quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

32 árbitros agredidos só esta época

O caso de Dyego Souza foi apenas o primeiro de um total de 32 agressões que já aconteceram esta época, 8 das quais envolvendo árbitros menores de 18 anos.

O líder da APAF, Luciano Gonçalves, diz que "algo não está bem", para depois explicar: "Temos a obrigação de eliminar estes números, que nos devem envergonhar. É preciso castigar os agressores, cumprindo os regulamentos, e não permitir que os processos se arrastem." O dirigente destaca o facto de a maior parte das agressões ter lugar em jogos de formação: "Os miúdos de 8 ou 9 anos veem os pais com atitudes que até os envergonham." *

O problema não é novo, e foi ainda agravado com o fim do policiamento obrigatório nos jogos das competições de formação e distritais. Este fim de semana, um jogador do Roriz, da Divisão de Honra da AF Viseu, agrediu um árbitro com um murro e um pontapé. Em S. Domingos de Rana, num jogo da Taça de Portugal de futsal, entre os Reguilas de Tires e o AMSAC, o jogador Zé Trindade, da equipa visitante, perdeu a cabeça logo depois de ver o árbitro Filipe Duarte (da AF Coimbra) expulsá-lo; pegou na bola e atirou-a com violência à cara do árbitro, o que fez com que o jogo tenha terminado de imediato.

A APAF fez um comunicado sobre esta situação. "A APAF expressa solidariedade para com o seu associado e árbitro Filipe Duarte, que foi vítima de uma bárbara agressão", pode ler-se, para depois continuar: "A APAF vem assim repudiar estas ações, cada vez mais vistas no nosso país, que denigrem a modalidade do futsal e em nada se compadecem com os valores e a essência que a modalidade representa. Esperamos que o agressor seja severamente punido pelos atos cometidos, desportiva e criminalmente, para que estes atos cobardes não se repitam." 

Fonte: Record

Sem comentários: