sábado, 24 de novembro de 2012

Opinião: A terceira equipa...



A terceira equipa...

Seis minutos. Está na hora. Último cumprimento de equipa. Sai do balneário rumo ao túnel. Cumprimentos e rotinas habituais. Entra em campo. Ambiente fantástico. Cor, gente, magia. Está tudo lá. Barulho quase ensurdecedor. Flashes e mais flashes. Escolhidos os campos. Luzes, câmara, ação. Cronómetro a contar. Começou. Concentração máxima. Estratégia preparada. Cautelosamente. 

Tudo estudado. Jogo fluído. Sem mácula. Alto. Falta. Avisa. Aconselha calma. Está rápido. Corre muito. Procura colocar-se bem. Muito perto estorva. Mais longe não vê tudo. Bom senso precisa-se. Entrada mais dura. Inevitável. Amarelo. Bem mostrado. Bem aceite. Já seguiu. Agora lance na área. Difícil análise. Dificílima. Não pareceu. Manda seguir. Subconsciente marcado pela dúvida. Acertou? Falhou? Espera que não. O jogo não pára. Os lances dúbios sucedem-se. Todos cinzentos. É? Não é? Foi? Não foi? Hesitar é que não. Descredibiliza. Segurança precisa-se. Usa os sentidos. Todos. Ver não chega. Sentir, ouvir, cheirar. Perceber. Conhecer. Decidir. Ou é ou não é. Apita. Amarelo. Vermelho. Contestação. Empurrões. Adrenalina ao rubro. Sangue frio. Muito. Emoção não. Razão. Gelo. Arrefece os ânimos. Trava. Usa experiência. Sensatez. Serenidade de volta. O jogo mudou. Aplicar a lei não chega. Gerir emoções. Perceber mas não facilitar. Compreender gente. Controlar. Autoridade sem autoritarismo. Teste duro à competência. Foco atencional. Golo. Quem marca tranquiliza. Quem sofre mais ansioso. O tempo não pára. Plano B. Acompanhar a mudança. Estar mais em cima. Assertividade e coerência. Firmeza e segurança. O suor não dá tréguas. Rosto em água. O cansaço tenta afetar o discernimento. Não consegue. Está preparado. Fisicamente muito forte. Mentalmente quase esgotado. Está a terminar. Momentos sensíveis. Tudo de pé. Som do apito inaudível. Tensão tremenda. Pede-se penalty. Não foi. Segundos finais. Tudo na área. Bola no meio-campo. Último sopro. Terminou. Correu bem. Parece. O ritmo cardíaco dá tréguas. Lentamente. Desacelera. Respira fundo. Mais um para a história. Cumprimenta com fair-play. É cumprimentado de igual modo. Deu o máximo. Deu tudo. Fez o melhor. Fez tudo. Em consciência. Agora começa o outro jogo. O da tv. Das imagens. Dos comentários. Das opiniões. Pode ser simpático. Pode ser cruel. Pode ser fiel. Pode ser impiedoso. Tal como o dia seguinte. A comodidade de um sofá e a realidade de um terreno de jogo. Ver de fora. Sentir por dentro. Diferença vertiginosa. Filtra o essencial. Releva o acessório. Só pode. Relatório feito. Duche. Hidrata e descansa momentaneamente. Saída muitos minutos depois. Missão cumprida. Kms e mais kms para o regresso. Racionaliza, revê, analisa. Fecha os olhos. O filme do jogo voa no pensamento. Insistentemente. Depois deste, outro virá. Desafios tremendos à contenção. Escola de vida. Para a vida.
Definitivamente... I love this game.





Autor: Duarte Gomes, Árbitro Internacional

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Olegário Benquerença apita Zenit – Málaga para Champions League


O português Olegário Benquerença foi o árbitro escolhido pela UEFA para apitar o Zenit – Málaga, da próxima quarta-feira, a contra para a quinta jornada da Liga dos Campeões.

O árbitro luso reencontrará assim Hulk e Witsel, que até ao final da temporada passada pisavam os relvados nacional, tal como os internacionais Danny e Bruno Alves.

João Santos e Ricardo Santos serão os árbitros auxiliares, enquanto Artur Soares Dias e Carlos Xistra estarão na linha de baliza. Rui Tavares será o quarto árbitro.

O encontro será realizado no Estádio Petrovski, em São Petersburgo.


Fonte: A Bola

Pedro Proença no Ajax - Borussia Dortmund


O juiz português Pedro Proença foi o árbitro nomeado pela UEFA para apitar o Ajax - Borussia Dortmund. Este encontro, a contar para a quinta jornada da Liga dos Campeões (Grupo D), está agendado para a Arena de Amesterdão, na quarta-feira, às 19.45 horas.

Pedro Proença será auxiliado por Tiago Trigo e Bertino Miranda, enquanto Venâncio Tomé será o quarto-árbitro. Duarte Gomes e João Capela serão os árbitros de baliza.

Os alemães ocupam nesta altura o primeiro lugar do grupo, que conta com dois nomes de peso, como o Real Madrid (segundo) e Manchester City (quarto e último posto).


Fonte: A Bola

Liga Europa: os árbitros para Sporting, Académica e Marítimo

A UEFA nomeou o árbitro italiano Paolo Valeri para apitar o Basileia-Sporting de quinta-feira, da quinta jornada da Liga Europa, onde o Sporting joga a última cartada pelo apuramento para a próxima fase.

Na receção da Académica aos checos do Viktoria Plzen, para o Grupo B, estará por sua vez o polaco Marcin Borski, enquanto a visita do Marítimo ao Newcastle (Grupo D) será apitada pelo holandês Danny Makkelie. Também os estudantes e os madeirenses estão em condições difíceis na luta pelo apuramento, a duas jornadas do fim.

Fonte: IOL

UEFA nomeia árbitro russo para o Cluj-SC Braga

O russo Sergei Karasev é o árbitro escolhido pela UEFA para dirigir o encontro entre Cluj e SC Braga, marcado para terça-feira, da quinta jornada do Grupo H da Liga dos Campeões.

Com 33 anos, Karasev só este ano foi promovido à principal categoria de árbitros internacionais, tendo dirigido dois jogos na Liga Europa e um na Liga dos Campeões, para além de outro na fase de qualificação para o Mundial-2014.

A acompanhar Karasev estarão Nikolai Golubev, Tikhon Kalugin (árbitros assistentes), Anton Averianov (quarto árbitro), Aleksei Nikolaev e Maksim Layushkin (árbitros assistentes adicionais).


Fonte: A Bola

Champions: Árbitro húngaro no Benfica - Celtic


O húngaro Viktor Kassai vai arbitrar o jogo entre Benfica e Celtic Glasgow da quinta jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões de futebol.


De acordo com o sítio oficial da UEFA na Internet, Kassai, de 37 anos e internacional desde 2003, vai arbitrar o jogo de terça-feira no Estádio da Luz, em Lisboa, depois de ter dirigido recentemente a derrota da seleção portuguesa na Rússia (1-0), a contar para o Grupo F de qualificação europeia para o Mundial2014.

O árbitro húngaro apitou a vitória do Benfica em Basileia (2-0), da fase de grupos da “champions”, de 2011/12, e, na época anterior, dirigiu a goleada do FC Porto no terreno do Spartak de Moscovo (5-2), na Liga Europa, e a vitória do Sporting de Braga sobre o Arsenal (2-0), na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Antes, Kassai esteve no empate a dois golos do Sporting frente à Fiorentina, nos “play-offs” de acesso à Liga dos Campeões de 2009/10, e nas vitórias do Benfica na receção ao Copenhaga (2-1), na edição de 2007/08 da “champions”, e no terreno do Getafe (1-0), na Taça UEFA da mesma temporada.

Fonte: Diário Digital

Árbitro italiano no Basileia-Sporting


O árbitro italiano Paolo Valeri foi nomeado para o jogo de quinta-feira Basileia-Sporting, da quinta jornada do grupo G da Liga Europa, que os "leões" estão obrigados a vencer.

O Sporting é último do grupo, com dois empates e duas derrotas (dois pontos), com a liderança a pertencer aos belgas do Genk (oito pontos), seguidos pelos húngaros do Videoton (seis pontos) e Basileia (cinco pontos).

O jogo entre a equipa leonina e o Basileia disputa-se no St. Jakob-Park, em Basileia, a partir das 18h00 horas (de Lisboa) de quinta-feira, e será o primeiro jogo de Valeri, internacional desde 2011, em encontros das duas equipas.


Fonte: A Bola

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Opinião de Pedro Henriques: Árbitros Assistentes

Árbitros Assistentes

O fora de jogo e a sua análise é a principal missão de um árbitro assistente, pois é a única situação de jogo onde apenas um elemento da equipa de arbitragem tem de decidir sozinho sem qualquer tipo de ajuda ou opinião. Nesta jornada e nos três jogos mais mediáticos foram assinalados 26 foras de jogo, sendo mais do dobro as situações onde a decisão foi não assinalar. É um facto que nem em todas as circunstâncias a indicação foi correta, mas para quem não tem repetições, imagens paradas, nem linhas virtuais, nem tempo para decidir pode-se dizer que a prestação, mesmo com "casos", foi maioritariamente assertiva e positiva.

