terça-feira, 20 de março de 2012

Pedro Henriques analisa polémica na arbitragem!


Depois das duras críticas feitas pelo Sporting à prestação do árbitro Bruno Paixão no encontro com o Gil Vicente, da 23ª jornada, Pedro Henriques considera que a polémica faz, até certo ponto, parte do jogo, mas sublinhou, em declarações à Antena 1, que é necessário existir mais informação entre os árbitros e o público.

O ex-árbitro admitiu ser "normal" que as críticas à arbitragem surjam com mais frequência "à medida que se aproxima o final do campeonato, e os pontos começam a ser cada vez mais importantes", e sublinhou também o facto de as imagens de televisão exporem cada vez mais os juízes. Pedro Henriques referiu ainda a possibilidade de esse discurso contra os árbitros seja um "discurso interior", com o objetivo de "motivar os jogadores", e "colocar as claques e os adeptos em torno da equipa" contra um "adversário ou 'inimigo' comum".

Sobre a prestação de Bruno Paixão na partida entre o Gil Vicente e o Sporting, Pedro Henriques admite que "não foi um jogo fácil", e que existiram decisões mais e menos corretas. O ex-juíz disse ainda que preferia que não existisse "um ataque tão pessoal aos árbitros", mas que se colocasse mais a "questão das competências e incompetências".

A filosofia adotada pelo presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, Vítor Pereira, ao longo dos anos não é a mais correta, na opinião de Pedro Henriques. Apesar de compreender a decisão do dirigente, o ex-árbitro considera que "uma política de contenção e silêncio", de modo a evitar ainda mais polémica, deixa "algumas dúvidas no ar em relação a determinados aspetos". Por esse motivo, Pedro Henriques salienta que é necessário "fazer algumas alterações ao nível da comunicação externa".

Como exemplo, referiu o caso de Jorge Sousa, que foi vítima de gastroentrite, tendo sido divulgada a informação que Pedro Proença tinha tido um problema cardíaco. Para evitar este tipo de situações, Pedro Henriques sugeriu a disponibilização de um médico da FPF, exclusivamente para os árbitros, com o objetivo de, nestes casos, emitir imediatamente um comunicado, desfazendo assim quaisquer dúvidas que possam existir e evitar especulações.

Pedro Henriques explicou ainda a escolha de Bruno Paixão para o jogo entre o Gil Vicente e o Sporting, lembrando que, dos árbitros selecionáveis para o encontro, só Bruno Paixão estava disponível para o fazer.

Fonte: RTP

Sem comentários: