sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Wenger e Ferguson saúdam hipótese de tecnologia nas linhas de baliza em Inglaterra

O guarda-redes alemão, Manuel Neuer, a olhar para a bola rematada por Frank Lampard durante os quartos de final do último Mundial, um dos casos polémicos que poderia ter sido evitado com a tecnologia na linha de baliza.
O anúncio ontem revelado pela Federação Inglesa de Futebol (FA) já está a acolher seguidores. A possibilidade de introduzir tecnologia na linha de baliza já na próxima época entusiasmou várias personalidades da Premier League, incluindo o treinador do Arsenal, Arsène Wenger, que demonstrou o seu apoio à medida.


Na quinta-feira, o secretário-geral da FA, Alex Horne, revelou que estavam a decorrer estudos para colocar uma tecnologia na linha das balizas em Inglaterra, algo que poderia acontecer já na próxima época, tal como avançou a BBC.

De qualquer modo, os organismos da FIFA apenas decidirão sobre a hipótese de introduzir a tecnologia após o Euro 2012, competição que termina a 1 de Julho.

Mas o anúncio ontem veiculado já motivou a reacção de algumas personalidades do futebol inglês. Entre eles está Arsène Wenger, técnico do Arsenal que sempre se assumiu como um devoto apoiante da possibilidade de aliar os árbitros de futebol a meios tecnológicos. «Sempre fui um grande fã e dei todo o meu apoio, (…) quanto mais rápido melhor, temos que implementá-la assim que for possível», vincou.
O treinador francês apressou-se também a delinear as vantagens: «Pode haver a preocupação em torno dos erros que a tecnologia pode cometer mas, estatisticamente, vamos melhorar muito».
Mas o seu homólogo e rival do Manchester United, Alex Ferguson, revelou estar menos confiante na possibilidade de ver a tecnologia ser adoptada, e explicou, ao referir a postura dos órgãos que tutelam o futebol internacional e europeu. «As pessoas atiram ideias cá para fora mas elas têm que passar pela FIFA, que sempre se opôs [à possibilidade], tal como a UEFA», lembrou.

A ser conseguido, o aval da UEFA e da FIFA iria introduzir a tecnologia apenas para confirmar se a bola passaria na totalidade a linha de baliza. O método evitaria situações duvidosas que quase todas as épocas sucedem um pouco por todos os campeonatos europeus de futebol.

Na Premier League, é possível recordar um caso de envolveu Pedro Mendes, em 2005, quando o português representava o Tottenham. Numa partida entre os londrinos e o Manchester United, o médio, hoje no Vitória de Guimarães, o médio rematou quase do meio campo na tentativa de fazer um chapéu a Roy Carroll, então guarda-redes dos ‘red devils’.

Ao tentar apanhar a bola, o guarda-redes acabou por a deixar escapar para trás, e as imagens mostram que a bola terá ultrapassado a linha de baliza. Os adeptos gritaram golo, mas o árbitro da partida não validou.



Fonte: SOL

Sem comentários: