terça-feira, 31 de maio de 2011

Árbitro Turco, Cüneyt Çakır, nomeado para dirigir o Portugal - Noruega


O árbitro Turco, Cüneyt Çakır, foi nomeado para dirigir o jogo entre Portugal – Noruega. Este jogo vai ser disputado em Portugal no dia 4 de Junho de 2011 no Estádio do Sport Lisboa e Benfica – Lisboa pelas 21:00h.

Cüneyt Çakır tem actualemnte 34 anos e é considerado como um dos árbitros mais promissores da Turquia. Internacional desde 2006 Çakır já realizou dois jogos no Campeonato da Europa Sub-19 de 2007  na Áustria, e também realizou dois jogos da fase de qualificação para o Euro 2008.

Em 29 de setembro de 2010, Çakir fez sua estreia na Liga dos Campeões  arbitrando o encontro relativo a fase de grupos entre as equipas do Rubin Kazan e Barcelona. No dia 3 de Novembro de 2010 ele arbitrou o Chelsea FC - FC Spartak Moscovo.
Já em 2011 arbitrou o Manchester City - Dínamo de Kiev, em 17/3/2011, que terminou numa vitória por 1-0 para o Manchester City. O Dínamo de Kiev acabou por vencer por 2-1 no jogo da segunda mão eliminando assim o seu opositor.

A equipa de arbitragem é composta pelos seguintes elementos:

4/6/2011
Portugal - Noruega
Árbitro: Cüneyt Cakir, Turquia
Árbitros assistentes: Bahattin Duran Tarık Ongun
Quarto árbitro: Hüseyin Göcek

Vítor Pereira - Balanço final da época (VIDEO)

Agora já podem ver o resumo que foi colocado ontem em vídeo.


segunda-feira, 30 de maio de 2011

Vítor Pereira faz balanço final da época (RESUMO)



O presidente da Comissão de Arbitragem da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Vítor Pereira, fez esta segunda-feira um balanço «francamente positivo» do desempenho do sector na época 2010/2011.

«O balanço da arbitragem desta época foi francamente positivo. Do ponto de vista pontual, a media final foi de 3,60. Comparado com a época anterior, de 3,59, foi uma centésima superior», informou.
A satisfação do dirigente não tem tanto a ver com a quase imperceptível subida da média, mas com o facto de o grupo de árbitros ter sido consideravelmente rejuvenescido.

«Devemos considerar que tivemos cinco jovens árbitros e perdemos árbitros com grande experiência, como Lucílio Baptista e Pedro Henriques. Os jovens estiveram à altura das expectativas. Fizeram um grande esforço para se ajustar a esta competição, à nova realidade. Estamos muito satisfeitos com o desempenho dos árbitros ao longo desta época», vincou.

Além da capacidade técnica, Vítor Pereira elogiou a competência física dos juízes, revelando que «as médias finais de todos os 77 árbitros foram superiores a 95 por cento», com desempenhos «bem acima das exigências da UEFA e da FIFA».

O facto de Jorge Jesus, treinador do Benfica, ter reconhecido a superioridade do FC Porto esta época, à semelhança do que Jesualdo Ferreira tinha feito na época anterior em relação aos “encarnados”, foi o exemplo citado por Vítor Pereira para reforçar a sua satisfação.
O dirigente lembrou que os árbitros são humanos e que, por isso mesmo, é impossível eliminar o erro, mas defende que o sector está a evoluir nos últimos anos e que «com trabalho e um novo modelo é possível melhorar».

Vítor Pereira insistiu na profissionalização da arbitragem, um processo que continua sem aplicação prática, mas que quer ver uma realidade ainda no seu mandato.
«A competição precisa muito disso para ter qualidade superior. As dificuldades? Primeiro passam pelo ponto de vista jurídico, pois é necessário regulamentar a profissão. E depois pela vontade politico-desportiva para se avançar para esse passo», disse.

O presidente da CA da Liga considerou ainda que o «impasse estatutário» em relação ao futebol – «andamos há muito tempo à espera do novo enquadramento jurídico» – tem travado o processo, mas revelou a convicção de que «quando se avançar para a nova ordem, já consentânea com o regime jurídico das federações, essa situação será resolvida a contendo de todos».

O projecto piloto que decorreu na época passada durante quatro meses com vários árbitros,«monotorizado por uma entidade independente e seguido pelas instâncias internacionais», apresentou um resultado «taxativo da sua importância e urgência na sua implementação».
«Queremos colocar os árbitros lusos em paridade com os internacionais que em muitos países da Europa têm esse modelo de trabalho e treino», concluiu.

Portugal foi o segundo país mais escolhido para a Champions

Para a nova temporada, Vítor Pereira traça como objectivo conseguir levar uma equipa de arbitragem ao Euro 2012 e ainda deixa uma interrogação: «Por que não uma final europeia?»

«Nos jogos da Champions, Portugal ficou em segundo çlugar no ranking europeu, com 11 nomeações. Só a Alemanha, com 14, teve mais jogos que Portugal. Tivemos uns quartos-de-final e umas meias-finais da Liga dos Campeões, as meias-finais do Euro sub-17 e um nível geral de pontuações muito boas. Isto significa que os árbitros têm qualidade e se têm qualidade no estrangeiro também têm em Portugal», frisou. 

«Todos devem estar gratos a Elmano Santos»

Vítor Pereira confessou ainda, que, pessoalmente, preferia que os árbitros de baliza fossem «mais interventivos» e elogiou a lei inglesa que impede os treinadores de, bem ou mal, se pronunciarem sobre arbitragens no fim do jogo, embora saliente que é um aspecto que está a mudar em Portugal. «Temos sentido, ano após ano, melhorias neste campo», resumiu, frisando ainda, que os jogos negativos são, sempre, a excepção.

«É natural que, em 300 jogos, juntando os campeonatos e a Taça da Liga, haja seis ou sete que sejam maus. Estamos a falar de um por cento. Mas também é natural que a natureza humana se foque mais no erro», admitiu.

Por fim, o líder máximo da arbitragem em Portugal debruçou-se sobre o final de carreira de Elmano Santos, consumada nesta última jornada da Liga de Honra. 

«Uma carreira de 25 anos, quando é levada com seriedade, empenho e determinação deve merecer o respeito de todos e acho que todos devem estar gratos ao Elmano Santos por ter dedicado 25 anos da sua vida à arbitragem», considerou.

Fotos no balneário do árbitro: «Situação irrepetível»

Vítor Pereira abordou o caso das fotografias, passado em Braga, no intervalo do encontro entre a formação local e o U. Leiria, à margem da conferência de imprensa de balanço da temporada 2010/11 no que diz respeito às arbitragens.

Recorde-se que Bruno Paixão, o árbitro que dirigia o encontro, entregou na Liga fotografias que lhe teriam sido entregues no balneário, no intervalo do referido encontro, e que ilustravam erros cometidos durante os primeiros 45 minutos do encontro. 

«Esse é um caso que está em processo disciplinar e em fase de averiguação», começou por dizer Vítor Pereira. Mais tarde frisou que se trata de «uma situação circunstancial e irrepetível». 

O dirigente falou, depois, de forma genérica sobre o comportamento dos árbitros no intervalo dos encontros, recomendando que não se façam avaliações da actuação na primeira parte. 

«O que nós aconselhamos é que o intervalo não sirva para fazer a análise da primeira parte, mas para descansar e preparar o segundo tempo. Há momentos posteriores ao jogo que servem para fazer todo o tipo de análises. É desaconselhável que os árbitros reflictam sobre o que aconteceu na primeira parte. Se acabarem por saber que cometeram erros, isso pode afectar o seu rendimento», opinou.

Fonte: Mais Futebol /RTP /Sapo Desporto /Record /A Bola



Jorge Sousa foi o árbitro que mais dinheiro recebeu


Jorge Sousa foi o árbitro de futebol da primeira categoria que mais "faturou" ao longo da época 2010/11, com mais de 2.000 euros de diferença para Carlos Xistra, segundo colocado no ranking de rendimentos.
Sem contabilizar partidas internacionais, o juiz portuense, de 35 anos, realizou 31 jogos, 30 dos quais como árbitro principal - 14 na Liga Zon Sagres, 10 na Liga Orangina, dois na Taça de Portugal e quatro na Taça da Liga - e apenas um como quarto árbitro, que lhe garantiram 33.442 euros.
A este valor acresce o subsídio de treino mensal atribuído pela Liga de Clubes (400 euros), contabilizando Jorge Sousa, que é escriturário, um rendimento total de 37.442 euros na temporada que agora termina.
O albicastrense Carlos Xistra, que na temporada passada foi o que mais recebeu, ficou na segunda posição, com menos 2.248 euros do que Jorge Sousa, enquanto o bancário Duarte Gomes, de Lisboa, encerra o pódio, a 2.774 euros da liderança.
Actualmente, a Liga de Clubes paga 1.272 euros por cada jogo da Liga Zon Sagres, 890 da Liga Orangina e um quarto deste valor para os quartos árbitros, sendo que, tanto na Taça da Liga como na Taça de Portugal os árbitros recebem consoante o escalão das equipas envolvidas.
No entanto, se na Taça da Liga a tabela de valores é a mesma aplicada nos campeonatos, já na Taça de Portugal, prova organizada pela Federação, os valores são reduzidos, praticamente, a metade: 560 euros com primodivisionários e 420 para emblemas da Liga Orangina.
Além destes "prémios de jogo", os árbitros recebem ainda um subsídio de treino mensal de 400 euros, que, nesta tabela, é contabilizado de agosto a maio (4.000 euros).
Na última posição do ranking dos ganhos ficou o estreante Manuel Mota, de Braga, que, tendo participado em mais três jogos que Jorge Sousa (34), apenas arbitrou três encontros da Liga Zon Sagres, amealhando 26.030 euros.
No penúltimo lugar, e bem perto do empresário, bracarense ficou Olegário Benquerença, que foi o único juiz português a marcar presença no Campeonato do Mundo de 2010, mas só participou em 21 jogos nacionais, tendo dirigido nove partidas da Liga Zon Sagres.
Liga e Federação gastaram, no total, 788.352 euros com os 25 árbitros da primeira categoria, tendo estes recebido, em média, 31.534 euros (3.153 mensalmente).
Dividido pelos dez meses da temporada (de agosto a maio), Jorge Sousa teria recebido cerca de 3.744 euros por mês, enquanto Manuel Mota não iria além dos 2.603 euros mensais.
Valores recebidos pelas participações na Liga, Honra, Taça da Liga e Taça de Portugal:

Jorge Sousa, 37.442 euros (18.598 na Liga)
Carlos Xistra, 35.194 (14.664) 
Duarte Gomes, 34.668 (15.936)
Paulo Baptista, 34.546 (14.464)
Artur Soares Dias, 34.360 (16.254)
Rui Costa, 34.256 (18.362)
João Ferreira, 34.170 (14.228)
Marco Ferreira, 34.145 (18.634)
Vasco Santos, 34.122 (17.644)
Bruno Esteves, 33.824 (15.536)
Hugo Miguel, 33.408 (18.680)
Hugo Pacheco, 32.920 (16.526)
Cosme Machado, 32.239 (13.274)
André Gralha, 31.734 (15.700)
João Capela, 31.240 (16.454)
Jorge Ferreira, 29.527 (10.612)
Hélder Malheiro, 29.386 (10.330)
Bruno Paixão, 28.936 (12.202)
Diogo Santos, 28.705 (8.422)
Elmano Santos, 28.590 (14.818)
Luís Catita, 28.337 (12.556)
Pedro Proença, 27.570 (12.838)
Rui Silva, 26.887 (8.186)
Olegário Benquerença, 26.116 (11.684)
Manuel Mota, 26.030 (6.796)
Fonte: Record

sábado, 28 de maio de 2011

Kassai "honrado" com presença na final


Viktor Kassai está a desfrutar "uma honra muito grande" à medida que se prepara para ser o árbitro mais jovem de sempre a dirigir uma final da UEFA Champions League.
O húngaro de 35 anos foi escolhido para arbitrar a final desta noite, entre FC Barcelona e Manchester United FC (de Nani e Bebé) e está entusiasmado com a possibilidade de um espectáculo de alto nível em Wembley. "A final da UEFA Champions League é sem dúvida um jogo de topo, por isso podemos esperar um hino ao futebol", disse Kassai ao UEFA.com.
Kassai possui bastante experiência em grandes jogos, e vai tentar basear-se nesses conhecimentos antes deste desafio. "A nossa preparação é sempre a mesma; o truque é nunca mudar o estilo", explicou. "Mentalmente, temos que estar muito concentrados; fisicamente, é preciso estar no pico da forma."
O agente de viagens vai ser o quarto húngaro a dirigir uma final da Taça dos Clubes Campeões Europeus. Sándor Puhl, o último a fazê-lo, tem boas memórias da ocasião. "Para um jogador, é um passo muito importante estar envolvido num evento destes; para um árbitro é exactamente o mesmo", afirmou Puhl.
Kassai sabe o quanto isto significa para o seu país, acrescentando: "É uma honra muito grande para mim e para a minha equipa. Ela é composta por sete elementos e cada um vai dar o seu melhor. Depois de Károly Palotai ter dirigido a final por duas vezes, Sándor Puhl foi o último, há 14 anos. É uma grande honra dar seguimento a esse legado valioso da arbitragem húngara."
O predecessor de Kassai na final da UEFA Champions League, Howard Webb, tem alguns conselhos para o seu colega. "Deve entrar em campo confiante e realizar um bom jogo, porque já provou o seu valor em diversas ocasiões", disse Webb ao UEFA.com. "O dia vai passar a correr, como acontece sempre, mas tente assimilar tudo, olhe em seu redor e aprecie o espectáculo grandioso em que vai estar envolvido.
Webb tinha 38 anos quando arbitrou a final da época passada, em Madrid. Mas Kassai, três anos mais novo, está consciente da rapidez com que esta distinção o premiou. "Para ser honesto, não esperava que fosse tão cedo", disse. "Mas na arbitragem, e no futebol, a idade não importa, o mais importante é a qualidade, tomar as decisões correctas e realizar uma boa exibição. Só isso."

Fonte: UEFA

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Vítor Pereira faz balanço da época


Vítor Pereira, o presidente da Comissão de Arbitragem da Liga, fará, na próxima segunda-feira, 30 de Maio, pelas 12h30, a conferência de Imprensa de balanço das arbitragens em 2010-2011.
A conferência decorrerá no Auditório da Liga Portugal, no Porto, no dia seguinte ao final das competições profissionais desta temporada. 
Fonte: LPFP

Entrevista: Damková pronta para o desafio do Lyon-Potsdam


Esta quinta-feira, Dagmar Damková vai acrescentar mais um capítulo a uma brilhante carreira ao arbitrar, em Londres, a final da UEFA Women's Champions League, entre o Olympique Lyonnais e o 1. FFC Turbine Potsdam.

Esta competição tem sido importante para a árbitra checa de 36 anos que, depois de dirigir a segunda mão da final de 2006 – em que o Potsdam perdeu o título europeu para as rivais alemãs do 1. FFC Frankfurt – foi nomeada para arbitrar a final feminina dos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, e a final do Campeonato do Europa Feminino do ano seguinte.

Damková conversou com o UEFA.com depois de fazer um treino de adaptação em Craven Cottage, Fulham, na companhia da equipa de arbitragem que é constituída pelas compatriotas Adriana Šecová e Lucie Ratajová, árbitras assistentes, e Jana Adámková, quarta árbitra.

UEFA.com: O que sente por ter sido nomeada para a final?

Dagmar Damková:
 É excelente, perfeito. Como sempre, vou dar o máximo para que se seja uma noite perfeita para todos. Ficarei contente se as pessoas disserem que a equipa de arbitragem fez um bom trabalho.

UEFA.com: De todos os jogos que já arbitrou, qual foi o que a marcou mais?

Damková:
 Todas as finais que dirigi, no UEFA Women's EURO 2009, na Finlândia, e nos Jogos Olímpicos de Pequim, mas também não posso esquecer a final da antiga Taça UEFA Feminina. Era uma final a duas mãos, mas também foi excelente. A final da Taça da República Checa masculina de 2006, entre o AC Sparta Praha e o FC Baník Ostrava, foi outro marco importante. É bom recordar todas estas finais.
UEFA.com: É importante ter a seu lado três compatriotas?

Damková:
 É bom e estou muito satisfeita por estarem aqui comigo, mas estou habituada a trabalhar com outros árbitros assistentes, de países diferentes, por isso não considero algo fundamental.

UEFA.com: O facto de ter deixado de ser professora a tempo inteiro teve influência na sua carreira na arbitragem?

Damková:
 Sim, tenho mais tempo para treinar e mais tempo para me concentrar antes dos jogos. Agora estou sempre livre e posso ser chamada a qualquer momento para arbitrar um jogo. É sempre bom estar disponível.

UEFA.com: O futebol feminino tem vindo a tornar-se cada vez mais profissional desde que recebeu as insígnias da FIFA, em 1999. Isso também se aplica às árbitras?

Damková:
 Sim, claro. Considero que ambas as coisas estão interligadas com o futebol, que agora é mais rápido. Beneficiamos de muitos cursos e seminários. Há muito material para a nossa formação e assistimos a muitas palestras. Evoluímos muito.

Fonte: UEFA

Viktor Kassai é o árbitro da final da Liga do Campeões



Viktor Kassai foi nomeado para arbitrar a Final da Liga dos Campeões entre o Barcelona e o Manchester United no próximo dia 28/05/2011 (Sabado) em Londres. A equipa de arbitragem vai ser composta por Gabor Erös e György Ring, com Mihaly Fabian e Tamás Bognar com árbitros assistentes adicionais. Istvan Vad vai ser o quarto árbitro enquanto Róbert Kispál vai ser o árbitro assistente de reserva.


Esta é a segunda vez que um árbitro Húngaro é nomeado para estar presente numa Final da Liga dos Campeões, o último tinha sido Sandor Puhl em 1997. Kassai vai se tornar o árbitro mais novo a arbitrar uma final da liga do Campeões, apenas 35 anos.


Ele esteve presente no Mundial de 2010 e impressionou arbitrando a semifinal entre a Alemanha e Espanha. Árbitro internacional desde 2001, arbitrou até ao momento 13 encontros na liga dos campeões.  Kassai arbitrou uma partida da UEFA Europa League e cinco da UEFA Champions League esta temporada, incluindo uma dos oitavos-de-final entre o FC Internazionale Milano e o FC Bayern München e o embate da fase de grupos entre Valencia CF e Manchester United. Kassai irá realizar o seu 4º jogo com o Manchester no próximo sábado. Até ao momento nunca arbitrou o Barcelona na liga dos campeões.

A equipa de arbitragem é constituída pelos seguintes elementos:

28/05/2011
Barcelona – Manchester United
Referee: Viktor Kassai, Hungary
Assistant referees: Gabor Erös, György Ring
Additional assistant referees: Mihaly Fabian, Tamás Bognar
Fourth official: Istvan Vad
Reserve assistant referee: Róbert Kispál
Uefa delegate: TBA
Uefa referee observer: TBA

Fonte: UEFA/ Law 5 - The referee

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Respeito é uma palavra-chave no futebol



Com a UEFA a celebrar o Dia das "Raízes" e as suas finais de clubes, o secretário-geral Gianni Infantino, no editorial da UEFA•direct, pede à família do futebol que nunca se esqueça de preservar o valor do Respeito.


No número de Maio de 2009 da UEFA•direct apresentámos os 11 valores que a UEFA promete seguir e promover. Gostaria de destacar um em particular neste editorial: o do Respeito.

Embora seja fácil professar respeito pelos adversários, árbitros, público e jogo durante a tranquilidade da luz do dia, a questão é muitas vezes diferente no calor da acção, quando as emoções se podem tornar extremamente explosivas e a cortesia inicial acaba por cair no esquecimento.

Isto é particularmente evidente quando se aproxima o final da temporada futebolística, altura em que as competições nacionais e internacionais atingem o seu clímax. A pressão de alcançar os resultados desejados, de equilibrar as contas e de satisfazer os adeptos expõe falhas até aí escondidas e, quando a raiva irrompe, alguns intervenientes levam a cabo acções que os deixam mal vistos, não só a eles como aos restantes.

É precisamente nessas alturas que esperamos ver a força de carácter e a virtude que faz os grandes jogadores e os grandes clubes, os quais não se podem deixar levar pela corrente de emoções, mas sim seguir a rota da calma e da dignidade. A paragem de Verão que se aproxima é, creio, uma boa altura para reflectir sobre estes aspectos do nosso desporto, de forma a que este preserve o seu lado sociável e universal.

A UEFA pode promover o respeito dentro e fora dos relvados. Pode dar o exemplo. Mas para que tal tenha visibilidade, a mensagem tem de ser transportada por toda a família do futebol. A palavra respeito não deve estar apenas impressa nas camisolas dos jogadores, deve ecoar permanentemente dentro das nossas mentes.



Fonte: UEFA

Para pensar e reflectir....


Pequeno excerto do jornal "A Bola" que deve ser lido e reflectido por todos.

Nomeações para a 30ª Jornada da Liga Orangina


A Comissão de Arbitragem (CA) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou, esta quarta-feira, o quadro de árbitros nomeados para a 29ª Jornada da Liga Orangina.

Oliveirense - Varzim = João Capela
Moreirense - Penafiel = Jorge Sousa
Gil Vicente - Fátima = Pedro Proença
Belenenses - Estoril = Vasco Santos
Covilhã - Aves = Duarte Gomes
Sta. Clara - Trofense = Paulo Baptista
Arouca - Freamunde = Rui Costa
Feirense - Leixões = Elmano Santos

Fonte: LPFP

terça-feira, 24 de maio de 2011

FPF: Novos estatutos e regulamento eleitoral

Em execução das deliberações das Assembleias Gerais nas suas sessões de dezanove de Março, dois de Abril, trinta de Abril e vinte e um de Maio, todas de 2011, a Direcção da Federação Portuguesa de Futebol procedeu à realização da escritura pública da alteração dos Estatutos da FPF, nos quais está incluído o Regulamento Eleitoral.
Estatutos e Regulamento Eleitoral Da FPF
Fonte: FPF

Damková apita final da Women's Champions League


O Comité de Arbitragem da UEFA anunciou o nome da árbitra que vai apitar a final da UEFA Women's Champions League, na quinta-feira, entre o Olympique Lyonnais e o 1. FFC Turbine Potsdam, em Craven Cottage, em Londres (início às 20h00 de Portugal Continental).
O jogo decisivo será arbitrado por Dagmar Damková, da República Checa, de 36 anos, internacional desde 1999 e que já dirigiu 69 partidas da UEFA ao longo da sua carreira. Para além disso, Damková também teve a seu cargo, há cinco anos, a segunda mão da final da antiga Taça UEFA Feminina, quando o Potsdam visitou o terreno do 1. FFC Frankfurt.
Damková também arbitrou as finais do UEFA Women's EURO 2009, em Helsínquia, do torneio olímpico feminino de 2008 em Pequim e do Campeonato da Europa Feminino de Sub-18 em 2001, quando a Alemanha defrontou a Noruega em Lillestrom. Além de vários encontros de qualificação para o Campeonato do Mundo, Damková arbitrou igualmente dois da Champions League Feminina na presente temporada: a segunda mão dos oitavos-de-final entre FCF o Juvisy Essone e o ASD Torres CF, e a primeira mão dos quartos-de-final entre o Everton e o FCR 2011 Duisburg.
Na final de Londres, Damková, que é uma professora de inglês, terá a companhia das compatriotas Adriana Šecová e Lucie Ratajová, sendo Jana Adámková, igualmente checa, a quarta árbitra.

Fonte: UEFA

Entrevista a Pedro Proença



Foi considerado por A BOLA o melhor árbitro desta temporada na Liga, no ano em que se afirmou internacionalmente. Pedro Proença diz-se orgulhoso pelo seu percurso mas divide os louros com o resto dos seus colegas. Admite que a imagem dos árbitros tem de ser mudada, mas que os adeptos também precisam de deixar de ser facciosos...

Terminada a época desportiva, foi considerado por A BOLA o melhor árbitro da Liga. Isto é sinónimo da evolução da arbitragem?
- Nada se consegue em termos individuais se não formos apoiados pelos colegas. Esta época deu-se mais um grande salto qualitativo na arbitragem portuguesa, a prestação generalizada foi boa, ter sido considerado o melhor é sinónimo de grande contentamento.

- Então depreende-se que o balanço é bastante positivo, não só em termos individuais como também colectivos.
- Sem dúvida. O conjunto dos árbitros da 1.ª categoria superou as expectativas. E a nível individual foi uma época de afirmação internacional.

- De todos os jogos que dirigiu, tanto em Portugal como no estrangeiro, quais destaca pela positiva? 
- A nível internacional penso que o Bayern Munique, 2-Inter de Milão, 3, que foi considerado o melhor jogo da Champions. Sinto-me satisfeito comigo próprio e com os colegas que me acompanharam nesse jogo. A nível nacional talvez destaque o FC Porto, 3-SC Braga, 2. Um jogo com muita emoção, que acabou por ser repetido na final da Liga Europa.

- Qual a sua opinião quando se diz que os árbitros portugueses apitam melhor lá fora? 
- É uma ideia completamente errada. A preparação de um árbitro é igual para todos os jogos, tanto em Portugal como no estrangeiro. Não é que se apite melhor ou pior, mas lá fora estamos noutro enquadramento, numa terra que não é a nossa, em que não há antecedentes... Pode existir nas pessoas a ideia de que as prestações são melhores mas o grau de dificuldade é igual.

- Que opinião tem sobre a profissionalização da arbitragem? É o passo que falta dar para que se verifique maior qualidade?
- A profissionalização é um caminho inevitável, mas sou céptico e acho que já não vai acontecer na minha geração. Um árbitro que trabalha 10 ou 12 horas por dia e depois, já cansado e stressado, é que vai treinar-se não tem margem para evoluir, que é o que se verifica ao nível dos distritais.



Fonte: A Bola

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Vítor Pereira prepara a arbitragem para a próxima época


O presidente da comissão de arbitragem da Liga de Clubes já anunciou que está a preparar o setor para a próxima época. Nesta altura sabe que a temporada vai começar com o modelo orgânico anterior e não haverá mudanças de fundo até os novos estatutos da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) entrarem em vigor.
Vítor Pereira está focado na organização dos cursos de início da época. O dirigente máximo dos árbitros portugueses da liga confirma o óbvio que é o fato de ter um mandato para cumprir.

Sobre o futuro espera ver quem estará no futuro ao leme do futebol português. Para já é preciso conviver com a realidade existente de haver dois órgãos dirigentes da arbitragem um na federação e outro na liga.

Podem ouvir algumas sãs declarações nos seguintes links:




Fonte: RTP

Campeonato Inglês quer usar tecnologia na linha do golo para ajudar árbitros


Richard Scudamore, principal responsável pelo Campeonato Inglês de futebol, afirmou neste domingo que pretende usar recursos da tecnologia para auxiliar os árbitros a partir da temporada 2012/2013, apesar da postura contrária da Fifa sobre a medida.
“Levamos muito tempo esperando. É uma vergonha para todos nós que administramos o futebol. Sabemos que a tecnologia está pronta, teríamos que poder usá-la e é só uma questão de convencer a Fifa disso”, declarou Scudamore.
O mandatário de uma das ligas mais ricas do planeta fez a declaração durante entrevista à rádio BBC, neste domingo. “Para a próxima temporada é muito cedo, mas na temporada seguinte não vejo nenhuma razão para não aplicar a tecnologia”, argumentou.
A Fifa mantém sua postura reticente sobre o uso de tecnologias, especialmente recursos de vídeo na linha do gol. O argumento é que o dispositivo deveria estar disponível para qualquer nível de competição mundial.

«Dirigir a final da Taça é um momento alto na minha carreira» - João Ferreira

O árbitro João Ferreira, que dirigiu ontem (22/05/2011) a Final da Taça de Portugal, considerou que este é o momento alto da sua carreira e que se sente muito feliz por isso.

«É uma grande alegria estar aqui no Jamor como árbitro. Já tinha estado aqui como quarto árbitro. Mas ter a oportunidade de dirigir a final da Taça é um momento alto da minha carreira», disse João Ferreira, em declarações à RTP.

Para o juiz de campo adiantou que a nomeação para a final já estava planeada e que se preparou para este encontro, entre FC Porto e V. Guimarães, como sempre faz para todos os jogos.

«Há algum tempo estava a preparar este encontro. Fiz como sempre o faço em qualquer jogo, como toda a minha equipa. Apitar este jogo, em relação aos outros, não muda nada. Há uma motivação adicional, mas o trabalho é exactamente o mesmo», assegurou João Ferreira.

O presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, Carlos Esteves, considerou que João Ferreira «é um bom árbitro, é um internacional».

«Merece estar aqui», adiantou Carlos Esteves.



Fonte: A Bola

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Mudanças nas leis do jogo 2011/2012



Após a 125º reunião geral anual da IFAB (International Football Association Board), celebrada no último dia 5 de Março em Gales, o orgão publicou as emendas nas Regras do Jogo aprovadas, assím como as diversas instruções e diretrizes promulgadas.
As mudanças entram em vigor a partir do dia 1 de Julho de 2011. Veja documento oficial da FIFA. (Em espanhol)
Veja mais detalhes no seguinte documento.
Alterações da Leis do jogo 2011-2012
Fonte: Refnews
Escrito em Português do Brasil

Javier Ruiz, «Ex-ábitro denuncia corrupção»

Ruiz vai recorrer à justiça argentina para encontrar culpados da corrupção na arbitragem argentina.


Javier Ruiz, ex-árbitro, lançou a polémica na Argentina ao afirmar que os dirigentes subornam para serem favorecidos nos jogos dos torneios Abertura e Clausura. O homem que se auto-intitula «corrupto arrependido», declarou que vai recorrer à justiça pois teme por si e pela família, e adianta que possui provas concretas que envolvem árbitros, dirigentes, empresários e jornalistas ligados ao desporto.

«Se tenho de dar a cara, faço-o e respondo por tudo, mas está na hora de mudar esta situação. Não sou um doido que lança estas coisas para o ar. Sou um louco que sabe de depósitos bancários, valores, datas... Podem detectar telefonemas com vários empresários e dirigentes», revelou à emissora Pop Radio e ao jornal «Diario Libre».

Ruiz deu detalhes do esquema de subornos. «Os clubes não são beneficiados necessariamente com um penalti. Gere-se de acordo com as características da equipa. Um conjunto como o do Ricardo Caruso Lombardi [actual técnico do Quilmes], por exemplo, é favorecido com a marcação de lances de bola parada perto da área contrária, porque ele trabalha muito bem essas jogadas e costuma ter jogadores altos. O treinador nem sempre sabe de tudo isto», explicou o ex-árbitro.

«Há árbitros que cobram até ao intervalo. Isto é um grande negócio», disparou. O antigo juiz considera que o Rivel Plate não conseguiu manter-se na elite do futebol porque os dirigente não cumpriram o suposto pagamento estabelecido. No final do ano passado, Ruiz já tinha anunciado que a subida à primeira divisão do San Martín de Tucumán, em 2008, e do Characita Juniros, em 2009, assim como o título conquistado pelo Boca Juniors, em 2008, foram «arranjados».



Fonte: Mais Futebol


Ps: O refereetip pede desculpa aos seus visitantes pelo erro inicial que foi cometido nesta noticia. Inicialmente foi colocada uma foto do grande árbitro Colômbiano Oscar Ruiz. Como podem ler nesta noticia o árbitro a que se refere é Javier Ruiz.
Neste momento o erro já foi corrigido.
Pedimos desculpa pelo incomodo.

João Capela em Toulon


João Capela é um dos árbitros nomeados para dirigir alguns dos encontros do Torneio Internacional de Toulon, que se disputa em França, entre os dias 1 e 10 de Junho.
Os árbitros assistentes Sérgio Serrão e Ricardo Santos completam a equipa de arbitragem lusa.
Recorda-se que a Selecção Nacional Sub-20 é uma das formações participante no certame.
Eis o calendário de jogos da competição:

GRUPO A
1 de Junho de 2011 | Quarta-feira
15h15: Colômbia-Portugal | Estádio Mayol, em Toulon
17h30: Costa do Marfim-Itália | Estádio Mayol, em Toulon
3 de Junho de 2011 | Sexta-feira16h15: Colômbia-Costa do Marfim | Estádio de L’Estérel, em Saint-Raphael
18h30: Itália-Portugal  | Estádio de L’Estérel, em Saint-Raphael
5 de Junho de 2011 | Domingo 17h30: Costa do Marfim-Portugal | Estádio De Lattre, em Aubagne
17h30: Colômbia-Itália | Le Grand Stade, em Le Lavandou
GRUPO B
2 de Junho de 2011 | Quinta-feira
15h45: China-Hungria | Estádio Perruc, em Hyeres
18h00: França - México | Estádio Perruc, em Hyeres
4 de Junho de 2011 | Sábado15h15: Hungria-México | Estádio du Ray, em Nice
17h30: França-China | Estádio du Ray, em Nice
6 de Junho de 2011 | Segunda-feira17h00: China-México | Estádio Marquet, em La Seyne
17h00: França-Hungria | Estádio De Lattre, em Aubagne
MEIAS-FINAIS
8 de Junho de 2011 | Quarta-feira
16h30: Meia-final no Estádio Mayol, em Toulon
19h00: Meia-final no Estádio Mayol, em Toulon
FINAL E 3º E 4º LUGAR10 de Junho de 2011 | Sexta-feira17h30: Jogo de atribuição do 3º e 4º lugar | Estádio Mayol, em Toulon
20h00: Final | Estádio Mayol, em Toulon

Fonte: FPF

Olegário Benquerença dirige Alemanha - Uruguai



O árbitro internacional português, Olegário Benquerença, vai dirigir o jogo de preparação, entre a Alemanha e o Uruguai, marcado para o próximo dia 29 de Maio.
 
O juiz da Associação de Futebol de Leiria vai ser coadjuvado por Bertino Miranda e João Santos.

Fonte: FPF

Sandra Bastos no Europeu Feminino Sub-19



A árbitra internacional portuguesa, Sandra Bastos (AF Aveiro), foi nomeada pela UEFA para actuar no Campeonato da Europa Feminino Sub-19.
 
A competição vai decorrer em Itália, entre os dias 30 de Maio e 12 de Junho de 2011, juntando, além da selecção da casa, as representações da Rússia, Suíça, Bélgica, Alemanha, Noruega, Espanha e Holanda.

Fonte: FPF

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Nomeações para a 29ª Jornada da Liga Orangina

A Comissão de Arbitragem (CA) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou, esta quarta-feira, o quadro de árbitros nomeados para a 29ª Jornada da Liga Orangina.

Leixões - Arouca = Bruno Esteves
Freamunde - Sta. Clara = Luís Catita
Aves - Feirense = Paulo Baptista
Trofense - Covilhã = Pedro Proença
Estoril - G. Vicente = Duarte Gomes
Fátima - Moreirense = Diogo Santos
Penafiel - Oliveirense = Carlos Xistra
Varzim - Belenenses = Olegário Benquerença

Fonte: LPFP

Entrevista a árbitro que dirigiu final da Liga Europa


Carlos Velasco Carballo atingiu na noite de quarta-feira (18/05/2011) o ponto alto da sua carreira, ao dirigir a sua primeira final europeia: a final da UEFA Europa League, entre FC Porto e Sporting de Braga. Numa entrevista exclusiva ao UEFA.com, o árbitro de 40 anos, de Madrid, fala da nomeação para o encontro da Dublin Arena e do seu significado.
UEFA.com: Este vai ser o maior jogo da sua carreira?
Carlos Velasco Carballo: Sim, é sem dúvida o maior encontro para o qual já fui nomeado, o jogo de maior cartaz e é um sonho para mim estar aqui e ter sido eleito para dirigir esta final. Fiquei muito orgulhoso quando fui escolhido para apitar os "play-off" da Liga egípcia há uns anos - uma experiência bastante diferente da que se vive no futebol europeu. Também já arbitrei a SuperTaça de Espanha e meias-finais da UEFA Champions League e da Taça de Espanha. Tive a felicidade de já ter dirigido excelentes jogos. Nenhum Campeonato do Mundo ou da Europa até ao momento, mas é para isso que trabalho, para atingir o mais alto nível.
UEFA.com: Quando ficou a saber que iria dirigir esta final e o que sentiu nesse momento?
Velasco Carballo: Comunicaram-me pelo telefone, na segunda-feira. Foi um dos dias mais felizes da minha vida. Inesquecível.
UEFA.com: Como está a ser a preparação para este jogo, a nível individual e como membro de uma equipa de arbitragem de seis elementos?
Velasco Carballo: Uma das minhas principais qualidades é a forma como me preparo para os encontros - assisto ao maior número de jogos possível das equipas envolvidas. Vi quatro de cada formação desta final, prestando especial atenção às tácticas, aos lances de bola parada e à forma como se posicionam defensivamente e no ataque. Depois há a preparação física e, tratando-se de uma final, há ainda mais em que pensar. Tivemos uma sessão de treino pré-jogo esta tarde [terça-feira] e esta noite vamos reunir-nos para observarmos alguns vídeos. Amanhã [quarta-feira] teremos de tratar de alguns procedimentos administrativos e, depois, realizaremos uma segunda reunião, na qual centraremos atenções no nosso trabalho como seis árbitros.
UEFA.com: Já está suficientemente familiarizado com esta experiência dos dois árbitros assistentes adicionais?
Velasco Carballo: Tive a felicidade de estar envolvido nesta experiência desde os primeiros testes, no Europeu de Sub-19 realizado na Hungria. Assim, não vai ser um problema para mim, pois já estou bastante acostumado. Tem de se trabalhar bastante o sistema de comunicação antes do jogo - tem de se ser directo, claro e conciso. Uma ou duas palavras, apenas - penalty, "nada", "falta". De outra forma, com o ruído dos adeptos e seis pessoas a falarem acabamos por nos perder. Há que tomar decisões rapidamente. Tomamos a decisão e, depois, podemos conversar entre nós.
UEFA.com: Quanto tempo demorou até chegar a este momento memorável e por que outros marcos passou na sua carreira até aqui?
Velasco Carballo: Comecei a arbitrar com 16 anos e já fiz 24 temporadas. Tirando ser filho dos meus pais, o que sou há mais tempo é árbitro - sou  há mais tempo do que sou pai, marido ou engenheiro. Realizei vários cursos na UEFA e tenho de salientar o programa de talentos e mentores, o qual tive o privilégio de integrar há um ano e meio. Temos dois mentores a acompanhar os jovens árbitros, a trabalhar com eles, a oferecerem conselhos. Trata-se de um excelente projecto. Sou árbitro internacional há três anos. Ao fim de 21 temporadas e cinco anos como árbitro de primeira categoria em Espanha, fiquei extremamente feliz por passar a integrar a lista de árbitros internacionais.
UEFA.com: É, hoje, árbitro a tempo inteiro?
Velasco Carballo: Sim, há cerca de um ano e meio deixei o meu emprego como engenheiro numa empresa multinacional para me dedicar a tempo inteiro à arbitragem. O futebol ao mais alto nível requer muito tempo de dedicação, muitas viagens, preparação, estudo das equipas, treino - não é compatível com outra profissão a tempo inteiro. Então dediquei-me de corpo e alma à minha paixão pela arbitragem.
UEFA.com: Quais as suas expectativas para a final? A sua família estará presente para o ver actuar?
Velasco Carballo: Espero um jogo bastante disputado, com muita paixão e entrega por parte dos jogadores e dos adeptos, e duas equipas sedentas de erguer o troféu, depois da excelente campanha que realizaram para aqui chegarem. Espero que seja um jogo de que todos desfrutem, quer ganhem, quer percam. A minha esposa vem assistir ao encontro, mas o resto da minha família vai ver o jogo em casa, em Madrid, reunida à volta da televisão para me apoiar – incluindo os meus filhos, Álvaro e Javier.

Fonte: UEFA