quarta-feira, 21 de março de 2012

APAF exige retirada dos dados da Internet e proteção para árbitros e familiares


A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) exigiu hoje a retirada imediata dos dados pessoais de árbitros divulgados na Internet e pede proteção para os "juízes" e seus familiares.




Os dados pessoais dos árbitros têm de ser imediatamente retirados da  Internet ou de qualquer outro suporte publico", afirmou o presidente da  APAF, em declarações à agência Lusa. 
Gustavo Sousa disse que o organismo "exige que as autoridades desportivas  e políticas deem garantias em relação à segurança pessoal dos árbitros e  dos seus familiares, e reserva-se o direito de recorrer a todos os meios  para por cobro à situação". 
O presidente da APAF considerou "absolutamente inadmissível que moradas  de familiares, pais, mães de árbitros, números de telefone e moradas sejam  do conhecimento público". 
"Este crime é deveras intolerável contra a segurança dos excelentes  profissionais da arbitragem portuguesa", frisou. 
De acordo com Gustavo Sousa, a APAF já fez uma queixa à Polícia Judiciária  e está a preparar um processo para entregar na Comissão Nacional de Proteção  de Dados, que, entretanto, já abriu um processo de averiguações para apurar  a forma como foi acedida e disponibilizada a informação na Internet. 
A estrutura de classe pediu a "todos os agentes desportivos, adeptos  e cidadãos que repudiem este crime", que classificou como "um ato bárbaro  contra a arbitragem portuguesa". 
O Diário de Notícias noticiou hoje que os dados pessoais dos árbitros  das competições profissionais, como números de telefone, moradas, nome de  familiares, números de contribuinte e números de contas bancárias, foram  divulgados na Internet, a 17 de março, numa lista que continua disponível.
Fonte: Sic Notícias

Sem comentários: