sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

É preciso repensar a arbitragem, defende Paulo Paraty

Apesar dos incidentes ocorridos ontem no do debate "Profissionalização dos Árbitros em Portugal" que decorreu na Associação de Futebol de Braga (ver notícia relacionada) o ex-árbitro Paulo Paraty considera que a discussão foi muito interessante e reforçou a sua convicção de que "é preciso repensar a arbitragem, investindo muito mais na qualificação e na formação de árbitros" e, por tudo isso, "refazer os regulamentos". Até porque, na opinião do antigo internacional, há entre os árbitros "uma enorme vontade de progredir e de melhorar".
Também Carlos Coutada, presidente da Associação de Futebol de Braga e um dos oradores na noite de ontem, atribui importância fundamental a um "trabalho profundo na base" para melhorar o recrutamento e a formação de novos árbitros, de modo a garantir "a normal ascensão aos quadros superiores", onde as condições de trabalho "já são excelentes". E, para este dirigente associativo, tudo passa por uma questão de ordem orçamental.
Paulo Paraty considera que a discussão e as conclusões do colóquio atiram para segundo plano os incidentes ocorridos antes da abertura, quando "dois ou três adeptos do Sp. Braga mais exaltados" insultaram alguns dos presentes, Paraty incluído. "Nada de transcendente", resume o antigo árbitro, explicando que a "intervenção rápida da organização e do presidente da AF Braga" ajudou a serenar os ânimos, tendo depois os trabalhos prosseguido de modo "normal e muito interessante".

in: RTP

Nomeações FPF para 30 de Janeiro e 1 de Fevereiro

Consulte aqui as nomeações da Federação Portuguesa de Futebol para os jogos a realizar nos dias 30 de Janeiro e 1 de Fevereiro.

FPF garante ter estrutura de apoio técnico de arbitragem

O presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) garantiu hoje à Agência Lusa que o organismo continua a ter uma estrutura de apoio à arbitragem, à qual apenas foi alterada a designação.
Segundo Carlos Esteves, "o que existiu foi apenas uma alteração de nome da estrutura, de Comissão de Apoio Técnico para Gabinete de Apoio Técnico", também coordenado por Jorge Pombo, que já liderava a comissão.
"A decisão de alteração do nome foi tomada em plenário do Conselho de Arbitragem. As pessoas continuam a ser as mesmas e as competências também", afirmou.
O Gabinete de Apoio Técnico é responsável pela formação dos árbitros que estão sob a alçada da FPF, e pela emissão de pareceres sobre questões relacionadas com leis de jogo.
Jorge Pombo tinha afirmado à Agência Lusa que a Comissão de Apoio Técnico não estava a funcionar há um mês, depois de não ter sido substituída ou reconduzida, acrescentando, no entanto, que o Gabinete de Apoio Técnico estava a funcionar normalmente e que a inexistência da comissão só tinha influência na emissão de pareceres sobre as leis de jogo.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Nomeações da 16ª Jornada da Liga Sagres e Liga Vitalis

Faleceu o antigo árbitro Soares Dias

O antigo árbitro Soares Dias faleceu esta quinta-feira vítima de doença prolongada, noticia a Lusa.
Soares Dias é pai do árbitro de primeira categoria Artur Soares Dias. Para além da carreira nas quatro linhas, o antigo árbitro foi ainda observador e monitor.
O corpo do antigo árbitro está em câmara ardente na Igreja de Mafamude, em Vila Nova de Gaia, durante esta quinta-feira.
Ao nosso amigo Artur e restante família damos a nossa força neste momento difícil!

Árbitros de competições profissionais em curso de avaliação

Os árbitros e auxiliares das duas competições profissionais vão ter, a 24 de Fevereiro em Leiria, um curso de avaliação e aperfeiçoamento, previsto no regulamento de arbitragem da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).
O curso, que inclui testes obrigatórios físicos e escritos para os 25 árbitros e 52 árbitros assistentes, será ministrado por preparadores físicos, técnicos de arbitragem – todos ex-árbitros de primeira categoria – e um psicólogo.
De acordo com o regulamento de arbitragem em vigor, os árbitros devem frequentar os cursos, que se realizam no início, no meio, e no fim da época, bem como numa reunião intermédia de trabalho teórico e reflexão.
Numa altura em que a arbitragem portuguesa vive momentos conturbados, com "casos" em muitos dos jogos da Liga, o antigo árbitro internacional José Leirós discorda do modelo adoptado para os cursos.
Segundo José Leirós, "na década de 80 e 90 os cursos tinham utilidade para os árbitros", numa altura em que eram ministrados pela Comissão de Apoio Técnico da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).
"Neste momento, os cursos são ministrados por Vítor Pereira (presidente da Comissão de Arbitragem da LPFP), por dois elementos da comissão e alguns assessores nomeados", afirmou Leirós à Agência Lusa, acrescentando que "a estrutura da arbitragem não está bem pensada".
De acordo com José Leirós, "quando a a Comissão de Apoio Técnico da federação ia aos cursos da LPFP os erros dos árbitros eram analisados", algo que "não sucede agora porque o presidente dos árbitros está distante".
O antigo árbitro considera que actualmente os cursos tem pouca utilidade: "Não me parece que os cursos de formação tenham mais alguma finalidade além dos testes e de algumas recomendações".
Ao abrigo de um protocolo, a FPF delegou na LPFP a responsabilidade da arbitragem nas duas competições profissionais de futebol.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Benquerença nos oitavos da Champions League

O árbitro Olegário Benquerença foi nomeado para actuar num jogo da "primeira mão" dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Será coadjuvado pelos árbitros assistentes José Cardinal e Bertino Miranda, e pelo quarto-árbitro Bruno Paixão. A partida deverá ser disputada no dia 24 ou 25 de Fevereiro.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Pedro Proença na Taça UEFA

O lisboeta Pedro Proença liderará a equipa de arbitragem composta por José Trigo e Sérgio Lacroix, como árbitros assistentes, e João Capela, enquanto quarto-árbitro, que marcará presença, no dia 18 ou 19 de Fevereiro, num encontro da "primeira mão" dos dezasseis-avos-de-final da Taça UEFA.

Lucílio no Olympiakos - St. Etienne para Taça UEFA

No dia 18 de Fevereiro, numa partida entre Olympiakos e St. Etienne, a contar para a "primeira mão" dos dezasseis-avos-de-final da Taça UEFA, a arbitragem lusa será representada pelo árbitro Lucílio Batista, pelos assistentes João Santos e Venâncio Tomé, e por Luís Reforço (quarto-árbitro). O jogo será disputado no Georgios Karaiskakis Stadium (Atenas), pelas 19h30 (locais).

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Hugo Miguel no Torneio de La Manga

O juíz luso, Hugo Miguel (AF Lisboa) foi nomeado para actuar no Torneio Internacional de La Manga Sub-19, que se disputará de 8 a 14 de Fevereiro, em Espanha.
Recorde-se que a Selecção Nacional Sub-19 é uma das particpantes do Torneio de La Manga, juntamente com as formações da Polónia, Noruega e Suécia.

Eleições na APAF já têm nova data marcada - 20 de Fevereiro

Federação francesa de futebol oferecerá curso de árbitro para ex-jogadores

A federação francesa de futebol reuniu com 16 jogadores de equipas da segunda divisão para lhes apresentar a possibilidade de se tornarem árbitros através de um curso após abandonarem a sua carreira de jogadores.
O principal convidado do encontro foi o ex-jogador Silas Billong, que jogou no Reims e no Brest antes de se tornar árbitro de nível nacional.
"Trata-se de explicar aos jogadores que eles podem prolongar suas carreiras no futebol. Com 34 ou 35 anos, quando deixarem os relvados, ofereceremos-lhes a possibilidade de serem árbitros profissionais em dois ou três anos", comentou o diretor técnico de arbitragem da federação, Marc Batta.
"Enquanto um árbitro normal precisa de sete ou oito anos para chegar ao nível nacional, os jogadores chegariam lá em dois anos, sempre com seriedade e trabalho. Acho que seu status profissional lhes dá um bom conhecimento do futebol", afirmou.
A única condição que Batta considera imprescindível é que eles "conheçam bem as regras de jogo".

Papagaio expulso...

Um papagaio foi expulso de um jogo de futebol por imitar o apito do árbitro.
O insólito aconteceu em Inglaterra, durante um jogo entre as equipas Hertfordshire Rangers e Hatfield Town.
Me-Tu, assim se chama o papagaio verde que foi ao futebol acompanhado da proprietária, Irene Kerrigan. «Nunca vi nada semelhante. A dona do papagaio estava sentada próxima da linha. Cada vez que eu soprava o apito, a ave reproduzia exactamente o mesmo som», contou o árbitro Gary Bailey.
O árbitro foi obrigado a parar o jogo, depois dos jogadores terem solicitado a retirada do papagaio. «Nunca tinha expulso um papagaio», brincou.
Para além de ter provocado a confusão no desafio, Me-Tu ainda assediou os jogadores de ambas as equipas, a quando da sua passagem junto à linha, chamando-os de «jeitosos».
A proprietária da ave garantiu ainda que voltará a levar o papagaio ao futebol.

Há tantos papagaios em Portugal que deviam ser expulsos do futebol... a bem do futebol!

Casos da arbitragem portuguesa da corrente época

Consulte aqui uma notícia do JN Online com os casos mais críticos da arbitragem portuguesa ocorridos na presente época.

Vitor Pereira recusa demissão

O presidente da Comissão de Arbitragem da Liga, renovou as declarações que causaram polémica, José Leirós antigo árbitro, criticou em Bola Branca Vitor Pereira
Vítor Pereira não está disposto a demitir-se do cargo que ocupa, a presidência da Comissão de Arbitragem da Liga.
O antigo árbitro, em declarações à Agência Lusa, reagiu aos vários pedidos, para a sua demissão - "Obviamente que não me demito".
Sobre as declarações, que motivaram os pedidos para a sua demissão, Vitor Pereira voltou a referenciá-las - "Digo e reafirmo: Se não acreditam no futebol, não vão ao futebol. Não digo para as pessoas não irem ao futebol ou que deixem de ir. Mas se não acreditamos num bom espectáculo de teatro também não vamos".
Vítor Pereira aproveitou ainda para criticar, alguns agentes do futebol - "São as próprias pessoas do futebol que o colocam em descrédito e é por isso que as pessoas acabam por não ir".
Esta quinta-feira, ouvido por Bola Branca, o ex-árbitro e actual analista José Leirós, ataca forte e feio o seu antigo colega.Leirós considera que Pereira não tem condições para continuar - "Só pensa na sua imagem e com a sua altivez só transmite desconfiança".
in: Renascença

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Árbitros e Treinadores em defesa de Vitor Pereira

O presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) critica a atitude do Sporting, que ontem exigiu a demissão de Vítor Pereira, actual presidente da Comissão de Arbitragem da Liga, devido às declarações do ex-árbitro internacional.
António Sérgio considera que as declarações de Vítor Pereira que servem de argumento à tomada de posíção do Sporting foram retiradas do contexto e que o clube lisboeta fez uma interpretação distorcida dessas palavras.
O líder da APAF vai mais longe e desafia o clube de Alvalade a apresentar propostas para melhorar o sector em vez de insistir em "críticas e ataques" que, segundo António Sérgio, só têm um resultado: a "descredibilização e desvalorização do futebol" enquanto indústria.
Num tom um pouco diferente, o presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol considera que Vítor Pereira "não devia ter dito o que disse", embora José Pereira aponte como atenuante "o clima de grande pressão existente neste momento sobre a arbitragem" para desculpar o deslize de presidente da Comissão de Arbitragem da Liga.
O presidente da Associação Nacional de Treinadores sublinha igualmente que os árbitros não são os únicos responsáveis pela fraca afluência de espectadores aos estádios de futebol.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Lucílio não descarta ideia de árbitros estrangeiros em Portugal

Árbitros estrangeiros a dirigirem jogos em Portugal é uma imagem que não choca Lucílio Baptista, da A.F. Setúbal, um dos nove portugueses com as insígnias da FIFA.
«Sou dos árbitros que mais tem ido ao estrangeiro, não tem lógica contestar a vinda de outros», considerou o juiz, esta terça-feira, por ocasião de mais uma cerimónia de entrega do emblema.
«Se os clubes entenderem devem propô-lo. Os portugueses lembram-se do penalty de há cinco anos e se a bola entrou ou não. A vinda de novos árbitros ia rebater isso, nem que fosse por pouco tempo. Não é chocante a ideia, embora os erros não deixassem de existir», argumentou, ainda.
Para Lucílio Baptista o actual momento de crítica à arbitragem resulta de uma constatação: «Felizmente, o campeonato está mais competitivo e isso torna o erro mais visível.»
O árbitro de Setúbal considerou que a época «está a correr bem», mas reconheceu que «podia estar a correr melhor». «Não vale a pena esconder a cabeça na areia, tem havido alguns erros», assumiu.
Oiça aqui as palavras de Lucílio Baptista.

Bruno Aixão fala sobre as suas arbitragens e a sua carreira

Bruno Paixão, árbitro da A.F. Setúbal e um dos nove internacionais, está de consciência tranquila quanto ao seu desempenho no Benfica-Belenenses, última jornada da terceira fase da Taça da Liga, e não teme a exclusão de jogos futuros. «Tenho mais 11 épocas pela frente, isso não me assusta», garantiu o juiz, esta terça-feira, depois de receber mais uma insígnia da FIFA.
«Vejo todas as imagens dos meus jogos, mas guardo as minhas conclusões. É a Comissão de Arbitragem que tem de responder», considerou Bruno Paixão, referindo-se ao último Benfica-Belenenses.
«Há actuações boas e más, não somos perfeitos», prosseguiu o árbitro de Setúbal, para quem a defesa do desporto-rei é o principal objectivo: «O Futebol é um espectáculo e temos de o defender. Fazer o contrário era dar tiros nos pés.»

Vitor Pereira: "Arbitragem portuguesa está no top10 internacional"

O responsável pela arbitragem da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Vitor Pereira, coloca a arbitragem no top10 internacional, desvaloriza a opinião dos portugueses, não se pronuncia sobre o recurso a árbitros estrangeiros, recusa receber o Sporting de Braga, alerta para os perigos decorrentes da possibilidade de o futebol profissional acabar e não fala do "caso" Pedro Henriques.
Vitor Pereira, presidente da Comissão de Arbitragem da Liga, afirmou que a arbitragem portuguesa está no top 10 internacional, desvalorizando a avaliação negativa que vai prevalecendo em Portugal e a possibilidade de recorrer a árbitros estrangeiros, sugerida por António Salvador, presidente do Sporting de Braga.
Referindo-se, justamente, ao clube bracarense, manifestou a indisponibilidade do órgão que dirige para receber os "arsenalistas".
O dirigente alertou para o perigo de o clima actual poder pôr fim ao futebol profissional e os reflexos que isso teria no emprego, mesmo noutras áreas profissionais.
Sobre a situação de Pedro Henriques, mais uma jornada fora das nomeações, considerou-a um assunto de balneário, um assunto interno da arbitragem.
As declarações de Vitor Pereira foram feitas após a cerimónia de imposição de insígnias FIFA de árbitro internacional.

Oiça aqui as declarações de Vitor Pereira.

in: RTP

Internacionais receberam insígnias FIFA 2009

Os árbitros internacionais portugueses para 2009 receberam, esta terça-feira, na sede da Federação Portuguesa de Futebol, as insígnias FIFA, numa cerimónia que teve um sabor especial para o assistente, Venâncio Tomé, que ascendeu, este ano, à categoria de internacional pela primeira vez.
“Antes de mais, é um orgulho imenso poder pertencer, a partir de agora, ao quadro de árbitros internacionais portugueses. É um objectivo que já perseguia há alguns anos e que vejo agora atingido. No entanto, este não é um fim em si, é antes o início de uma nova etapa na minha carreira na arbitragem”, referiu Venâncio Tomé em declarações ao fpf.pt.
Para o juiz assistente luso – que é árbitro desde 1993, tendo ascendido à primeira categoria nacional em 1997 – o que mais o motiva “é a oportunidade de representar o País além fronteiras”, considerando que tem como principal missão “dignificar a arbitragem portuguesa e a Associação de Futebol de Setúbal [à qual pertence]”.
“Estes anos de arbitragem têm sido bastante compensadores, nomeadamente pelo facto de me terem possibilitado actuar com alguns dos melhores árbitros portugueses, muitos dos quais pertencentes aos quadros da elite internacional. Os aspectos positivos têm suplantado, aliás, os grandes sacrifícios que tenho feito na minha vida pessoal e profissional”, concluiu.
Gilberto Madaíl elogia qualidade dos árbitros portugueses
A cerimónia deste final de tarde contou com a presença do Presidente da FPF, Gilberto Madaíl, bem como do responsável máximo pelo Conselho de Arbitragem da Federação, Carlos Esteves, e do líder da Comissão de Arbitragem da LPFP, Vítor Pereira.
Gilberto Madaíl lembrou que "os 29 árbitros que fazem parte do quadro de internacionais são o reflexo do trabalho de qualidade que tem sido feito em Portugal – e que é reconhecido pelas instâncias internacionais –, num sector sempre tão sujeito a críticas e aos holofotes mediáticos".
"E ninguém melhor do que os homens e mulheres que aqui estão sentados sabem o quão difícil é a tarefa de julgar num instante aquilo que muitos outros vêem através de diferentes ângulos, perspectivas e utilizando as mais diversas tecnologias", prosseguiu no discurso que anteceu a entrega das insígnias.
Madaíl lembrou a importância deste dia para os árbitros presentes: "Acredito que esta simples cerimónia terá um significado muito especial para cada um deles. Tanto mais, que representa o reconhecimento do trabalho que têm efectuado ao longo das suas carreiras. Por isso, gostaria, também, em nome da Federação Portuguesa de Futebol, de vos agradecer pelo vosso empenho, esforço, dedicação e capacidade de dar ao futebol o tempo que, de certo, gostariam de poder dedicar às vossas famílias e actividades profissionais".
"Estas palavras são dirigidas de uma forma muito particular ao árbitro assistente, Venâncio Tomé, que hoje se junta ao lote de árbitros internacionais portugueses. Que saiba, tal como os seus pares o têm feito de forma exemplar, dignificar e honrar o nome do País, da FPF e da arbitragem portuguesa", frisou.
"Pedia-vos, ainda assim, e sem entrar em discussões sobre a adopção – ou não – de um regime de profissionalismo na arbitragem, que redobrassem esforços no sentido de se apresentarem cada vez mais concentrado e preparados para evitar, ou reduzir ao mínimo, as hipóteses de erro", lembrou.
"A terminar, não posso deixar de lembrar todos os árbitros e árbitros assistentes que, pelos mais diversos motivos, não conseguiram chegar a este patamar de excelência. Quero dizer-lhes que a FPF e o Futebol Português têm para com eles uma enorme dívida de gratidão e reconhecimento por permitirem que, fim-de-semana após fim-de-semana, por todo o país, nos mais variados escalões e divisões, milhares e milhares de atletas possam fazer aquilo que mais gostam: jogar futebol, possibilitando igualmente que as competições nacionais e distritais decorram com todas as condições", concluiu.

Eis a lista completa dos 29 árbitros internacionais portugueses:
Árbitros:
Olegário Benquerença
Lucílio Baptista
Pedro Proença
Bruno Paixão
Duarte Gomes
João Ferreira
Paulo Costa
Jorge Sousa
Carlos Xistra

Árbitros Assistentes:
Bertino Miranda
José Cardinal
João Santos
Tiago Trigo
Sérgio Lacroix
José Ramalho
Sérgio Serrão
Serafim Nogueira
Alfredo Braga
Venâncio Tomé

Árbitros de Futsal:
António Cardoso
Pedro Paraty
Francisco Parrinha
Eduardo Coelho

Árbitras de Futebol Feminino:
Sandra Bastos
Berta Tavares
Márcia Pejapes

Árbitros de Futebol de Praia:
João Carlos Almeida
Carlos Frazão
Carlos Francisco

in: FPF.pt

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Nomeações da 15ª Jornada da Liga Sagres e Liga Vitalis

Árbitros portugueses em Curso UEFA

Os árbitros internacionais, Olegário Benquerença (AF Leiria), Lucílio Batista (AF Setúbal) e Pedro Proença (AF Lisboa), estarão presentes no próximo Curso da UEFA. Os três juízes representarão a arbitragem lusa nesta acção agendada para os dias 4 e 5 de Fevereiro, na Espanha.

Olegário Benquerença nomeado para o Grécia - Israel de apuramento para Munidal 2010

Olegário Benquerença, com Bertino Miranda e João Santos como seus enquanto árbitros assistentes e João Ferreira como quarto-árbitro, foram nomeados pela FIFA para dirigirem o jogo entre Grécia e Israel, agendado para o dia 1 de Abril, em Heraklion (Grécia), pelas 21h30, a contar para a fase de apuramento do Mundial 2010.

Osasuna corta relações com árbitros

Afinal não é só em Portugal...
O clube espanhol orientado pelo ex- treinador benfiquista José António Camacho, vai "cortar" as relações com as estruturas de arbitragem espanhola, em virtude da actuação do árbitro no jogo de Domingo, no qual a equipa perdeu por 3-1 frente ao Real Madrid.
Para além de o clube ter apresentado um recurso dos cartões amarelos mostrados ao jogador Juanfran, por alegadamente ter simulado duas grandes penalidades, o presidente Pachi Izco anunciou que o Osasuna vai "romper institucionalmente" com as estruturas de arbitragem.
"O Osasuna teve sempre uma atitude correcta para com os árbitros, mas o jogo de ontem fez transbordar a nossa paciência. Temos a razão do nosso lado e todo a gente diz ter sido um autêntico escândalo", afirmou.

Pedro Proença no Eslovénia - Rep. Checa para Mundial 2010

O árbitro internacional, Pedro Proença, auxiliado por José Cardinal, Tiago Trigo e Duarte Gomes (na condição de quarto-árbitro) foram nomeados para apitar a partida, para a fase de apuramento para o Campeonato do Mundo África do Sul 2010, entre Eslovénia e República Checa. O jogo será disputado em Maribor (Eslovénia), no próximo dia 28 de Março, e terá início às 20h45 (18h45 locais).

Nomeações FPF para os jogos dos dias 20 e 21 de Janeiro

Consulte aqui as nomeações da Federação Portuguesa de Futebol para os jogos a realizar nos dias 20 e 21 de Janeiro.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Árbitros assistentes lusos participam em Seminário da FIFA

Os árbitros assistentes lusos Bertino Miranda, João Santos e José Cardinal da AF Porto estarão presentes no próximo Seminário para Árbitros Assistentes, levado a cabo pela FIFA.
O certame terá lugar nas Ilhas Canárias e decorrerá de 3 a 6 de Fevereiro.

Vitor Pereira - "Futebol vive uma época de grande pressão"

Para o presidente da Comissão de Arbitragem da LPFP, há que proteger os árbitros das pressões que se vivem no futebol nacional
O presidente da Comissão de Arbitragem (CA) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Vítor Pereira, reforçou hoje, segunda-feira, a necessidade de se investir na formação e investigação "para que a arbitragem no futuro seja melhor".
Vítor Pereira, que falava à margem da cerimónia de assinatura de protocolos de cooperação com instituições de investigação e ensino superior, no Porto, defende a "qualificação" para "melhorar a qualidade", "comportamentos" e "desempenhos".
Sobre os "casos" desta época, Vitor Pereira refere a pressão que se vive, cujas causas passam pela diminuição do número dos clubes portugueses a acederem à Liga dos Campeões, garantindo que tudo está a ser feito para que "o ruído de fundo" não afecte a arbitragem.
O dirigente disse, ainda, haver uma directriz clara sobre a igualdade de tratamento que todos os 32 clubes das Ligas, primeira e de Honra, recusando o reconhecimento da existência dos chamados "grandes", em termos de arbitragem.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Cerimónia de entrega das Insígnias a Árbitros Internacionais 2009

A Federação Portuguesa de Futebol agendou para a próxima terça-feira, dia 20 de Janeiro de 2009, pelas 18h30, na sede da FPF - Auditório Manuel Quaresma, a cerimónia de entrega das "Insígnias de Árbitros Internacionais 2009" aos árbitros portugueses escolhidos pela FIFA para o presente ano de 2009.

Hermínio Loureiro assume «preocupação natural» com erros

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional assume que tem acompanhado com «preocupação natural» os recentes erros de equipas de arbitragem. Ainda assim Hermínio Loureiro, citado pela Agência Lusa, preferiu não especificar qualquer caso, defendendo que «matérias de arbitragem são discutidas com o presidente da comissão de arbitragem».
O dirigente referiu ainda que é preciso «afastar o clima de suspeição», e lembrou que a Liga tem em curso um «projecto de profissionalização da arbitragem e tem criado mais e melhores condições para os árbitros».
Hermínio Loureiro mostrou-se ainda disponível para agendar uma reunião com os dirigentes do Sp. Braga, que criticaram veemente o árbitro do jogo com o Benfica, Paulo Baptista, mas «apenas para falar de futebol».

in: MaisFutebol.pt

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Nomeações da 3ª Fase, 2ª Jornada da Carlsberg Cup

Árbitros Internacionais Portugueses para 2009

O árbitro assistente Venâncio Tomé, de Setúbal, é a única novidade na lista dos árbitros portugueses que vão usar as insígnias da FIFA em 2009.
A lista dos árbitros principais internacionais mantém-se em relação a 2008, com Olegário Benquerença (Leiria), único juiz português de topo, a liderar a lista. Lucílio Baptista, Bruno Paixão e João Ferreira, de Setúbal, Paulo Costa e Jorge Sousa, do Porto, Pedro Proença e Duarte Gomes, de Lisboa, e Carlos Xistra, de Castelo Branco, são os restantes árbitros internacionais.

Lista de árbitros internacionais:
- Árbitros:
Olegário Benquerença, Lucílio Baptista, Bruno Paixão, Paulo Costa, João Ferreira, Jorge Sousa, Pedro Proença, Duarte Gomes, Carlos Xistra
- Árbitros assistentes:
Serafim Nogueira, Bertino Miranda, Alfredo Braga, João Santos, Tiago Trigo, Sérgio Serrão, Sérgio Lacroix, José Ramalho, José Cardinal, Venâncio Tomé.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Vitor Pereira reitera intenção de profissionalizar árbitros

Vítor Pereira voltou a afirmar que a profissionalização dos árbitros pode iniciar-se já na próxima temporada.
Em Santiago do Cacém, durante o colóquio “Uma outra visão de arbitragem”, integrado no 30.º aniversário do núcleo de arbitragem daquela cidade, o presidente da Comissão de Arbitragem da Liga esteve acompanhado pelo juiz Bruno Paixão e pelos belenenses Jaime Pacheco e Cândido Costa.
Bruno Paixão salientou que os árbitros, regra geral, não têm as condições de trabalho de que os jogadores dispõem. E Jaime Pacheco explicou que algumas ações menos dignas dos treinadores em relação aos árbitros são levadas pela paixão do jogo.
in: Record

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Opinião: Estamos sempre a aprender...

Aprendemos em todos os momentos, em qualquer idade, durante toda sua existência.
por: Valter F. Mariano*

Estamos na era da recuperação da dignidade da imagem do árbitro (regra 05). A palavra desta ordem é aprender sempre. A Carta Magna do futebol e as técnicas de arbitragem estão em constante evolução. O árbitro precisa absorver e entender perfeitamente este processo, caso contrário, se tornará um árbitro obsoleto, sem a visão da dinâmica do jogo, sem o espírito e sem o conhecimento para sustentar o apito dentro do solo sagrado (campo de jogo – regra 01).
A sua mente deve estar aberta para receber novas informações. Lê e ouvir tudo que se escreve ou que se comenta sobre a arbitragem é um bom sinal de aprimoramento. Observar os companheiros de profissão também é um excelente meio de aprender, é como se vê no espelho, porém, muito cuidado, observar apenas os erros e comentá-los em público, é demonstrar complexo de inferioridade.
Aprender sempre significa melhorar seus relacionamentos pessoais e profissionais. O árbitro que seguir está linha de conduta poderá alcançar vôos mais altos dentro do universo da arbitragem.
Neste seguimento de transformação, é importante que o árbitro receba estímulos dos companheiros valorizando o empenho e a dedicação empregada no aprimoramento da nobre função. Será o estímulo que ira reforçar sua auto-estima. Peça essencial do ego, do homem e do cidadão.
Desde tempo da escola de arbitragem, o árbitro deve observar explorar e organizar tudo que aprendeu e ter a consciência que o néctar da sabedoria está no aprender sempre.

* Valter Ferreira Mariano, Brasil. Árbitro Assistente da Federação Paulista de Futebol. Colunista de arbitragem, onde escreve sobre a dinâmica de arbitrar uma partida, seus conceitos e ética, suas leis e principalmente do espírito deste desporto chamado futebol.

Nomeações FPF para jogos dos dias 10 e 11 de Janeiro

Consulte aqui as nomeações da Federação Portuguesa de Futebol para os jogos a realizar nos dias 10 a 11 de Janeiro.

Sugestão: Colóquio "Uma outra visão da arbitragem"

Sugestão para hoje à noite...
A Direcção do Núcleo de Confraternização dos Árbitros de Futebol de Santiago do Cacém organiza um colóquio subordinado ao tema "Uma Outra Visão da Arbitragem", que se realiza hoje, pelas 21h30. Vítor Pereira (presidente da Comissão de Arbitragem da Liga), Bruno Paixão (árbitro internacional) e Jaime Pacheco (treinador do Belenenses) são os oradores convidados. A moderação estará a cargo de Paulo Sérgio (responsável de informação desportiva da Antena 1).
A iniciativa, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, vai decorrer no auditório da Biblioteca Municipal Manuel da Fonseca.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Nomeações da 14ª Jornada da Liga Sagres e Liga Vitalis



Miguel pede desculpas a árbitro assistente

“Foi o calor do momento.” Foi desta forma que o internacional português Miguel, do Valência, se penitenciou pelas ofensas e ameaças de morte dirigidas ao árbitro assistente, Gallego Galindo, após a expulsão no empate a uma bola com o Racing, em jogo da Taça do Rei.
“Estou muito arrependido pela minha “explosão” depois da expulsão. Indignei-me porque me senti impotente já que a falta não era minha, mas nada justifica a minha reacção posterior. Quero pedir perdão ao árbitro e ao seu auxiliar por ter ficado de cabeça quente e ter dito coisas de que me arrependo”, disse o jogador luso em declarações publicadas na página oficial do Valência.
Recorde-se que, no final do encontro, o árbitro Clos Gómez mencionou no seu relatório que Miguel insultou e ameaçou de morte o seu auxiliar, depois de ter sido expulso no último minuto da partida.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Árbitro Suíço no Portugal - Finlândia

Carlos Bertolini, árbitro suíço, vai dirigir o jogo particular Portugal-Finlândia. O encontro está agendado para 11 de Fevereiro.
A selecção portuguesa defronta os finlandeses a 11 de Fevereiro, no Estádio Algarve, num jogo que serve de preparação para o confronto com a Suécia (28 de março), do grupo 1 de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2010. Portugal ocupa o terceiro lugar da "poule", em igualdade pontual com a Albânia (4ª classificada) e a Suécia (5ª), todos com menos dois pontos do que os primeiros do grupo, Dinamarca e Hungria.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Vítor Pereira: «Sucesso de 95% até à 10.ª jornada»

Vítor Pereira faz um balanço positivo das arbitragens no primeiro terço do campeonato. “Na época passada, à 10.ª jornada havia 14 arbitragens com influência no resultado, enquanto nesta temporada esse número caiu para 9 em 180 jogos. Ou seja, estamos a falar de 5 por cento de insucesso e 95 por cento de sucesso”, frisou o presidente do Conselho de Arbitragem (CA) da Liga em entrevista à RTP.
Depois de dizer que o facto de a Liga estar muito competitiva “é um desafio que os árbitros veem com muito agrado”, Vítor Pereira apontou um caso de sucesso no processo de qualificação dos árbitros.
“O Vasco Santos é um bom exemplo, pois fez um bom trabalho num jogo difícil e emotivo [Benfica-V. Setúbal]”, referiu, revelando que a próxima reunião de árbitros terá lugar no dia de Carnaval.
Admitindo que o cargo de presidente do CA da Liga “tem sido mais fácil” do que esperava, Vítor Pereira defendeu a introdução da ajuda de meios audiovisuais e elogiou os clubes. “Têm deixado a minha equipa trabalhar à vontade, sem pressões, e queremos que a relação seja de completa transparência.”
O líder da arbitragem frisou ainda que “faz a defesa dos árbitros que entende fazer em cada momento”, alertando para a proibição de falar após os jogos. “As regras da UEFA e FIFA impedem os árbitros de explicar as decisões técnicas e quem o fizer pode ser castigado”, sublinhou.
Quanto à ausência de Olegário Benquerença, árbitro de elite da UEFA, dos clássicos da Liga, a resposta foi evasiva: “A seu tempo veremos, mas os jogos são só uma parte do trabalho do árbitro.”

in: Record

sábado, 3 de janeiro de 2009

Colóquio sobre arbitragem em Santiago do Cacém

Árbitros nas balizas testados na próxima edição da Taça da Liga

A introdução de mais dois árbitros assistentes no terreno de jogo, vai ser testada em Portugal na próxima edição da Taça da Liga.
A introdução de mais dois árbitros assistentes no terreno de jogo, vai ser testada em Portugal na próxima edição da Taça da Liga, depois de a FIFA ter rejeitado duas tecnologias, o Hawkeye e a bola com microchip. Decorridos três anos, é na prateleira do organismo que tutela o futebol mundial que se encontram o Hawkeye (sistema que combina as imagens fornecidas por 12 câmaras, junto da baliza), já utilizado no ténis, e a bola com microchip.
«É uma decisão ponderada. Identificamos claramente quão complicados são os dois sistemas. Os resultados não são conclusivos. Entendemos, também, que são sistemas muito caros, que nada acrescentam ao jogo e que são prejudiciais ao papel do árbitro», defendeu Joseph Blatter, aquando do anúncio do «não» à tecnologia na linha de golo.
O microchip falhou num dos sete jogos-teste efectuados durante o Mundial de Clubes de 2007, devido a interferências no sinal enviado ao árbitro, enquanto o Hawkeye «não garante a visibilidade da bola quando há muitos jogadores à entrada da baliza», justificou, ainda, o presidente da FIFA.
Premier League queria Hawkeye já em 2009/10
A Federação Inglesa de Futebol (FA) tinha esperança em introduzir a tecnologia Hawkeye já na temporada 2009/10 da Premier League, clubes e árbitros estavam em sintonia, mas a decisão da FIFA condenou a FA à ilusão do que poderia ser a nova era da verdade desportiva, crentes que estavam na precisão da informação fornecida por este sistema de vídeo.
O Hawkeye, garantem os seus criadores, é um sistema preciso, imediato e supera não só os critérios impostos pelo International Board ao fornecer uma resposta ao árbitro em menos de meio segundo, como a obrigação da FA em não ultrapassar a leitura da posição da bola em cinco milímetros.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Luís Guilherme deverá ser próximo presidente da APAF

O ano de 2009 deverá devolver Luís Guilherme à presidência da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF). É nesse sentido que há muito estão empenhados os principais representantes da classe e a candidatura ainda só não foi oficializada porque Paulo Paraty anunciou publicamente a intenção de concorrer ao lugar actualmente ocupado por António Sérgio. Esse anúncio fez recuar Luís Guilherme, que desde o início assumira preferir a renovação da liderança em vez da reciclagem e, além disso, não desejava uma disputa que dividisse o sector. Retirou-se da corrida no dia em que foi conhecida a intenção de Paraty. No entanto, a falta de apoio com que se confrontou o ex-internacional portuense levou-o, igualmente, a abster-se de avançar. Quando, esta semana, terminou o prazo para apresentação de listas, o presidente da Assembleia Geral, Olegário Benquerença, deparou-se com um vazio que obrigará a convocar novo acto eleitoral. O processo regressou ao início, em todos os sentidos, uma vez que, sem outro candidato disposto a avançar, Luís Guilherme mantém tudo o que assumira com os árbitros e, para estes, também nada se alterou."A minha condição na arbitragem é defender os árbitros. Vamos aguardar. Por mim, a intenção é ajudar, na função que for melhor", afirma o dirigente que os juízes escolheram para representar a classe, da qual já foi o rosto: presidiu à APAF e foi também o antecessor de Vítor Pereira na Comissão de Arbitragem.
Largos meses de pressão convenceram-no a regressar à actividade, numa altura em que o modelo de representação da classe conhecerá alterações. Conciliador no que respeita ao sector que em breve deverá vir a representar novamente - as eleições poderão ter lugar em Fevereiro -, não coloca de parte a possibilidade de Paulo Paraty vir a desempenhar funções em qualquer das novas estruturas. "Não sei a que se deveu o recuo", ressalva Luís Guilherme, que diz haver ainda "muito tempo para encontrar soluções para o futuro da APAF", sem riscar qualquer nome do projecto: "Todos não somos demais para ajudar a APAF. Haverá um conjunto de alterações, com a publicação do novo regime jurídico das federações. Não somos demais para ajudar nessa longa caminhada e não estamos em condições de rejeitar todos os contributos para ajudar a arbitragem."
Paulo Paraty ficou sozinho
Paulo Paraty não explicou publicamente as razões que o fizeram recuar na pretensão de se candidatar à presidência da APAF, que ficaram tão desconhecidas para os ex-companheiros dos relvados como as que o levaram a avançar. Há muito que a sucessão de António Sérgio mobiliza os juízes, designadamente, os internacionais. Paulo Paraty pertencia a esse grupo, quando se iniciou o movimento para fazer regressar Luís Guilherme e também ele apoiava essa opção. Foi uma surpresa para todos quando, recentemente, O JOGO noticiou a intenção de avançar para a liderança da APAF, confirmada por Paraty, que se disse desafiado para essa empreitada precisamente pelos juízes internacionais. Posteriormente, num encontro destes com Luís Guilherme, o ex-internacional portuense adiantou-se ao convite que ia ser feito e anunciou aos ex-companheiros a decisão de se candidatar. Questionado sobre as razões dessa opção, limitou-se a afirmar ter mudado de estratégia e nada acrescentou, quando lhe foi recordado que a estratégia há muito fora delineada, com o acordo de todos. Paraty mudou e ficou sozinho nesse novo rumo, uma vez que os demais não o acompanharam.