segunda-feira, 6 de junho de 2011

Árbitros reencontram reclusos na Mata Real


Uma formação de árbitros e assistentes dos diversos campeonatos de futebol defrontou no passado sábado (4/6/2011) no Estádio da Mata Real uma equipa de reclusos do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira, cumprindo uma tradição com mais de uma década.

Paulo Paraty, ex-árbitro internacional, "capitaneou" a equipa em que figuravam, entre outros, os árbitros de primeira categoria Jorge Ferreira e Manuel Mota, o árbitro internacional de futsal Pedro Paraty, para além de Tino de Rans.
Paraty referiu-se-lhe como a "estrela convidada" da equipa de árbitros e assistentes, mas o estudante de comunicação social disse ter-se "infiltrado" para realizar uma reportagem para o seu jornal decanal, "Há Pressa", cujo primeiro número será dado a conhecer a 11 de novembro, no Museu de Penafiel.
Tino de Rans jogou pouco, mas falou muito, a partir da bancada, onde assistiu à segunda parte de um encontro que os "juízes" acabaram por vencer por 5-3, confirmando a vantagem de 2-1 verificada no final do primeiro tempo, face a um conjunto que revelou ter talento individual, mas menor frescura física.
Ao apito final de Cunha Antunes, antigo árbitro, que partilhou a "condução" do encontro com José Leirós, outro ex-colega de lides, Tino de Rans gritou a plenos pulmões: "Sou o único adepto de futebol nesta bancada a torcer por uma equipa de árbitros".
Igual a si próprio, o homem que diz ser "mestrado em gente" promete fazer furor com a dita publicação, de que deu pormenores, mas pediu algum recato.
Em campo, Tino jogou no ataque, mas não evitou reparos do "técnico" e "capitão" de equipa Paulo Paraty, que, mais a sério, elogiou a iniciativa, explicando-a como "uma forma de proporcionar um dia diferente àquelas pessoas".
E acrescentou: "Mesmo para nós, este jogo é diferente. Todos gostamos de futebol, mas isto não é propriamente a nossa praia. Desta forma, podemos dar a entender, através de uma atividade reconhecida mundialmente, que se pode competir com regras".
O encontro que opõe anualmente árbitros de futebol a reclusos do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira tem a chancela da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), mas este ano, contrariando o habitual, mobilizou poucos espetadores.

Fonte: Sic Notícias

Sem comentários: