão a que preside e em nada contribui para a transparência e melhoria do futebol nacional, mas talvez possa justificar muito do que se passa actualmente.

Não será por atitudes destas que os clubes, que estão a trabalhar neste documento, irão deixar de o fazer com a mesma dedicação e que não irão lutar de forma determinada pelas alterações fundamentais que transformem de vez o futebol.»

Fonte: Zerozero.pt

quinta-feira, 23 de Janeiro de 2014

Vídeo: Árbitro inglês derruba dois jogadores de uma só vez!!!

No jogo Manchester United  - Sunderland deste fim-de-semana o árbitro inglês Lee Manson conseguiu de uma só vez meter no chão dois jogadores (um de cada equipa). Veja o vídeo:

domingo, 19 de Janeiro de 2014

Pedro Proença: «Futebol português não merece os árbitros que tem»

O árbitro internacional de futebol Pedro Proença saiu em defesa de Artur Soares Dias, alvo de fortes críticas por parte do presidente do FC Porto, Pinto da Costa, frisando que Portugal não merece a arbitragem que tem.


O juiz, que falava à margem das entregas das insígnias da FIFA, atribuídas a 30 árbitros e árbitros assistentes, lembrou que "a arbitragem portuguesa continua a ter árbitros nas competições maiores", rebatendo as acusações de Pinto da Costa, que, no Benfica-FC Porto, disse que Artur Soares dias teve uma prestação "escandalosa".
"Os árbitros portugueses continuam a ter o reconhecimento de que temos a melhor arbitragem do Mundo em muitas situações, continuamos a arbitrar finais de Liga dos Campeões, continuamos a arbitrar finais de Campeonatos da Europa, por isso, se calhar o futebol português é que não merece esta categoria de árbitros que tem", disse.
Para Pedro Proença não restam dúvidas de que o regulamento tem de ser aplicado. O árbitro de Lisboa, de 43 anos, deixou claro que o responsável máximo dos "dragões" foi longe de mais nas declarações.
"Quando falhámos somos penalizados por isso, portanto, terá também que acontecer com treinadores, jogadores e naturalmente com os dirigentes. Que punição? Os árbitros não fazem comentários sobre como devem ser punidas as infrações disciplinares. Existem órgãos competentes que tomarão as medidas necessárias", atirou.

À semelhança de Pedro Proença, José Gomes, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, defendeu que as sansões deveria ser idênticas às da Grã-Bretanha.
"Li há dias que em Inglaterra um treinador por dizer que uma arbitragem foi vergonhosa teve uma multa de 10 mil euros. Se calhar temos de ir por aí", afirmou.

Menos crítico, Vítor Pereira, presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), relembrou que não há "vetos nas nomeações".
"Continuaremos a fazer as nomeações consoante os critérios que temos já definidos. Estas críticas não irão condicionar qualquer decisão, nem contemplamos vetos de nenhum clube", asseverou.
Na cerimónia de entrega das insígnias aos 30 portugueses, número nunca antes atingido pela arbitragem lusa, Fernando Gomes, presidente da FPF, relembrou que esta foi uma "semana extremamente positiva para o futebol português".
"Cristiano Ronaldo recebeu a Bola de Ouro, o árbitro Pedro Proença foi confirmado no Mundial do Brasil, na companhia dos assistentes Bertino Miranda e Tiago Trigo, e no Futsal Eduardo Coelho estará presente no Europeu. Isto só acontece com trabalho e dedicação", defendeu.

Fonte: Futebol 365

sexta-feira, 17 de Janeiro de 2014

APAF: «Declarações de Pinto da Costa têm de ser banidas do futebol»


A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) repudia as declarações do presidente do FC Porto, Pinto da Costa, sobre a arbitragem de Artur Soares Dias no Benfica-FC Porto.

«Foi uma arbitragem escandalosa. Aquele lance em que o Jackson Martinez ia marcar, e que foi cortado por marcar uma falta contra o Benfica, após o passe do Quaresma. Foi uma coisa incompreensível», acusou Pinto da Costa. «Aquele árbitro não tem condições para continuar a apitar», disse, referindo-se a Artur Soares Dias.

«Este tipo de declarações têm de ser banidas do futebol e todos os árbitros que sejam visados neste tipo de situações terão o apoio da APAF», afirmou o líder da APAF, José Fontelas Gomes, em declarações à Antena 1.

Para o responsável, é hábito que «quando as equipas não produzem o que devem as atenções virarem-se para a arbitragem». 

«Cabe ao Conselho de Disciplina analisar as declarações, mas é certo que estas não abonam a favor do futebol português», vincou.


Fonte: Mais Futebol

Pedro Proença: "Profissionalismo aumentou qualidade da arbitragem"

O árbitro português Pedro Proença, selecionado para o campeonato do mundo Brasil’2014, considerou que a qualidade da arbitragem portuguesa aumentou com a passagem do principal quadro de árbitros a profissionais, como revelou em entrevista à Rádio Bandeirantes do Brasil.


Pedro Proença que foi chamado pela FIFA para integrar o quadro de árbitros que estará no Brasil revelou na referida entrevista: “Em Portugal os árbitros passaram a ser profissionais a partir da última temporada e houve um aumento de qualidade nas prestações das equipas de arbitragem. Esse é o caminho. No mundo atual uma parte tão importante do futebol também tem de ser profissional”.

O árbitro nacional gostava de ver a seleção de Portugal na final do campeonato do mundo mas se tal não for possível deixa um desejo: “É o sonho de todos os árbitros que foram selecionados para a fase final poder estar no dia 13 de julho no Maracanã. Eu não fujo à regra”.

Sobre a arbitragem em geral e as perspetivas futuras o juiz de campo admitiu que o recurso às tecnologias é inevitável, porque hoje o árbitro já não pode ter ao dispor só os seus meios para fazer a defesa da verdade desportiva.

Pedro Proença aproveitou a referida entrevista para sublinhar que Eusébio é uma referência para o futebol português e a sua morte foi muito sentida.

Sobre a Bola de Ouro ganha por Cristiano Ronaldo fez questão de dizer que Portugal sofreu uma grande crise económica e esta conquista eleva a auto-estima do povo.


Fonte: RTP