sexta-feira, 30 de março de 2012

Wenger: Três jogos de castigo e 40.000 Euros de multa por contestar arbitragem!

40.000 Euros (!!!) de multa que a UEFA impôs a Arséne Wenger por este contestar a actuação de um árbitro na Liga dos Campeões... 
Isto é uma boa pista para percebermos as diferente atitudes e reacções que alguns clubes, treinadores e dirigentes têm perante os erros dos árbitros nas competições nacionais e os erros nas competições internacionais!!
Para reflectir...



Notícia:



O treinador francês Arsène Wenger, técnico do Arsenal, foi esta sexta-feira suspenso por três jogos nas competições europeias devido a conduta incorreta no jogo com o AC Milan, anunciou a UEFA.
O técnico do clube londrino, que já tinha manifestado a intenção de recorrer na eventualidade de uma condenação, foi também multado em 40 mil euros pelo órgão disciplinar da UEFA.
"Se for suspenso, não o serei de forma justificada e recorrerei de imediato. Penso que transformaram os árbitros das provas da UEFA em pessoas intocáveis, às quais não é sequer possível falar", observou o treinador francês.
Wenger criticou o árbitro esloveno Damir Skomina após o jogo da segunda mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, que o Arsenal ganhou por 3-0, resultado insuficiente para evitar a eliminação, uma vez que tinha perdido em Milão por 4 golos.

Fonte da Notícia: Record

quinta-feira, 29 de março de 2012

Gustavo Sousa apoia não divulgação das nomeações de árbitros


Gustavo Sousa, presidente da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) concorda com a medida da Comissão de Arbitragem da Liga, em não divulgar publicamente as nomeações dos árbitros da 25ª jornada do campeonato.
"É bastante positivo, de modo a tentarmos colocar o futebol onde ele deve estar, com calma e tranquilidade. Os árbitros, os jogadores, os treinadores, os dirigentes, todos têm de estar tranquilos, e penso que esta decisão pode ajudar a essa tranquilidade", referiu à Rádio Renascença.

"Este final de campeonato está muito dividido. Não me lembro de três equipas terem a possibilidade de serem campeãs nacionais. E isso mexe com todas as pessoas que estão envolvidas no futebol, por isso penso que pode ser uma ajuda a não divulgação dos árbitros nomeados, para que as pessoas não se preocupem com esse assunto", acrescentou.

Fonte: Relvado

Hoje: Pedro Proença no Schalke - At. Bilbao



O árbitro português Pedro Proença vai dirigir hoje à noite, em Gelsenkirchen, o confronto entre o Schalke e o At. Bilbao, jogo da primeira mão dos quartos de final da Liga Europa. Curiosamente, uma destas duas equipas vai jogar nas meias finais da competição com o vencedor da eliminatória entre o Sporting e o Metalist.


A equipa completa é: 


Árbitro: Pedro Proença
A.A.1: Bertino Miranda
A.A.2: Ricardo Santos
A.A.R.: Jorge Sousa
A.A.R.: Duarte Gomes

Alexandre Mestre: «É vital a criação de um Tribunal Arbitral do Desporto»

O atual momento menos positivo no futebol português está a preocupar todos os responsáveis ligados à modalidade. Nesta quinta-feira, nas Jornadas de Direito e Desporto da Universidade Lusíada, em Lisboa, o secretário de Estado do Desporto e Juventude, Alexandre Mestre, voltou a manifestar-se em relação ao tema e também o presidente da Mesa da Assembleia-Geral da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), José Luís Arnaut, deu a sua opinião.

Alexandre Mestre reiterou a importância da criação de um tribunal arbitral do desporto em Portugal: «Não sendo a panaceia para resolver todos os conflitos no âmbito do desporto, é vital a criação de um Tribunal Arbitral do Desporto para descongestionar os nossos tribunais - por isso tem havido uma articulação forte com o Ministério da Justiça - e que possibilite que as decisões sejam mais céleres porque os calendários desportivos não se compaginam com decisões morosas.»

Por seu lado, José Luís Arnaut, que ainda não se tinha pronunciado, apelou ao «fair-play» dos dirigentes para evitar que o clima de crispação não conduza à violência.

«Como presidente da AG, apelo à responsabilidade da dimensão social dos clubes e do exemplo que têm que dar relativamente a esta matéria. Porque se os jovens portugueses veem este incentivo, este exemplo, nestes que são alguns elementos de referência, estes exemplos levam à violência. E o desporto é na sua génese tudo menos um exemplo de violência», afirmou.

Arnaut entende, por isso, o motivo que pode levar os árbitros a fazerem greve, mas salienta que não se pode encontrar «bodes expiatórios». «O que está em causa é porque que é que os árbitros foram empurrados para esta circunstância. E foram-no porque houve crispação, um momento em que tentaram encontrar bodes expiatórios», justificou.

Como orador, Arnaut abordou o tema das medidas de proteção ao jovem jogador português e mostrou-se preocupado com o futuro do futebol em Portugal.

«Há uma tentativa do Governo de implementar um conjunto de medidas e incentivos para que os clubes cumpram a sua missão e se a faça formação a jogadores portugueses. Se não forem tomadas medidas colocamos o problema que daqui umas gerações não teremos jogadores de origem nacional que possam participar nas nossas seleções», revelou.


Fonte: Mais Futebol

CAJAP pronuncia-se sobre situação actual da arbitragem portuguesa

A Confederação das Associações e Juízes de Portugal (CAJAP) condenou hoje o ato de pirataria informática que resultou na usurpação e publicitação na internet dos dados pessoais dos árbitros de futebol das categorias profissionais.




Em comunicado, a CAJAP “repudia e condena de forma veemente os energúmenos que utilizam estas informações para injuriar, difamar e ameaçar os árbitros e as suas famílias”, e expressa a sua solidariedade para com a sua filiada Associação Profissional dos Árbitros de Futebol (APAF), de cujo sistema informático foram extraídos os dados. 

“Nada justifica os hediondos atos de que têm sido vítimas os árbitros e suas famílias, muito menos se percebe que estes atos criminosos encontrem justificação em eventuais erros cometidos no desempenho das suas funções desportivas”, pode ler-se no documento. 

Para a CAJAP, é urgente que todos os agentes do futebol “assumam as suas responsabilidades, e tenham plena consciência das consequências das duas palavras e dos seus atos”, principalmente num momento em que é lançado o Plano Nacional de Ética no Desporto. 

A confederação coloca-se ao lado dos seus associados, principalmente dos árbitros de primeira categoria nacional de futebol e suas famílias “na certeza de que, mau grado estarem momentaneamente impedidos de prosseguir as suas vidas de forma tranquila e sem recear pela sua vida e integridade física ou dos seus familiares, saberão continuar a dignificar a causa da arbitragem”. 



Fonte: Futebol 365

Presidente da AG da FPF: «Este clima de crispação é muito preocupante»



À margem das II Jornadas do Direito e do Desporto da Universidade Lusíada, em Lisboa, José Luís Arnaut criticou o ambiente atual criado em torno da arbitragem e realçou que há comportamentos pouco dignos relativamente aos árbitros.
«Este clima de crispação é muito preocupante, injusto e não é faz parte do espírito que está na génese do desporto. Isto é um mau exemplo», afirmou o presidente da Assembleia Geral da FPF, acrescentando:
«O que observamos é que existem pessoas, que estão no desporto, que não são dignas das suas regras. É muito fácil atirar responsabilidades a elementos alheios.»
José Luís Arnaut disse ainda perceber a ameaça dos árbitros em fazerem greve caso continue a suspeição em torno das suas atuações.
«Os árbitros foram empurrados para esta situação porque foram usados como bodes expiatórios. Não se pode criar um estigma sobre uma determinada classe», concluiu.

Fonte: Sapo

"Árbitros atingiram o limite da paciência!"

Aviso é de Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem, notando que "se perdem o prazer que têm de estar nesta atividade, vão-se embora".


Os homens do apito "estão no limite" e "a qualquer momento" podem recusar-se a apitar. O alerta é de Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem (CA), que em declarações à Rádio TSF atesta que, se a situação presente de instabilidade no sector, não se alterar, os árbitros podem mostrar-se "indisponíveis, por motivos pessoais e familiares, para continuarem a sua atividade".

Vítor Pereira atesta que não sendo profissionais, "não fazem greve", mas sustenta que "se não têm condições, se perdem o prazer que têm de estar nesta atividade, não têm disponibilidade e vão-se embora".
"Os árbitros atingiram o limite da paciência e da tolerância relativamente a tantos ataques de forma inusitada e injusta e pondo em causa a vida das pessoas e das suas famílias", acrescenta. Vítor Pereira repara que com a divulgação dos dados dos árbitros na internet, "a situação degradou-se muito", lamentando as "ameaças" que os homens do apito têm sofrido no seu quotidiano.

Afiançando que "os árbitros convivem muito bem" com as críticas e reparando que "algumas delas até conferem algum fator pedagógico" e podem ajudar a "aprender com os erros", o presidente do CA constata que "o que incomoda é o que extravasa o fator desportivo da atividade e passa para a esfera pessoal". "O senhor está preparado para, quando sair à rua com o seu filho pela mão, ser ameaçado e ser ofendido?" Questiona Vítor Pereira, dirigindo-se ao jornalista que o entrevistava.
Numa mensagem aos adeptos, o líder do CA realça que "não há arbitragens infalíveis" e que "os árbitros falham como todas as outras pessoas". "Não podem querer que os árbitros sejam infalíveis e perfeitos, porque a perfeição não existe", salienta, concluindo que "não há atividades perfeitas e o futebol também não é um desporto perfeito".

Considerando que os dirigentes devem "combater" este ambiente adverso e de ameaça, contribuindo para "um clima de tranquilidade", Vítor Pereira lamenta ainda que "todo este clima de ódio, de violência, de intolerância à volta dos árbitros tem como repercussão imediata a desistência e a ausência de jovens árbitros". "Daqui a pouco não teremos árbitros para as nossas competições", constata, notando que é "muito difícil" encontrar "talentos e um grande lote de grandes árbitros".

Fonte: Relvado

Presidente da Liga pede respeito para árbitros


O presidente da Liga de Clubes foi esta manhã recebido no Palácio de Belém pelo Presidente da República. Sem querer desvendar os temas abordados, Mário Figueiredo mostrou-se pediu respeito para os árbitros e mostrou-se esperançado que estes não concretizem a ameaça de greve para a 26.ª jornada.

«Todos os agentes do futebol merecem respeito, desde jogadores, clubes, treinadores, dirigentes e obviamente os árbitros. Como tal, esperamos por uma resolução pacífica sobre esse assunto», disse Mário Figueiredo sobre a recente polémica em torno dos árbitros.

A audiência com Cavaco Silva durou cerca de 30 minutos, mas Mário Figueiredo escusou-se a revelar se a arbitragem foi um dos temas abordados. Aliás, o responsável máximo da Liga escusou-se a desvendar os temas abordados.



Fonte: SIC Notícias

Vítor Pereira explica não divulgação das nomeações


Vítor Pereira, em declarações à TSF, explicou o porquê do não divulgar das nomeações dos árbitros para a próxima jornada. O presidente da Conselho de Arbitragem da FPF revelou que esta decisão visa a defesa dos árbitros e da melhor arbitragem possível nos jogos do futebol português.

"Após as nomeações da jornada anterior, os árbitros começaram a receber mensagens de telemóvel, ou por via eletrónica, intimidatórias e provocatórias. Por isso, esta decisão visa criar condições para que os árbitros apitem o melhor possível, depois de terem visto serem divulgadas as suas informações pessoais na internet", explicou Vítor Pereira que garante que os árbitros têm noção da sua exposição. "Os árbitros sabem que são figuras públicas. Mas uma coisa é serem criticados pelas suas decisões no exercício da sua atividade enquanto árbitros, outra é não verem-se incomodados e ameaçados na sua sua vida vida privada e da sua família", disse o presidente do Conselho de Arbitragem da FPF.


Vítor Pereira garantiu ainda que esta medida só está prevista para "esta jornada", no entanto não está descartada a possibilidade de "ser repetida em ocasiões futuras.


Fonte: O Jogo

Vitor Pereira: "Os árbitros não gerem clubes!"



O presidente do Conselho de Arbitragem, Vítor Pereira, criticou esta quinta-feira o clima de suspeição em torno da arbitragem e mostrou-se preocupado com o futuro da classe em Portugal.
Em declarações à TSF, Vítor Pereira afirmou que não se pode falar em "greve de árbitros" uma vez que não é uma classe profissionalizada em Portugal.
Sobre as recentes críticas de dirigentes, treinadores e jogadores aos árbitros, Vítor Pereira mostrou-se preocupado por considerar que «estão a provocar o afastamento de árbitros, que já são poucos» e que «daqui a pouco não teremos árbitros para as nossas competições».
Vítor Pereira criticou ainda alguns dirigentes de futebol pelo clima de ódio em torno da classe lembrando que os «árbitros não gerem clubes».
«A minha preocupação é que os árbitros vivam com tranquilidade, que entrem em campo com a plenitude das suas faculdades  e é isso que este clima não proporciona. Os árbitros só têm a sua responsabilidade. Os árbitros não gerem clubes. Os árbitros não fazem contratações de jogadores. Os árbitros treinam como nunca neste paradigma de não profissionalismo. Esta é uma geração de pessoas que merece respeito de todos os dirigentes desportivos», sentenciou.

Fonte: Sapo

Há um árbitro debaixo de fogo e não é português!


O jogo entre o Milan e o Barcelona, da quarta-feira, dos quartos-de-final da Liga dos Campeões ficou marcado pela polémica em torno do juiz da partida. Os catalães queixam-se de dois penáltis não assinalados.
Pep Guardiola, treinador do Barca, foi o mais contido, limitando-se a afirmar no final do jogo que o sueco Jonas Eriksson “não viu” a falta do guarda-redes Abbiati sobre Alexis Sanchez.

Bem mais contundente foi a generalidade da comunicação social espanhola e os jogadores catalães. O jornal “Sport” mostra uma foto do chileno a ser rasteirado pelo guardião italiano perguntando: “É penálti, agora?”

“Eriksson não viu um penálti enorme sobre o chileno”, sublinha o diário desportivo “AS”.
O outro lance que origina a ira do Barcelona foi um puxar de camisola de Puyol por parte do defensor do Milan, Mesbah. Um lance também bem documentado com fotos em que se vê o equipamento do defesa do Barca bem esticado e preso na mão do milanista.

Lances evidentes e que levaram o jornal “Mundo Deportivo” a escrever que o “árbitro fechou os olhos a vários penáltis”.

Já o diário “Marca” foi o mais comedido: “Os ‘blaugrana’ têm razões de queixa em dois penáltis não assinalados”. Mas para esta publicação, mais próxima do Real Madrid, “o Milan mostrou-se à altura dos seus adversários”. 

Fonte: Público

Três árbitros agredidos no Algarve

Três juízes da AF Algarve foram agredidos a soco e a pontapé em jogos dos distritais e equacionam recusar arbitrar quando não houver polícia.

Rui Teixeira, juiz no Farense-Louletano, disse ao CM que um jogador dos locais sofreu falta e embateu contra um muro. "A mãe e vários adeptos invadiram o campo para agredir a equipa de arbitragem e o jogador do Lusitano infractor", relatou. No Alvorense-Lusitano, da 1ª Distrital, o agressor foi um atleta da equipa da casa. "Quando o expulsei, agarrou-me a camisola e deu-me um violento pontapé nas pernas", disse o juiz Luís Costa, que teve de receber assistência no Centro de Saúde.

Também Paulo Ramos foi vítima de agressão, no Portimonense-Escolas João Moutinho, em Benjamins. "Um espectador esperou-me perto dos balneários e deu-me um soco no peito", explicou o juiz algarvio. 

Fonte: CM

Adidas Tango 12 - Conheça a bola oficial do Euro 2012


Veja o vídeo de apresentação da Tango 12, bola oficial do próximo Europeu de Futebol:

Futebol bonito...

Apenas para recordar algumas razões pelas quais todos gostamos de futebol. E estes momentos sim, merecem repetições e repetições!!...




quarta-feira, 28 de março de 2012

CA não divulgará nomeados da 25.ª jornada


O Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol decidiu "não divulgar as nomeações" para os jogos das competições profissionais, com o objetivo de "proteger os árbitros".

   
Habitualmente, o CA divulga as nomeações para os jogos das competições profissionais à quinta-feira, mas, desta vez, decidiu não fazer a divulgação pública, nem aos clubes, dos árbitros nomeados.

Esta decisão foi tomada em função do clima hostil que rodeia os árbitros na sequência da divulgação pública, através da internet, dos seus dados pessoais e das duras críticas que têm sido alvo nas últimas semanas.

Esta decisão é, para já, válida somente para a 25. jornada da Liga, mas a hipótese de se repetir nas próximas jornadas está a ser equacionada pelo Conselho de Arbitragem, fazendo-a depender da evolução do ambiente em torno dos árbitros.

Fonte: RTP

Árbitro Inglês dá cinco vermelhos no balneário - Veja agora o vídeo!





O árbitro Ian Williamson tomou a bizarra decisão de expulsar cinco jogadores já no balneário, após o jogo entre o Crawley e o Bradford (2-1), equipas da quarta divisão inglesa.
Uma briga entre futebolistas das duas equipas levou a que três jogadores da equipa de Bradford e dois dos visitantes, o Crawley, vissem o cartão vermelho na passada terça-feira, quando já sete jogadores tinham sido amarelados durante o jogo.
"Nunca estive numa situação em que o árbitro entra no balneário, chama jogadores e expulsa-os. Ele não me permitia estar lá dentro", disse o treinador do Bradford, Phil Parkinson.
Por outro lado, o treinador do Crawley, Steve Evans, disse que o episódio foi "uma vergonha" e que viu o jogador do Bradford Andrew Davies a correr para os "seus jogadores" e a dar-lhes murros. Davies deverá ficar suspenso por cinco jogos, por se tratar da terceira expulsão esta época.

Arbitragem: Governo não se mete, mas pede «serenidade»



O secretário de Estado do Desporto e da Juventude, Alexandre Mestre, espera que os árbitros possam apitar com «serenidade e tranquilidade» os jogos que faltam do campeonato. É a consideração do governante à ameaça de paralisação dos juízes, caso não haja contenção verbal.

«O Governo está atento, observa e quer que haja tranquilidade e serenidade e que nas seis jornadas que faltam no nosso campeonato, disputadíssimo, sem paralelo, os árbitros tenham condições técnicas e psicológicas para exercerem as suas funções», afirmou.

Mesmo assim, o Governo «só interfere em matéria de arbitragem quando legisla», dado que «delega poderes públicos e transfere dinheiros públicos» e deixa a restante «autonomia» aos organismos responsáveis.

A arbitragem tem marcado a atualidade nos últimos dias e Alexandre Mestre recebeu, nesta segunda-feira, o presidente do Sporting, Godinho Lopes, para abordar o assunto. A audiência já foi criticada pelo antigo secretário de Estado, Laurentino Dias, que acusou o atual de «abrir um precedente perigosíssimo» com essa reunião.

Alexandre Mestre contra-argumentou justificando que nunca recusou uma audiência, para nenhuma das pastas que tutela. «Tenho recebido muitas pessoas, muitos clubes, muitas federações, coletividades, mas nem sempre há jornalistas», atirou.

E assim, aproveitou para deixar uma crítica ao antigo governante: «Deixar para os que vêm a seguir milhões para pagar é que é um precedente gravíssimo.» Isto, porque o atual Governo já pagou, desde julho de 2011, 6,7 milhões de euros de encargos assumidos e não pagos pelo anterior Governo, o que pode colocar em causa o orçamento deste ano.



Fonte: TVI 24

Federação pede aos clubes tolerância no discurso


Fernando Gomes enviou carta a lembrar que os árbitros não erram propositadamente e apelar à calma




Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) apelou à «tolerância» no discurso dos clubes portugueses, de modo a pacificar o futebol. 

«Lanço-lhe um desafio. Torne o seu clube parte ativa na pacificação do nosso futebol e na criação de um clima de tranquilidade para o que resta da época. Isso é possível adotando um discurso positivo e de tolerância perante todos os agentes, incluindo os árbitros», começou por dizer o dirigente, em carta enviada aos presidentes dos 32 clubes profissionais, citada pela Lusa. 

O presidente da Federação frisou que não pretende que os clubes «omitam as suas opiniões» ou «prescindam do direito à livre expressão». «Apelo para que se evite o uso de linguagem ofensiva ou que ponha em causa a honorabilidade, a dignidade, a honra e honestidade dos árbitros», frisou. 

Fernando Gomes garantiu ainda que haverá «empenhamento pessoal» para restabelecer o «clima de pacificação e de serenidade», criticando as constantes queixas sobre as arbitragens e repudiando o «ato criminoso e intolerável da divulgação pública, na Internet, de dados pessoais dos 25 juízes que dirigem as competições profissionais.»

Na última terça-feira o dirigente, recorde-se, reuniu com os árbitros: «Ouvi da boca destes oito homens relatos impressionantes da forma como as suas vidas e rotinas foram alteradas e como o sentimento de insegurança se alastrou aos seus familiares. Todos nós temos família e pessoas que nos são próximas. Coloquemo-nos, por um minuto, na pele destes árbitros.»

«Imaginemos o quanto nos custaria não saber se a nossa mulher, filhos, mãe ou pai ficariam em segurança quando saímos de casa para nos dirigirmos ao nosso local de trabalho, ou para, como é o caso, apitar um jogo de futebol», continuou, lembrando que «todos os seres humanos cometem erros» e nenhum árbitro «erra propositadamente».
«Esta é uma convicção pessoal, como homem e como presidente da Federação Portuguesa de Futebol. No dia em que deixar de acreditar ou duvidar que tal seja verdade, serei o primeiro a denunciá-lo e a afastar-me», prometeu.


Fonte: Mais Futebol

Hugo Viana pede castigos para quem falar de arbitragem!



«São ridículas as proporções que as críticas à arbitragem estão a tomar. Os árbitros merecem respeito de todos, seja dos dirigentes do Braga, do Benfica, do Guimarães, do Gil Vicente ou do Porto. Isto está a ir pelo caminho errado. A federação ou a Liga deviam impor castigos a quem falar da arbitragem.» 

Pedro Henriques comenta posição dos árbitros portugueses


Os árbitros admitem parar na 26.ª jornada dos campeonatos profissionais de futebol, caso não exista contenção verbal por parte de dirigentes, jogadores e treinadores. A decisão foi comunicada após uma reunião entre vários árbitros internacionais e uma delegação da Associação de Árbitros de Futebol Profissional (APAF), e a direção da FPF. Pedro Henriques diz que "situações extremas devem ser evitadas", mas sublinha que "esta é diferente das que se vivem em outros anos".

O ex-árbitro português admitiu "alguma hipocrisia por parte de alguns dirigentes", e explicou que os clubes só criticam a arbitragem quando os erros penalizam a sua equipa. "Depois vêm as férias, e esquece-se tudo", concluiu.

A situação atual é, segundo Pedro Henriques, diferente daquelas que se vivem nos outros anos, já que foram divulgados dados pessoais e a segurança de familiares foi posta em causa. Por esse motivo, o antigo juíz e comentador concorda com a posição tomada.

Pedro Henriques sublinha "que não há ninguém que esteja acima da crítica, e os árbitros também não o estão. O problema é quando são criticados lances em que a decisão foi a correta".

Apesar de compreender a tomada de posição dos árbitros, Pedro Henriques preferia que "não avançassem com a greve". "O futebol é atualmente, em Portugal, a atividade de maior sucesso em todos os aspetos. E é deste produto que todos têm de tratar; dirigentes e árbitros", conclui.

Fonte: RTP

Opinião: Desonestidade Intelectual


Desonestidade intelectual

Confesso que – no que trata ao desporto - tenho já alguma impaciência em escolher qual o diário desportivo que compre; qual o canal generalista que escolha: nomeadamente no que trata ao desporto Rei - Futebol.

Os leitores devem portanto saber antes de escolher, o que mais lhe convêm ler, procurando um artigo onde a profundidade do assunto lhe evoque a atenção; bem redigido; pese embora o facto de se saber que, atrás de uma bagatela de páginas estão muitas horas de trabalho atrás de um computador.Todos sabemos que ser jornalista, é uma profissão exigente, onde o assunto e o argumento têm de esclarecer quem lê, e quem lê, esclarece perigosamente quem não leu! Mas então e quem não gosta de ler? Consome horas e horas de televisão. Novamente o jornalista é a «ponte» do conteúdo. Existem, salvo melhor opinião, demasiados programas desportivos. Guerra pelas audiências? Já lá vamos. Existem sim, demais! O “zapping” ora mora neste, ou naquele programa, depende do painel de convidados, do jornalista, dos comentadores! Todavia, paralelamente a estes «intervenientes» pode estar um público que gosta da credibilidade e sobretudo da imparcialidade que o desporto logra, juntamente com os seus participantes «ativos».

As técnicas – painel - para aferir estas audiências, são muitas vezes dúbias para muita gente, indiferente ou pouco esclarecida sobre este assunto. O autorregulador da atividade televisiva, a CAEM (Comissão de Análise de Estudo de Meios) já colocou em prática um novo sistema para desenevoar a guerra pelas audiências. A técnica chama-se audiomatching e é nova em Portugal. Sinteticamente consegue-se saber qual o programa que está a ser visto, ouvindo a gravação do som de emissão; é depois comparado com uma base de dados, onde estão registados 150 canais.
Isto é importante? Sim, na medida em que são as audiências que pulsam os canais. E é tão fácil seduzir este público. Mas erros também podem acontecer, e estão previstos.

Adiante. Será que todo este «público» sabe o trabalho que todos os agentes desportivos têm? Será que todo este «público» sabe, o que um árbitro de futebol trabalha para dirigir um jogo e como se prepara para o mesmo? Será que os Jornalistas sabem? Será que os “comentadores” o sabem? Será mesmo que sabemos o que é ser árbitro de futebol? Pois bem, se saber o que é um árbitro de futebol é conhecê-lo pelos seus erros ou êxitos, mesmo que provisórios; é olhar para um jornal e reconhecê-lo; é saber quem é nas redes socias; é olhar para o jogo que está a passar na TV; é dar uma espreitadela pelos dados «pessoais» que um hacker «assaltou» de uma base de dados; estão todos enganados…

A estratégia de atacar esta classe é somente para agredir os valores morais dos próprios. Mas o que nem toda a gente sabe, é que estes «juízes do futebol» são mais fortes intelectualmente e honestos, do que muitos comentários desmesurados que todos os dias são pronunciados, ora por jornalistas, ora por comentadores desportivos.
Um árbitro de futebol tem de prestar provas dos seus conhecimentos duas vezes por época. Têm cursos de aperfeiçoamento para enfrentar os palcos por onde o Futebol se tem dilatado nos últimos tempos. Os conhecimentos de um árbitro sobre as Leis do Jogo são profundos e, velar pela aplicação das Leis do Jogo é o primeiro dos ícones da Lei 5 do Futebol. Quem mais saberá de Leis do Jogo, que não estes senhores? Não basta dar uma olhadela para um livro das leis de jogo e dizer que se sabe tudo sobre o futebol. É preciso saber aplicar as Leis do jogo no campo; é preciso muito e muito treino, e muitas horas de vontade; é preciso perseverança; por isso nem todos chegam lá! Ser árbitro? – Deus me livre!

Sejamos honestos. Em todas as nossas tarefas temos direitos e deveres, certo? Os árbitros também os têm! E têm de cumpri-los! Mas agora pergunto: E como é possível fazer cumprir as Leis do jogo, com este clima crispado? É possível. Basta para isso ser árbitro de futebol. Decerto que ninguém ainda viu um árbitro de futebol criticar um jornalista ou comentador que faz um «relato» de um jogo de futebol - em tempo real - ora seja na rádio, ora seja na televisão, seria inédito! Um ex-árbitro até pode ser convidado para comentar algum pormenor afeto às Leis do jogo, mas isso não deixa cair por terra a seguinte frase:“Ninguém mais sabe de Leis de Futebol, que um árbitro de futebol”.

Tenho tido algumas dificuldades em aceitar as hediondas críticas ao trabalho dos árbitros portugueses, que são feitas pelos dirigentes desportivos, comentadores desportivos, e alguns jornalistas que compõem os painéis dos conhecidos programas desportivos. Seria talvez uma boa altura para, “parar e pensar”, até porque o «público» que vê os demais programas nos canais generalistas até pode já estar farto de tanta carolice desmedida. É que senhores comentadores: - O que os senhores dizem, é de tal forma «infectocontagioso» que as repercussões estão à vista de todos!

O facciosismo é uma boa venda para as audiências? Mas será que não deverá haver igualmente ética, imparcialidade e credibilidade no discurso? É preciso ter alguns cuidados redobrados quando não se sabe da poda! E é intelectualmente desonesto, falarmos daquilo que não dominamos na íntegra, como se fossemos donos da razão. Erros associados a qualquer atividade, sempre existirão. Não esqueçamos pois, que a profundidade de um tema só poderá ser analisada pelos “especialistas”. E do futebol todos opinamos… todos “pensamos” que: seríamos os melhores treinadores do mundo; seríamos os melhores jogadores do mundo; seríamos os melhores árbitros do mundo; Querem uma verdade? Nem nas consolas de jogos… o tal «erro associado» também lá está! Então e porque isto acontece? Acontece porque somos humanos, e quando temos a palavra do nosso lado, não somos intelectualmente honestos para saber dizer: - Espera, não sou especialista nessa matéria para opinar sobre esse assunto! Mas vou falar com um! E quem mais sabe de arbitragem que não os próprios árbitros e dirigentes da arbitragem?

Pensem nisto.

Por: Nuno Cordas

Vídeo: Erros e Profissionalização

Refereetip apresenta hoje mais um episódio da série brasileira "Por Trás do Apito" cujo tema é "Erros e Profissionalização":


Fonte: Cadernos de Esportes (Brasil)

Árbitro inglês dá cinco cartões vermelhos no balneário


O árbitro Ian Williamson tomou a bizarra decisão de expulsar cinco jogadores já no balneário, após o jogo entre o Crawley e o Bradford (2-1), equipas da quarta divisão inglesa.
Uma briga entre futebolistas das duas equipas levou a que três jogadores da equipa de Bradford e dois dos visitantes, o Crawley, vissem o cartão vermelho na passada terça-feira, quando já sete jogadores tinham sido amarelados durante o jogo.
"Nunca estive numa situação em que o árbitro entra no balneário, chama jogadores e expulsa-os. Ele não me permitia estar lá dentro", disse o treinador do Bradford, Phil Parkinson.
Por outro lado, o treinador do Crawley, Steve Evans, disse que o episódio foi "uma vergonha" e que viu o jogador do Bradford Andrew Davies a correr para os "seus jogadores" e a dar-lhes murros. Davies deverá ficar suspenso por cinco jogos, por se tratar da terceira expulsão esta época.
Fonte: Record

terça-feira, 27 de março de 2012

Boa disposição de adeptos perante as habituais falhas... dos seus jogadores!




Há adeptos e... adeptos. Há quem apoie a equipa do início ao fim, há quem assobie ao primeiro passe falhado. E há aqueles que, desolados com a ineficácia da equipa, auxilie no caminho para os golos.

Os adeptos do Magdeburg, emblema da quarta divisão do futebol alemão, levou a ideia à letra. 

Em 25 jornadas, a equipa apontou apenas 16 golos e está no último lugar da tabela, com 20 pontos. Em penúltimo está a formação de reservas do Energie Cottbus que tem 27 golos marcados. Uma enorme diferença entre os dois últimos da classificação que levou os adeptos do Magdeburg a uma solução... extrema, depois de nos últimos cinco jogos a equipa não ter marcado qualquer golo.

No jogo deste fim de semana, frente ao BAK'07, os adeptos mostraram literalmente o caminho para o golo aos jogadores, através de setas na bancada, apontando para a baliza adversária.

Além das setas, uma tarja explicava a ideia: «Vamos mostrar-vos onde se fazem golos». É certo que o Magdeburg perdeu o jogo mas... marcou! O resultado final foi de 1-2.






Fonte: A Bola

Árbitros ameaçam parar na 26.ª jornada


O presidente da Federação Portuguesa de Futebol deu conta do compromisso dos árbitros em apitar a próxima jornada. Mas se continuarem as críticas, haverá uma paralisação.

No final de uma reunião que juntou os responsáveis da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, do Conselho de Arbitragem da FPF, Vítor Pereira, e da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, Gustavo Sousa, para além de oito dos nove árbitros internacionais de futebol, foi tornado público o compromisso de realizar a próxima jornada.

“Os árbitros comprometeram-se a apitar a próxima jornada”, afirmou Fernando Gomes. O presidente da FPF sublinhou, porém, que se os ataques à dignidade e honorabilidade dos árbitros continuarem, a paralisação do futebol português é um cenário em cima da mesa.

Questionado sobre que garantias tem relativamente à realização das jornadas que faltam até ao final do campeonato, Fernando Gomes disse que tal depende do comportamento de clubes e dirigentes nas próximas semanas. “As pessoas são livres de fazer críticas, desde que não ponham em causa a honra dos árbitros. Apelo a todos os clubes e dirigentes no sentido de evitar que o futebol em Portugal pare”, frisou.

“Temos pela frente seis jornadas de grande intensidade, com uma competitividade fora do comum. Se este estado continuar, os árbitros tomarão medidas drásticas”, vincou o dirigente. Fernando Gomes referia-se aos eventos recentes em torno da arbitragem, que incluíram e divulgação pública de dados pessoais dos árbitros de primeira categoria, e também ameaças à integridade física.

“Faço um apelo, para que haja muita contenção. Critiquem do ponto de vista técnico, mas não ponham em causa a honra dos árbitros”, prosseguiu Fernando Gomes, aludindo a um “código de honra” a ratificar por clubes e dirigentes e que trave as declarações “antes e depois dos jogos” sobre arbitragem.

Fonte: Público

Duarte Gomes e Jorge Sousa também estarão no Euro 2012


Tal como RefereeTip já havia noticiado, os portugueses Jorge Sousa e Duarte Gomes vão estar no Euro 2012 como árbitros auxiliares adicionais, anunciou a UFEA, que publicou a lista completa de árbitros para o evento nesta terça-feira.
Em Dezembro, a UEFA já tinha anunciado os 12 árbitros principais designados para o Campeonato Europeu, entre os quais se inclui Pedro Proença, que será auxiliado por Bertino Miranda e Ricardo Santos, enquanto Tiago Trigo será o auxiliar suplente.

Os internacionais Jorge Sousa, do Porto, e Duarte Gomes, de Lisboa, também vão estar na Polónia e na Ucrânia, como “juízes de baliza”, dado que o International Board (IFAB), organismo que formula as leis do futebol, decidiu dar continuidade à experiência com árbitros assistentes adicionais, permitindo a sua utilização pela primeira vez na história dos Europeus.

Internacional desde 2003, Pedro Proença, de 41 anos, vai estar pela primeira vez na fase final de um Campeonato da Europa, competição na qual será o quinto árbitro português.

António Garrido, em 1980 (Itália), Rosa Santos, em 1988 (Alemanha) e 1992 (Suécia), Vítor Pereira, em 2000 (Bélgica e Holanda), e Lucílio Baptista, em 2004 (Portugal), foram os árbitros nacionais que estiveram em fases finais de campeonatos da Europa.

Da lista de árbitros que apitarão jogos na Polónia e na Ucrânia, entre 8 de Junho e 1 de Julho, fazem ainda parte Cüneyt Çakýr (Turquia), Jonas Eriksson (Suécia), Viktor Kassai (Hungria), Bjorn Kuipers (Holanda), Stéphane Lannoy (França), Nicola Rizzoli (Itália), Damir Skomina (Eslovénia), Wolfgang Stark (Alemanha), Craig Thomson (Escócia), Carlos Velasco Carballo (Espanha) e Howard Webb (Inglaterra).

Árbitros reúnem com APAF antes da reunião com FPF


Vários árbitros profissionais e uma delegação da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) vão ser recebidos esta terça-feira pela direção da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).
Antes do início do encontro, seis árbitros - entre os quais Bruno Paixão e João Capela, protagonistas dos mais recentes casos polémicos em jogos do Sporting e Benfica - reuniram-se com o presidente da APAF, Gustavo Sousa, já nas instalações da FPF.
Fonte: Record

Chile: Mesmo durante terramoto, árbitro não treme!




Um terramoto de 7,1 graus na Escala Richter não foi suficiente para que a partida entre Colo Colo e Palestino do "Torneio Apertura chileno" fosse paralisada. Este foi o maior tremor registrado no Chile desde o devastador terramoto de 2010.

As câmaras da TV estatal chilena, TVN, registraram o forte movimento. Os comentadores chegaram a comentar sobre o terramoto que estava ocorrendo.

O movimento fez tremer os edifícios mais altos de Santiago, localizada a 200 Km ao norte do epicentro. As autoridades chilenas chegaram a evacuar cerca de sete mil pessoas da costa do país devido ao risco de uma tsunami.


O Serviço Geológico dos Estados Unidos informou que o tremor foi registrado às 19h37 e teve seu epicentro a 32 Km noroeste da cidade de Talca. 

Quanto à partida, disputada no Estádio Monumental, essa não parou e o Palestino venceu por 1 a 0.



Fonte: Band

Liga Europa: Pedro Proença apita Schalke - Atlético Bilbau

O árbitro português Pedro Proença vai dirigir, em Gelsenkirchen, o confronto entre o Schalke e o At. Bilbao, jogo da primeira mão dos quartos de final da Liga Europa. Curiosamente, uma destas duas equipas vai jogar nas meias finais da competição com o vencedor da eliminatória entre o Sporting e o Metalist.


A equipa completa é: 


Árbitro: Pedro Proença
A.A.1: Bertino Miranda
A.A.2: Ricardo Santos
A.A.R.: Jorge Sousa
A.A.R.: Duarte Gomes

Vítor Pereira admite greve dos árbitros


O presidente do Conselho de Arbitragem, Vítor Pereira, alerta para os perigos à volta da pressão sobre os árbitros, pedindo que estes sejam respeitados.
"Os árbitros não podem sair de casa a pensar que as suas famílias podem ser atacadas. Não têm, neste momento, condições para poderem arbitrar jogos na plenitude das suas faculdades. O clima, de grande animosidade, que tem vindo a ser criado impede os árbitros de estarem ao nível das exigências das competições. Admito tudo, até uma greve", defendeu Vítor Pereira ontem, em entrevista à RTP Informação.

O presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol não se conforma com a violação de dados pessoais dos juízes na Internet: "Este clima tem responsáveis e, no futuro, pode haver consequências trágicas", sublinhou. "No limite pode não haver condições para o Conselho de Arbitragem nomear. Tudo tem limites. A divulgação pública de dados atingiu proporções que podem ter consequências graves. Não há futebol sem arbitragem e também não há arbitragens perfeitas, o futebol é um jogo de enganos e imperfeições."

Indicando que vai realizar-se uma reunião entre APAF, Federação e árbitros para discutir o tema, Vítor Pereira acentuou: "Erros dos árbitros haverá sempre e assumimos isso. Esta época, em termos de erros, creio que estamos dentro daquilo que é a média europeia. Respeitem os homens que estão por detrás dos árbitros e as suas famílias."
Fonte: Económico

Alemão Wolfgang Stark no Sporting-Metalist


O árbitro alemão Wolfgang Stark vai dirigir o jogo entre Sporting e os ucranianos do Metalist, da primeira mão dos quartos de final da Liga Europa, na quinta-feira, no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Stark, de 42 anos e internacional desde 1999, arbitra pela primeira vez na sua carreira um jogo dos "leões", depois de já ter estado em jogos de outras equipas portuguesas, nomeadamente o F.C. Porto, o Benfica e o Sporting de Braga.

O mais recente jogo da UEFA em que o árbitro alemão esteve foi na visita do F.C. Porto a Manchester, em que os "dragões" perderam com o City por 4-0, sendo eliminados nos 16 avos de final da Liga Europa.

O árbitro, um empregado bancário que também gosta de desportos motorizados, ciclismo e hóquei no gelo, esteve igualmente no apuramento de Portugal para o Euro2012, no segundo jogo do "play-off" em que a equipa portuguesa venceu a Bósnia por 6-2, no Estádio da Luz, em Lisboa.

Fonte: JN