terça-feira, 27 de setembro de 2011

"Profissionalização na arbitragem" Reflexão de Duarte Gomes

Muitas vezes, perguntam-nos: 
Porque arbitram vocês melhor no estrangeiro do que cá em Portugal?
Fácil. Muito fácil. Assim de repente, vejamos:
- Ninguém escreve ou diz nada sobre o árbitro nos dias que antecedem o jogo, ou seja, não há pressões desnecessárias, ruídos maliciosos e antecipados nem notícias especulativas... ninguém se importa se este é aquele árbitro que arbitrou ou não esse mesmo clube dois ou três anos antes e com que resultados é que isso teria acontecido...no dia da viagem (véspera do jogo) o árbitro não está preocupado em sair mais cedo do trabalho nem em terminar aquela reunião importante à pressa, mesmo que os colegas se sintam discriminados com o tratamento que recebem... a estadia na cidade que recebe o jogo é sempre feita num local adequado, tranquilo e seguro, sem agitações à volta... a reunião com os agentes de segurança e intervenientes no jogo é feita na manhã do dia de jogo (10,30H) e aí tudo o que gira em torno de aspectos organizacionais e desportivos fica definido de forma clara e muito profissional... durante o jogo, ninguém quer saber se o árbitro acerta ou falha, porque todos sabem que, no futebol, todos acertam e todos falham... querem apenas ganhar, porque um ponto vale dinheiro, uma vitória é uma pequena fortuna e nada se compara à motivação de vencer... jogadores, equipas técnicas, dirigentes, media, adeptos... ninguém pressiona, ninguém incomoda, ninguém chateia, ninguém desconfia.
Porque pessoas evoluídas acreditam na integridade de quem faz parte do espectáculo fantástico que é o futebol, tal como nós acreditamos na integridade de quem o gere, o disputa, o controla.
E sim, respondo que regra geral... até corre melhor.
Percebe-se porquê ou nem por isso?

Texto por Duarte Gomes

Sem comentários: