quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

UEFA: Árbitros prontos para novos desafios


Os principais árbitros europeus, incluindo o grupo de árbitras que vai dirigir os jogos do UEFA Women's EURO 2013, na Suécia, este Verão, partem para a segunda metade da temporada com palavras de encorajamento – e a mensagem de que devem manter os padrões elevados que fazem dos árbitros europeus elementos respeitados por todo o Mundo.
No 21º Curso Avançado para Árbitros de Topo da UEFA e no 22º Curso Introdutório para Árbitros Internacionais da UEFA, realizado em Roma esta semana, os principais árbitros tiveram a companhia dos estreantes na lista internacional da FIFA – e, pela primeira vez, participaram no curso de Inverno da UEFA árbitras de elite, reflecxo da enorme evolução dada no futebol feminino nos últimos anos.
Ao longo de três dias em Itália, os árbitros foram submetidos a testes físicos e exames médicos no âmbito de um programa de treino alargado, realizaram debates em grupo, assistiram a palestras dadas por membros do Comité de Arbitragem da UEFA, participaram em sessões vídeo de análise de imagens devidamente preparadas de jogos da UEFA, da presente época e anteriores. O curso preparou os árbitros para as tarefas nas competições de clubes e selecções da UEFA que se avizinham – especialmente a aguardada fase final do Europeu Feminino, em Julho.
A oportunidade para as árbitras se juntarem aos homólogos masculinos foi uma inovação recebida com agrado, ponto de vista destacado pela húngara Katalin Kulcsár, que vai estar presente no UEFA Women's EURO 2013, no Verão. "Todas nós apreciámos esta ocasião", disse ao UEFA.com. "É um novo desafio para nós estarmos aqui. É especial estar com os árbitros e partilhar experiências com eles."
"Gostamos da ajuda que Werner Helsen [perito físico de árbitros da UEFA] e a sua equipa nos dão. Quando se começa a arbitrar, não é fácil descobrirmos por nós próprios como treinar bem – para isso é precisa a ajuda dos treinadores."
Seguem-se agora meses entusiasmantes para Kulcsár e a sua experiência em Roma, sem dúvida, vai mantê-la no bom caminho. "Faço parte do grupo de árbitras escolhido para o EURO 2013, por isso o meu objectivo para este ano é estar a bom nível neste evento", disse. "Aguardo com expectativa – e este foi um bom início para as preparações deste ano."
O árbitro alemão Felix Brych, elemento experiente ao mais alto nível europeu actualmente, fez eco da opinião unânime de que o curso de Inverno da UEFA foi a maneira ideal e estimulante para revisitar a primeira parte da campanha e planear as tarefas futuras. "Encontramo-nos sempre a meio da época e isso fornece enorme motivação para os próximos jogos, e também refrescar os principais tópicos da arbitragem", explicou. "Adoro vir aqui e reencontrar os meus colegas, e também preparar os próximos jogos. É uma excelente oportunidade para partilhar experiências com árbitros do presente e do passado."
A UEFA também está a utilizar os árbitros assistentes adicionais (AARs) nas suas principais competições, após o sistema ter sido introduzido nas Leis do Jogo, no Verão passado. O sistema está a provar o seu valor, com os árbitros assistentes adicionais posicionados ao longo da linha de baliza para ajudarem os árbitros principais a tomarem decisões em relação, principalmente, a incidentes registados na grande área. Uma característica fascinante das actividades em Roma foi uma sessão prática, na qual os árbitros ficaram a conhecer métodos de treino específicos que estão a ser utilizados para treinar AARs e melhorar os respectivos desempenhos.
"Foi interessante estar ao lado das balizas, de modo a perceber o ponto de vista dos árbitros assistentes adicionais", disse Brych. "Foi bom para mim alterar a perspectiva e ângulo de visão que tinha, e estou certo que isto me vai ajudar no decorrer dos jogos."
"Nunca tinha estado nessa posição durante um jogo ou mesmo num treino – só tinha ouvido falar sobre isso, e certamente foi interessante observar o jogo a partir de um ângulo diferente", acrescentou Kulcsár.
O responsável pela arbitragem da UEFA, Pierluigi Collina, desejou aos árbitros europeus o melhor dos sucessos no seu trabalho para a Primavera e o Verão. "Estamos felizes por terem dado o máximo", disse. "Estamos satisfeitos com as exibições das árbitras. A sua presença aqui é um marco para a UEFA."
"Agora vamos enfrentar a parte mais importante da época", disse Collina aos árbitros. "O vosso empenho tem sido notável. São profissionais, estão no topo do futebol. Têm que se orgulhar disso, mas também têm de ser responsáveis – e a UEFA está sempre pronta para vos apoiar."

Fonte: UEFA

Árbitro mostra cartão... azul!!! (Video)


Um encontro de distritais do futebol grego, entre Tsiklitiras Pylos e AE Longa, ficou marcado por um momento inacreditável. George Kaldis, do Tsiklitiras Pylos, marcou um golo com a mão, festejou e, poucos segundos depois, resolveu admitir que tinha marcado com a mão.
A equipa de arbitragem voltou atrás na decisão e decidiu sancionar o Kaldis com um cartão... azul.
Veja o vídeo: 


Fonte: Record

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

UEFA recebe os novos árbitros internacionais


"Estejam empenhados, sejam responsáveis e preparem-se", disse o responsável pela arbitragem da UEFA, Pierluigi Collina, aos novos árbitros internacionais no curso de Inverno, em Roma, onde estão presentes os portugueses Hugo Miguel e Marco Ferreira.
Agora que estão na rampa de lançamento para meritórias carreiras como internacionais, os novos árbitros habilitados para dirigir encontros das competições internacionais foram beber das sábias palavras de um homem que alguém que sabe tudo sobre o sector.
O responsável pela arbitragem da UEFA, Pierluigi Collina – que apitou alguns dos mais importantes encontros de futebol na sua notável carreira, usou da palavra no curso anual de Inverno da UEFA, que decorreu em Roma, para dar aos recém-chegados à lista de internacionais da FIFA uma exaustiva lista de coisas a fazer e a não fazer em situações de grande pressão, agora que o jogo no continente europeu está a um altíssimo nível.
Collina teve a companhia do presidente do Comité de Arbitragem da UEFA, Angel María Villar Llona, na abertura do 22º Curso Introdutório para Árbitros Internacionais e apelou aos jovens árbitros para mostrarem responsabilidade e dedicação à profissão. Os juízes ficaram a saber que a preparação meticulosa, a coragem e a consistência nas decisões arbitrais, o conhecimento das tácticas do jogo e dos jogadores, para além da crença nas suas próprias capacidades, são elementos fundamentais de um árbitro de topo.
O curso é o primeiro que conta com a presença de homens e mulheres. "Tudo isto tem uma grande importância no desenvolvimento dos árbitros de ambos os sexos", disse Villar Llona. "O Comité de Arbitragem da UEFA investiu muito em vocês. Peço-vos que agarrem a oportunidade que vos é dada e estejam conscientes da responsabilidade de representar a UEFA e o vosso país".
Pierluigi Collina desenvolveu o tópico da responsabilidade. "Percebam que estão a representar a vossa federação, a UEFA e vós próprios", disse. "Lembrem-se que muitas pessoas, incluindo jovens árbitros, vão estar a olhar para vocês como modelos, o que, para além de uma honra, é, também, uma grande responsabilidade".
"Estejam preparados", foram as palavras-chave de Collina aos jovens árbitros. Tendo em conta a velocidade do jogo na actualidade e o grande destaque que lhe é dado pela imprensa, os árbitros têm que estar preparados para lidar com a pressão de tomar decisões, muitas delas numa fracção de segundo. "A consistência é, também, fundamental", acrescentou. "O objectivo último de um árbitro", disse Collina, "é ser aceite – com as suas decisões a serem aceites mesmo que não se esteja de acordo com elas, ou até quando a decisão é errada. É um sinal de grande reconhecimento, quando os jogadores confiam em vocês".
Collina apelou aos juízes para protegerem os jogadores, de, por exemplo, desarmes mais agressivos que podem colocar em risco a carreira de um jogador e para não deixarem que os jogadores os rodeiem. Estes dois temas têm sido uma das principais prioridades da UEFA nos últimos anos, como parte do enorme esforço para proteger a imagem do jogo.
Para além da firmeza e coragem no tomar de cada decisão, Collina lembrou que o árbitro dos dias de hoje é um atleta e que se tem de estar em forma para manter a lucidez a 100 por cento no final de um jogo. Sobre isto, o italiano mostrou um vídeo dos últimos três minutos da final de 1999 da UEFA Champions League – um encontro por si apitado – quando o Manchester United FC deu a volta ao marcador nesse período para derrotar o FC Bayern München. "Mesmo estando cansados, temos que estar prontos para o caso de alguma coisa como esta acontecer, de modo a que se tomem as decisões correctas se necessário", disse.
Parte da preparação dos árbitros antes dos encontros, inclui o estudo das formações das equipas e o papel dos jogadores em campo. "Fazer isto, é estar um passo à frente", disse Collina, "pois podemos prever, saber e perceber o que poderá acontecer numa situação de jogo". Os árbitros, nunca deverão ter receio para atentar aos pequenos detalhes do seu trabalho. É por isso essencial que os árbitros, os seus assistentes/adicionais e quartos árbitros procurem interagir e serem consistentes, tendo qualidade, como equipa.
A força mental é uma obrigação se os árbitros quiserem ser bem-sucedidos. "Sejam vós próprios e confiem em vós", explicou Collina. "Sejam abertos à mudança... saibam os vossos pontos-fortes e também os fracos, sejam capazes de ser positivos, mesmo nas situações negativas. Aprendam com os vossos erros, porque ao fazerem-no, estarão a ficar mais fortes".
"Estão no primeiro passo de uma longa escadaria", concluiu Collina. "Estejam orgulhosos e felizes por fazerem parte de um pequeno grupo de árbitros de topo da Europa. É um grande privilégio para todos vós. Sejam empenhados e responsáveis. Estejam prontos!"

Fonte: UEFA

Dois árbitros agredidos nos distritais este fim de semana

Imagem não relacionada com os casos da notícia.
Dois árbitros foram agredidos no passado fim de semana, em jogos dos campeonatos distritais de Leiria e Porto. Os juízes apela à irradiação dos autores das agressões, enquanto a APAF pediu «uma resposta firme, célere e adequada».

Bruno Santos diz ter sido agredido a murro pelo jogador do Alfeizerense João Abreu quando lhe mostrou o cartão vermelho na partida com o Outeirense da zona Sul da 1.ª Divisão distrital da Associação de Futebol (AF) de Leiria. O incidente aconteceu aos 67 minutos, quando o Outeirense vencia por 6-0. «Deu-me um murro na cara. Eu caí no chão e tive de ir para o hospital. O meu desejo é que, quem tem um comportamento como este, seja irradiado. Não podemos permitir comportamentos como este no desporto», diz o árbitro, em declarações à Lusa.

O outro caso é denunciado por José Dias, responsável pelo encontro entre o Atlético de Rio Tinto e o Pedrouços, da 19.º ronda da 1.ª divisão da AF Porto. O juiz diz ter sido «agredido a soco» pelo jogador Patrick, da equipa visitante, tendo sido obrigado a receber tratamento hospitalar. «O jogador devia ser irradiado e ser julgado pela Justiça», defende José Dias.

A Associação Portuguesa de Árbitros (APAF) reagiu num comunicado em que pede «uma resposta firme, célere e adequada» das instâncias disciplinares competentes. «São comportamentos de pessoas que não merecem, nem podem fazer parte do futebol português, e que devem ser banidos da nossa sociedade e do desporto em particular», diz o organismo.

Fonte: Mais Futebol

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Adepto de 74 anos detido após atirar banana ao árbitro


Um fervoroso adepto dos AFC Wimbledon foi detido depois de, durante o jogo contra o Port Vale (2-2), da League Two, ter arremessado uma banana contra o árbitro.

Segundo disse um polícia ao This Is Staffordshire, o fã, reformado, terá ficado zangado com uma das decisões tomadas pelo árbitro, o que o levou a tomar aquela atitude.

O AFC Wimbledon ganhava 2-0, mas o Vale, líder da League Two, conseguiu empatar o jogo graças aos golos de Daniel Jones e de Tom Pope.

O adepto foi, entretanto, libertado, e, segundo a polícia, o incidente não teve motivações racistas.


Fonte: A Bola

APAF pede «resposta firme» às agressões aos árbitros das distritais


A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol pediu esta segunda-feira «uma resposta firme, célere e adequada» das instâncias disciplinares competentes às agressões a juízes de partidas distritais disputadas no fim de semana no Porto e Leiria.
«São comportamentos de pessoas que não merecem, nem podem fazer parte do futebol português, e que devem ser banidos da nossa sociedade e do desporto em particular», sublinha a APAF em comunicado, numa referência aos casos que diz ter ocorrido nos campeonatos distritais das associações de futebol do Porto e de Leiria.
O jornal "A Bola" noticia hoje que o árbitro do jogo Outeirense-Alfeizerense, da Associação de Futebol de Leiria, foi agredido a soco, tendo o jogo sido interrompido aos 69 minutos, numa altura em que a equipa da casa vencia por 6-1.
O diário desportivo refere mesmo que Bruno Santos teve de ser assistido nas urgências hospitalares de Santo André.
«Temos vindo ao longo dos tempos a somar acontecimentos desta natureza, já vai sendo hora de uma vez por todas, de atuar exemplarmente contra tal cobardia, que em nada contribui para o engrandecer do futebol português, bem pelo contrário», apela a APAF, que promete «tudo fazer para combater a violência no Desporto».
A associação dos árbitros volta a insistir na necessidade de policiamento de todos os jogos das distritais.
«Se estes acontecimentos têm lugar em jogos com policiamento, não queremos pensar sequer no que poderá acontecer em jogos onde não exista força pública», conclui a APAF.

Fonte: Sapo Desporto

Três jogadores da Juventus suspensos por criticar árbitro


A Liga italiana decidiu castigar esta segunda-feira os jogadores da Juventus Leonardo Bonucci, Giorgio Chiellini e Mirko Vucinic, assim como o técnico Antonio Conte e o diretor desportivo Giuseppe Marotta por críticas feitas ao árbitro Marco Guida.

Tudo aconteceu após a partida do último sábado frente ao Génova, quando o juiz não assinalou uma suposta mão de Granqvist na área genovesa, que daria um penálti à vecchia signora nos últimos segundos do jogo.

Indignados por Guida não ter marcado a infração, os jogadores e o staff da Juve foram muito duros nas declarações prestadas após o final do encontro.

No entanto, a situação não passou despercebida à justiça italiana, com Conte e Bonucci a serem suspensos por 2 jogos e obrigados a pagar uma multa de 10 mil euros. Vucinic e Chiellini, que nem estava convocado para o jogo, foram castigados com uma partida e Marotta ficará afastado até 18 de fevereiro. O clube tem ainda de pagar 50 mil euros de multa.

Fonte: Record

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Dois anos de suspensão para júnior que agrediu árbitro

O Conselho de Disciplina da Associação de Futebol de Ponta Delgada aplicou dois anos de suspensão a um dos jogadores envolvidos na agressão a um árbitro verificada no final de um jogo do Campeonato de São Miguel de Juniores.

«É preciso ter alguma pedagogia e é nesta medida é preciso ver que a pena, podendo ser mais grave, também podia ter sido menor. Dois anos está no primeiro terço de uma duração senatória e certamente o jogador verá a sua carreira algo limitada por esta suspensão, portanto eu acho que deverá servir de exemplo para quem queira seguir a carreira de jogador», disse Hélder Borges, vice-presidente do CD da Associação.

Hugo Moniz foi o jogador do São Roque que mereceu castigo mais pesado devido a agressão a soco ao árbitro César Andrade, enquanto Ruben Realejo foi suspenso por oito jogos, tendo em conta que ficou provado que houve uma tentativa de agressão, e Pedro Pacheco viu o seu processo arquivado, por falta de provas de agressão.

A situação decorreu na última jornada do campeonato de São Miguel de Juniores, entre o Desportivo de São Roque e o Santiago, em que a equipa de São Roque tinha mesmo de ganhar para se manter na luta pelo título. O jogo terminou empatado, após uma grande penalidade assinalada pelo árbitro a favor do Santiago e que motivou as agressão.

César Andrade já considerou os castigos aplicados pelo conselho de disciplina da Associação de Futebol de Ponta Delgada «demasiados leves para a gravidade da situação».

«Para a gravidade da situação, e vai sair a nova lei do policiamento, é uma questão que pode ficar no ar: o que é que poderá acontecer a partir de agora vendo que os castigos não foram pesados? Se foi dois anos de castigo para uma situação em que fiquei inconsciente durante algumas horas no hospital, o que é preciso para apanhar três ou quatro anos? Talvez matar ou esfaquear, não sei», afirmou o árbitro César Andrade.

Mesma opinião tem Bruno Cabral, vice-presidente do núcleo de árbitros de São Miguel que defende «castigo exemplar» para os jogadores envolvidos na agressão ao árbitro em causa.

«Vamos analisar a situação friamente, mas, como árbitro, antes de tudo, é uma situação que me deixa muito constrangido. Não estava à espera que fosse assim, portanto, eu acho que o Conselho de Disciplina não aplicou os castigos como deveria ser, ou seja, teria de ser um castigo exemplar. No caso da agressão a soco, o castigo deveria ser o máximo, que são os seis anos», sublinhou.

Fonte: Mais Futebol

Markus Merck considerado o melhor árbitro do séc. XXI


O primeiro português na lista é Vítor Pereira, atual presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, ocupando o 30.º lugar da lista de melhores juízes do século. 
Pouco abaixo está outro luso, Pedro Proença (que, recorde-se, foi eleito árbitro do ano de 2012), na 32.ª posição. Da lista consta ainda Olegário Benquerença, em 67.º lugar.

Top 10 árbitros do século XXI:

1.º Markus Merk 
2.º Jorge Luis Larrionda 
3.º Óscar Julián Ruiz 
4.º Frank De Bleeckere 
5.º Howard Melton Webb 
6.º Massimo Busacca 
7.º Lubos Michel 
8.º Dr. Pierluigi Collina 
9.º Roberto Rosetti 
10.º Kim Milton Nielsen

Fonte: NAF Guarda

Milhares homenagearam árbitro holandês falecido na sequência de agressões


O árbitro auxiliar holandês que morreu  na segunda-feira após ter sido agredido por jovens jogadores de um clube  de Amesterdão foi hoje alvo de uma homenagem em Almere, que reuniu milhares  de pessoas. 
"Papá, vamos sentir a tua falta", desabafou um dos filhos de Richard  Nieuwenhuizen, do cimo de um palco instalado para a homenagem num dos terrenos  do clube Almere City FC.  
O incidente ocorreu após o jogo de jovens entre o SC Buitenboys B3 (Almere)  e o Nieuw Sloten B1 (Amesterdão), com vários jogadores deste clube, com  idades entre os 15 e 16 anos, a agredirem repetidamente o juiz de linha,  com golpes na cara. 
Um pouco mais tarde, Nieuwenhuizen sentiu-se mal e teve de ser levado  para o hospital, onde lhe foram detetadas lesões cerebrais e onde acabou  por morrer na tarde de segunda-feira. 
Richard Nieuwenhuizen, que tinha 41 anos, já tinha sido insultado várias  vezes durante o jogo e assim que o árbitro deu o encontro por terminado  foi agredido com violência.  Mais de seis mil pessoas, de acordo com a Policia, e 12 mil, de acordo  com os organizadores, participaram na vigília, seguida de marcha silenciosa  até ao local onde decorreu a agressão. 
Entretanto, três adolescentes, com idades entre os 15 e os 16 anos,  foram já indiciados pelo homicídio do árbitro, de acordo com uma decisão  anunciada esta semana por um tribunal de Almere (centro da Holanda). 

Fonte: SIC Notícias

Pedro Proença de cabeça quente à saída do Bonfim


O árbitro Pedro Proença travou-se, esta noite, de razões com alguns adeptos do V. Setúbal, que aguardavam pela saída do estádio do Bonfim, onde o seu trabalho na partida entre os sadinos e o FC Porto (0-3) foi muito contestado pela equipa da casa.

Proença, visivelmente agastado, chamou o responsável pelo contingente policial presente no Bonfim e disse em alto e bom som: «É impensável estar a ser insultado por meia dúzia de energúmenos!»

Os termos utilizados pelo árbitro soltaram ainda mais a indignação dos adeptos presentes. «Seu palhaço! Só estamos a dizer que fez um mau trabalho. Vamos para casa de consciência tranquila. A nós não nos chamam ladrões», atirou um dos adeptos, perante a natural estupefação dos jornalistas presentes com toda a situação.


Fonte: A Bola

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Video: Grande penalidade? Não há dúvida...

Toques de mão na bola dentro da área costumam gerar muita discussão sobre a intenção do atleta e a justiça de marcação da grande penalidade. Neste domingo, porém, o árbitro do jogo entre Walsall e Bournemouth não teve nenhuma dúvida sobre a vontade do atleta em agarrar a bola.

Em jogada pela direita, um jogador do Walsall passou pelo adversário e, a um passo da área, foi derrubado pelo atrasado marcador. Considerando que a falta clara havia sido marcado pelo árbitro da partida, o jogador Eunan O'Kane, do Bournemouth, pegou a bola com a mão.

Como estava dentro da área, o juiz não teve dúvida na hora de apontar a grande penalidade. Com o este golo, o atacante do Walsall decretou a vitória da sua equipa por 3 a 1.

Michel Platini: Árbitros podem agir contra o racismo

O Presidente da UEFA, Michel Platini, explicou como os árbitros podem agir perante situações de racismo em jogos da UEFA, podendo mesmo decretar a suspensão definitiva de um encontro.

O Presidente da UEFA, Michel Platini, sublinhou as medidas que os árbitros estão autorizados a tomar em caso de incidentes de racismo em jogos da UEFA, que podem mesmo passar pela interrupção definitiva do encontro.
À conversa com a estação de rádio francesa RTL, Platini elogiou também a atitude de Kevin-Prince Boateng, médio ganês do AC Milan, que decidiu abandonar o terreno de jogo em resposta à conduta racista evidenciada pelos adeptos adversários numa partida amigável disputada no início deste mês. Boateng foi seguido de imediato pelos seus colegas de equipa e o jogo terminou aí.
"Criámos normas para serem colocadas em prática pelos árbitros na UEFA Champions League e na UEFA Europa League", explicou Platini. A UEFA foi o primeiro organismo regulador do futebol a fornecer aos árbitros directrizes sobre os passos a tomar em caso de ocorrência de eventos racistas durante os jogos. Em Julho de 2009, o Comité Executivo da UEFA aprovou uma série de directrizes que os árbitros devem seguir para lidar com incidentes relacionados com o racismo dentro dos estádios, dando mesmo aos juízes o poder de darem o encontro por terminado, nos casos mais graves.
Se um árbitro se aperceber de quaisquer comportamentos racistas sérios ou se tal for informado por parte do quarto árbitro, deve, em primeiro lugar, parar o jogo e pedir para que seja efectuado um anúncio público através dos altifalante do estádio pedindo para que se termine de imediato com os referidos comportamentos. Caso esses comportamentos racistas não cessem com esse aviso após o retomar do encontro, o segundo passo do árbitro será a suspensão do encontro por um período razoável de tempo, por exemplo cinco ou dez minutos, pedindo às equipas que recolham aos balneários. É feito um novo anúncio público através do sistema sonoro do estádio.
Como terceira e última medida, em caso de persistência dos comportamentos racistas, o árbitro pode decretar, em definitivo, o fim do jogo.
Debruçando-se sobre Kevin-Prince Boateng, Michel Platini referiu que fez questão de elogiar o jogador pela sua decisão de abandonar o terreno de jogo. "Gostei muito da sua atitude. Enviei mesmo uma mensagem ao presidente do AC Milan, Adriano Galliani, a congratular-me com a situação. Achei a decisão um passo extremamente positivo."
O Presidente da UEFA reiterou a política de tolerância-zero do organismo que dirige para com o racismo. "Cabe-nos a nós afastar de vez do futebol todos estes indivíduos que vão aos jogos com outros intuitos, que nada têm que ver com o desporto."

Fonte: UEFA

Video: Árbitro rasteira jogador...

Imprudência? :-)




terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Vítor Pereira anuncia Academia de Arbitragem em Abril

Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, anunciou nesta terça-feira, durante a entrega das insígnias da FIFA, que o mês de abril marcará o arranque da Academia da Arbitragem.

«É com enorme alegria que anuncio para breve, para abril, a tomada de posse da Academia da Arbitragem. Não será um gabinete fechado no seio da FPF, mas antes um órgão do Conselho de Arbitragem, aberto e disponível, para dotar a federação de uma oferta formativa abrangente. Um antigo sonho de muitos, agora concretizado», afirmou.

Um projeto que visa promover a formação de novos árbitros, uma das bandeiras eleitorais desta direção da Federação Portuguesa de Futebol, e que conta com o apoio da APAF. 

«Vai trazer mais formação e mais condições de trabalho. Não só para os profissionais, mas também para os campeonatos nacionais. Será muito benéfico», explicou José Gomes, presidente da APAF e agora também árbitro internacional de futebol de praia.

O presidente da FPF falou também do «trabalho profundo de captação e formação de novos valores» da arbitragem, mas recordou também outras bandeiras eleitorais. «A credibilização da arbitragem e da justiça desportiva foram pontos centrais do programa», lembrou Fernando Gomes, que deixou um voto de confiança no trabalho de Vítor Pereira, «tantas vezes incompreendido».

O líder federativo destacou ainda o contributo para a profissionalização dos árbitros, através dos grupos de trabalho criados, assim como outras reuniões em que o organismo tem participado, e reiterou a disponibilidade da FPF para «admitir o reforço do recurso às tecnologias, no sentido de ajudar os árbitros a desempenhar a sua indispensável função cada vez melhor». «Estamos pois atentos às primeiras experiências que a FIFA autorizou nesse campo onde podemos ser parceiros ativos nos necessários estudos regulamentares e financeiros que se seguirão, pois a introdução de novas tecnologias na arbitragem não pode colocar em risco a fluidez e a essência do jogo que continua a apaixonar tantos milhões em todo o mundo», reforçou.

Fonte: Mais Futebol

Bertino Miranda dá palestra em Leiria


Bertino Miranda, árbitro assistente FIFA é o convidado especial do colóquio “Arbitragem: Experiências e Gestão de Carreira”, organizado pela Associação de Futebol de Leiria, em conjunto com o Instituto Politécnico de Leiria.
Este colóquio realiza-se no dia 25 de janeiro, sexta-feira, pelas 21h30, e será bonificado de acordo com o número 1.2.3. do II Capítulo das Normas de Classificação para todos os árbitros e observadores das categorias distritais de futebol.
Os árbitros e observadores da variante de futsal são também convidados a assistir.
No auditório 2 da ESECS, Leiria, com entradas gratuitas para os alunos do IPL.
Fonte: Região De Leiria

Proença e o clássico: «Estava indisponível nessa semana»

Pedro Proença voltou, nesta terça-feira, a falar da polémica gerada depois de não ter sido nomeado para o último Benfica-F.C. Porto.

«Estava indisponível nessa semana. Tinha pedido dispensa por motivos profissionais», disse Proença, na sede da Federação Portuguesa de Futebol. «Se não tivesse pedido dispensa, estaria disponível», acrescentou.

Recorde-se que Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, tinha referido que Proença não podia ser nomeado por encontrar-se de férias. Mas em entrevista ao DN o árbitro lisboeta apresentou, depois, uma versão diferente. «É bom que acabe esse mito de que o Pedro Proença está de férias. Eu estou, de facto, fora de Portugal, mas por motivos profissionais. E aliás, se o Conselho de Arbitragem tivesse apostado em mim, eu teria apitado o Benfica-FC Porto»,explicou então Proença, ressalvando, no entanto, que a nomeação para o V. Setúbal-F.C. Porto o afastava das escolhas.

Proença garante, por isso, ter encarado «com normalidade» a ausência do clássico, embora tenha acrescentado depois que receberia «com a maior alegria» essa nomeação. «Faço parte de um grupo de 25 árbitros, todos do mesmo nível. A gestão das nomeações é feita pelo presidente do Conselho de Arbitragem, e bem. Acredito que terei a possibilidade de dirigir outros clássicos», afirmou.

«É redutor pensar que só há dois ou três árbitros em Portugal. Temos árbitros de grande categoria, e a responsabilidade da escolha é do presidente», reforçou.

Fonte: Record

Novos Internacionais recebem insígnias


Foram sete os árbitros que esta terça-feira receberam pela primeira vez as insígnias FIFA 2013: Hugo Miguel e Marco Ferreira, árbitros de futebol; Cristóvão Moniz, árbitro assistente de futebol; António Almeida e José Gomes, árbitros de futebol de praia; Maria João Freire e Olga Almeida, árbitras assistentes de futebol feminino.
Após a cerimónia de entrega das insígnias que decorreu no Auditório Manuel Quaresma, e contou com a presença do Presidente da FPF, Fernando Gomes, bem como do Presidente do Conselho de Arbitragem, Vítor Pereira, os novos árbitros internacionais mostraram-se satisfeitos com o facto de poderem representar a arbitragem portuguesa internacionalmente.
Hugo Miguel considerou que “a responsabilidade aumentou”, pois para além de representar a arbitragem nacional no País, irá fazê-lo no estrangeiro. O juiz lisboeta também se congratulou com a criação da Academia de Arbitragem e com o facto de a FPF estar disposta a apoiar a implementação de novas tecnologias. 

Marco Ferreira, da Associação de Futebol da Madeira, destacou que as insígnias da FIFA darão “maior visibilidade”.

José Gomes mostrou-se satisfeito com o desenvolvimento que o futebol praia tem tido em  Portugal, desejando que este continue a crescer, explicando que “é mais fácil dirigir um jogo de futebol de praia do que de futebol de 11.”

Maria João Freire registou com agrado o facto de Portugal poder constituir pela primeira vez uma equipa de arbitragem completa.
Pedro Proença falou do orgulho de pertencer a esta geração de árbitros e da importância para a arbitragem portuguesa ter sido distinguido como melhor árbitro  mundial.
Fonte: FPF

FPF entregou as insgnias da FIFA a 29 árbitros


A Federação Portuguesa de Futebol procedeu, esta terça-feira, à entrega das insígnias da FIFA a 29 árbitros nos mais diferentes quadrantes. O número, de qualquer forma, representa novo máximo histórico para a arbitragem portuguesa.

No futebol masculino, Portugal manteve nove árbitros e dez árbitros assistentes, entrando Hugo Miguel e Marco Ferreira para os lugares de João Ferreira (por limite de idade) e Bruno Paixão (por aplicação do regulamento de arbitragem). 

Na variante de futsal, Portugal mantém os mesmos quatro árbitros de 2012, o número máximo que a FIFA atribui por País. 

Na variante de futebol de praia, mantêm-se os 2 lugares de 2012, tendo a FIFA aceite a proposta nacional de renovação de dois novos árbitros – que saíram do processo de seleção elaborado pelo CA no início desta época.

No futebol feminino, Portugal perdeu uma árbitra principal, passando de três para duas, mas, em contrapartida, passa a ter duas assistentes (no ano passado não teve nenhuma).


Fonte: A Bola

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Entrega das insígnias FIFA 2013


A entrega de insígnias aos 29 árbitros internacionais portugueses realiza-se no dia 22 de janeiro, pelas 18h00, na sede da FPF.
 
O Auditório Manuel Quaresma, na sede da FPF, acolhe na terça-feira (22 de janeiro) pelas 18h00, a cerimónia de entrega de insígnias aos 29 árbitros internacionais portugueses. A cerimónia contará com a presença do Presidente da FPF, Fernando Gomes, bem como do Presidente do Conselho de Arbitragem, Vítor Pereira. A entrega das insígnias aos árbitros estará a cargo dos conselheiros que compõem o Conselho de Arbitragem da FPF.

O total de insígnias a entregar, 29, é um máximo histórico para a arbitragem portuguesa, após um ano memorável, onde Pedro Proença chefiou equipas de arbitragem nacionais nas finais do Campeonato da Europa Polónia/Ucrânia e da Liga dos Campeões. 

Assim, no futebol masculino, Portugal manteve nove árbitros e dez árbitros assistentes, entrando Hugo Miguel e Marco Ferreira para os lugares de João Ferreira (por limite de idade) e Bruno Paixão (por aplicação do regulamento de arbitragem). Este resultado mantém Portugal no top ten mundial de futebol masculino, na medida em que poucos países ultrapassam o nosso país com o máximo da quota estabelecida pela FIFA de 10 árbitros + 10 assistentes.   

Na variante de futsal, Portugal mantém os mesmos quatro árbitros de 2012, o número máximo que a FIFA atribui por País. 
Na variante de futebol de praia, mantêm-se os 2 lugares de 2012, tendo a FIFA aceite a proposta nacional de renovação de dois novos árbitros – que saíram do processo de seleção elaborado pelo CA no início desta época.
No futebol feminino, perdemos uma árbitra, passando de três para duas, mas, em contrapartida, passámos de zero árbitras assistentes para duas, com a FIFA a aceitar a indicação de 2 duas novas assistentes que saíram do processo de reformulação de quadros que o CA levou a efeito no início desta época. Esta distribuição (2+2) permitirá ao CA a nomeação de uma equipa de arbitragem completamente feminina para os jogos dessas competições.

Fonte: FPF

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Pedro Proença eleito melhor árbitro do mundo


Primeira vez que um português lidera a votação. Proença apitou as finais da Liga dos Campeões e do Euro em 2012.

Dirigir as finais da Liga dos Campeões e do Campeonato da Europa foram decisivas para Pedro Proença ser considerado o melhor árbitro do mundo em 2012 pela Federação Internacional de História e Estatística de Futebol (IFFHS). Esta é a primeira ocasião que um português terminou no primeiro lugar desta eleição, realizada pela 26.ª vez pela IFFHS.

Proença (174) teve mais de 100 pontos de vantagem sobre o segundo da lista, o turco Cüneyt Çakir (73), uma diferença que mão acontecia desde 2002, quando o italiano Pierluigi Collina obteve 222 pontos, contra os 72 do suíço Urs Meier. O ano de 2002 tinha sido também o último em que um árbitro português tinha conseguido entrar no top 10 – Vítor Pereira ficou na 10.ª posição.

Segundo a IFFHS, a votação foi feita por jornalistas e especialistas de futebol de todo o mundo.

O inglês Howard Webb (72), o húngaro Viktor Kassai (50) e o alemão Wolfgang Stark (40) completam o top 5 de 2012.

Além deste primeiro lugar de Proença e do 10.º de Vítor Pereira em 2002, só em mais uma ocasião um árbitro português foi considerado entre os dez melhores do mundo pela IFFHS: em 2001, o actual presidente da Comissão de Arbitragem da FPF também ficou em 4º.

                 Árbitros                                           Nacionalidade   Pontuação
1.    Pedro Proença Oliveira Alves Garcia        Portugal                174
2.    Cüneyt Çakir                                              Turquia                 73
3.    Howard Melton Webb                                Inglaterra              72
4.    Viktor Kassai                                              Hungria                50
5.    Wolfgang Stark                                           Alemanha            40
6.    Ravshan Irmatov                                        Uzbequistão         35
7.    Damir Skomina                                          Eslovénia             26
8.    Wilmar Roldán                                           Colômbia             20
9.    Dr. Felix Brych                                           Alemanha            15
10.    Stéphane Lannoy                                      França                  13
         Nicola Rizzoli                                           Itália                    13
12.    Milorad Mažic                                          Sérvio                  11
13.    Carlos Valesco Carballo                           Espanha                8
14.    Mark Clattenburg                                     Inglaterra              6
15.    Carlos Vera                                               Equador               5

Fonte: Publico, IFFHS

PS: O RefereeTip pede desculpa a todos os nossos seguidores pela ausência de informação nos últimos tempos. Neste momento a vida pessoal dos Administradores não permite uma actualização constante do blog. Se existir algum interessado em cooperar neste projecto por favor envie um email para refereetip@gmail.com. Obrigado.