No lançamento lateral o executante deve fazer frente ao terreno, ter pelo menos parcialmente os dois pés sobre a linha lateral ou sobre o terreno exterior a esta linha, segurar a bola com as duas mãos, lançar a bola por detrás da nuca e, por cima da cabeça, lançar a bola no local onde ela saiu do terreno de jogo e todos os adversários têm de estar pelo menos a dois metros de distância do local onde é executado. No jogo entre o Rio Ave e o Benfica, o lançamento de Salvio que origina o golo de Lima é executado de forma correta e de acordo com o que a lei preconiza.

O cartão amarelo mesmo em infrações "simples" também pode ser mostrado, quando por exemplo um jogador é reincidente, ou seja, quando infringe com persistência as leis de jogo, quando a atitude do jogador se insere num comportamento antidesportivo e ainda quando o local da infração se situa próximo de uma área, anulando assim uma jogada de perigo que tecnicamente se designa de ataque prometedor.

Negativa a ideia de que há alternativas à não existência de policiamento nos recintos desportivos, no jogo entre Padroense e Senhora da Hora do campeonato de sub-12, disputado em Leça da Palmeira, verificaram-se desacatos entre familiares dos jogadores dos quais resultaram feridos e a posterior chamada ao local das forças de segurança. Será que vai ser preciso morrer alguém para perceberem que este não é o caminho nem a solução?

Frase da semana: "Há homens que se agarram à sua opinião, não por ser verdadeira, mas simplesmente por ser sua"


Fonte: O Jogo

Árbitro Christian Fischer: "É muito difícil perdoar Luisão"


Passados mais de três meses desde o dia em que ficou estatelado no chão após um encontrão do Girafa - na altura disse que tinha sido como bater num muro -, o árbitro alemão ainda não perdoou o jogador brasileiro e aguarda pelo desfecho do caso nos tribunais civis.

Christian Fischer ainda não perdoou Luisão pela agressão do passado dia 11 de agosto, durante o particular com o Fortuna Dusseldorf. E nem irá perdoar se o capitão encarnado não lhe pedir desculpa. Não o fez até agora, nem o jogador nem o Benfica - sustenta o juiz -, e já não o deverá fazer. "Como posso desculpar uma pessoa que continua a achar que não fez nada de mal e não pede desculpa?", respondeu ontem o árbitro alemão a O JOGO, quando se lhe perguntou se, passado este tempo, já tinha ultrapassado o episódio com o jogador brasileiro.

"Ele não pediu desculpa. Nem ele nem ninguém. Acha que agiu corretamente. Assim torna-se muito difícil perdoar", acrescentou o árbitro do segundo escalão germânico e assistente na primeira divisão. Luisão só por uma vez se pronunciou sobre o caso para dizer que tentou falar com o árbitro alemão ainda na noite do jogo. "Lamentei um pouco a atitude dele, porque, depois do jogo, o pessoal da Direção do Benfica e eu tentámos procurá-lo para conversar, mas ele não quis receber ninguém na sala, nem voltar para o jogo", disse Luisão a 15 de agosto em entrevista ao sítio "R7", acusando Christian Fischer de "ter feito um pouco de teatro".

O juiz, de 42 anos, professor do ensino secundário, não quis ontem tecer mais comentários sobre o assunto. Até porque, conforme nos justificou, "o processo está ainda a decorrer nos tribunais civis alemães", na sequência do inquérito aberto pelo Ministério Público de Dusseldorf. 

"Tenho de falar com o meu advogado, mas penso que ainda demorará a ficar resolvido", disse-nos o árbitro que, apesar dos parcos comentários, se mostrou mais disponível do que das anteriores vezes que o contactámos.

Alguns dias depois do incidente - que precipitou a suspensão do encontro com apenas 40 minutos decorridos -, um elemento do Ministério Público de Dusseldorf, Ralf Herrenbruck, confirmou ao jornal alemão "Bild" "a abertura de um um inquérito contra o jogador Luisão, motivado por agressão". "A situação aconteceu perante 25 mil espectadores, e contra um árbitro, pelo que é do interesse público que se proceda judicialmente", afirmou então o responsável do Ministério Público de Dusseldorf. É, pois, este processo que ainda está a decorrer e para o qual o jogador deverá ainda ser chamado a depor.


Fonte: O Jogo

Opinião: Atenção às arbitragens americanas

Autor: Rui Alexandre Jesus
Fonte: Record

Atenção às arbitragens americanas

Realizada a eleição do presidente norte-americano, seria bom que continuassem as análises sobre como se fazem as coisas nos Estados Unidos da América. Os maus exemplos servem para ponderarmos o que não fazer, os bons serão para se seguir; exceto em Portugal, pois orgulhosamente achamos sempre que temos que inventar à nossa maneira, entendendo-se que é uma fraqueza “copiar” o que outros já fizeram.

No soccer americano (o nosso conhecido futebol) já se começa a recrutar árbitros europeus – para já só ingleses – para evitar a repetição do que está a suceder no futebol americano (que nós conhecemos como uma espécie de râguebi). A figura do árbitro, que não era central na modalidade, tem estado durante este ano de 2012 na ribalta após uma sucessão de graves erros de arbitragem, expostos pela dimensão da cobertura televisiva de tais jogos.

Tais erros resultaram do recurso a árbitros menos treinados e não tão bem preparados quanto os seus colegas profissionais. A liga americana, a braços com uma greve, mostrou um aspeto positivo do profissionalismo na modalidade, mas revelou outro negativo: o corporativismo laboral, permitido no quadro de uma negociação sindical focada em garantir um regime de reformas.

Poucas coisas na vida são perfeitas, sendo que o profissionalismo no fenómeno desportivo tem, naturalmente, pontos piores e outros melhores. Contudo, creio que a maioria dos protagonistas em Portugal já concordou que serão mais os benefícios do que os malefícios para a arbitragem, no dia em que se organizar de forma profissional.

Curiosamente, também por causa de uma outra greve, a liga americana de hóquei no gelo teve algumas perturbações no início da época. Mas, mais erro menos erro, jogadores, treinadores e dirigentes não deixaram de concordar num facto: de todos os agentes desportivos envolvidos os árbitros têm a função mais difícil durante um jogo. Custa muito admitir isso por cá? Depois sim, distingam-se os bons dos maus...

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Humor: Futebol é uma escola de vida...


"Workshop" sobre árbitros assistentes adicionais


Responsáveis da arbitragem das 53 federações-membro da UEFA vão estar reunidos quarta e quinta-feira em Nyon para a realização de um "workshop" sobre o sistema de árbitros assistentes adicionais, que neste Verão passou a integrar as Leis do Jogo.

A UEFA coloca já árbitros assistentes adicionais nas suas competições de clubes, depois da decisão tomada em Julho pelo International Football Association Board (IFAB) e no seguimento de experiências levadas a cabo desde 2008. O árbitro, os dois árbitros assistentes e o quarto-árbitro têm agora a companhia de dois árbitros assistentes adicionais, que se posicionam ao longo a linha de fundo, dando especial atenção aos lances que ocorrem dentro das áreas de grande penalidade.

O "workshop" vai analisar os resultados da colocação de árbitros assistentes adicionais em mais de 1.000 jogos e examinará questões como a preparação e exercícios de treino. As federações nacionais terão oportunidade de dar o seu ponto de vista numa sessão de perguntas e respostas. O sistema de árbitros assistentes adicionais está a ser utilizado em Itália desde o início desta temporada e o "workshop" irá olhar para o impacto que tal medida está a ter na Serie A. Pierluigi Collina, responsável pela arbitragem da UEFA, Hugh Dallas e Marc Batta, delegados de arbitragem da UEFA, vão estar ao lado de outros elementos do Comité de Arbitragem da UEFA, para transmitirem o seu conhecimento sobre o sistema e falarem dos benefícios deste, bem como das áreas em que a UEFA ainda o procura melhorar.

A UEFA produziu um DVD destinado às suas federações, no qual oferece informação sobre a implementação do sistema de árbitros assistentes adicionais. O DVD tem por base uma apresentação efectuada por Pierluigi Collina numa reunião das federações nacionais de futebol que decorreu em Kiev, em Julho. Através de exemplos de imagens vídeo, retiradas sobretudo de jogos do UEFA EURO 2012, nos quais foi realizada uma gravação áudio da comunicação entre as equipas de arbitragem, o DVD demonstra os benefícios práticos do sistema dentro de campo, oferecendo para além disso soluções com vista a uma utilização mais eficaz dos recursos de arbitragem, aquando da aplicação do sistema.

Todas as federações nacionais de futebol que integram a FIFA têm liberdade para aplicar o sistema, que deu provas do seu valor no UEFA EURO 2012, este Verão, em especial como dissuasor a ocorrência de incidentes dentro das áreas de grande penalidade.

"Com o futebol a jogar-se a uma velocidade cada vez mais elevada e com os jogadores cada vez mais fortes fisicamente, por vezes parece que os juízes dos encontros têm pela frente uma missão impossível", destacou Collina no pontapé-de-saída de mais uma época de futebol da UEFA, em Agosto, no Mónaco. "Dois pares de olhos extra, concentrados sobretudo nas grandes áreas, constituem pois uma ajuda preciosa ao árbitro principal, fortalecendo a confiança da equipa de arbitragem, ao mesmo tempo que oferecem uma maior fluidez ao jogo. Esta é a principal razão por detrás da colocação em campo de dois árbitros assistentes adicionais."

A presença de dois árbitros assistentes adicionais está a evitar que muitas faltas sejam cometidas. "Porque, com a sua presença, incidentes desse género têm diminuído significativamente", salientou Collina. "Verificámos, no EURO 2012, que houve um aumento do número de golos obtidos de cabeça. Tal é consequência directa da redução dos agarrões e dos empurrões dentro das áreas, e faz com que seja mais fácil para um atacante cabecear com êxito para golo. Tivemos, igualmente, um melhor controlo da avaliação dos lances em que a bola passa ou não por completo a linha de golo."

Fonte: UEFA

Polícia inglesa desiste do caso Clattenburg por falta de provas

A polícia britânica anunciou esta quarta-feira que encerrou o inquérito ao árbitro Mark Clattenburg que estava acusado de insultar o espanhol Juan Mata e o nigeriano Obi Mikel no decorrer o Chelsea-Manchester United, disputado a 28 de outubro passado.

A polícia metropolitano de Londres tinha aberto um inquérito dois dias depois dos incidentes, depois do Chelsea ter acusado o juiz de ter recorrido a linguagem racista contra Mikel, mas agora decidiu fechá-lo pro falta de provas e pelo facto de nenhum dos jogadores presumivelmente atingidos se ter disponibilizado para apresentar queixa contra o árbitro.

«Abrimos uma investigação, mas nenhuma das vítimas se apresentou. O assunto ficará registado como um acidente. Se não há vítimas, nem provas de que se produziu uma infração, não há caso que possa ser investigado», lê-se no comunicado emitido pela Scotland Yard. 

A polémica em redor da arbitragem de Clattenburgo aconteceu num jogo acidentado em que dois jogadores do Chelsea foram expulsos, Ivanovic com vermelho direto e Torres com duplo amarelo. Reduzido a nove, a equipa londrina acabou por perder, em casa, diante do United (2-3), com um golo de Chicharito em possível posição irregular.

No final do jogo, o Chelsea acusou o árbitro de ter insultado dois dos seus jogadores, mas depois deixou cair o caso de Mata e fez apenas queixa à federação inglesa dos alegados insultos racistas a Mikel.


Fonte: IOL

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Nadine Basto - a nova musa da arbitragem brasileira


Nadine Schramm Câmara Basto, este é o nome da árbitra assistente que está chamando a atenção dos adeptos brasileiros, mas não é somente por sua qualidade profissional, mas sim pela sua beleza feminina.

A jovem de 27 anos é especialista em Periodontia e recebeu diploma de mérito estudantil em 2004 pela Universidade do Vale do Itajaí. Nadine está há quatro anos na Federação Catarinense de Futebol e tem objetivo de trabalhar na Copa do Mundo de 2014.

A assistente voltou a chamar atenção após a goleada do Corinthians por 5 a 1 contra o Coritiba. A Catarinense levou a loucura os torcedores que estavam presentes no estádio.

Veja abaixo algumas fotos, da nova "bandeirinha musa":






segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Pedro Proença arbitra particular entre Holanda e Alemanha


O árbitro lisboeta Pedro Proença vai arbitrar o jogo particular entre as seleções de Holanda e Alemanha, na quarta-feira, em Amesterdão, informou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Segundo o sítio oficial do organismo na Internet, o português, que dirigiu a final do Euro2012 e da edição de 2011/12 da Liga dos Campeões, foi nomeado para o encontro, na sequência de um convite feito à FPF pela federação holandesa.

No encontro de quarta-feira, agendado para as 19:00 (hora de Lisboa), Proença vai contar com Bertino Miranda e Tiago Trigo como árbitros assistentes.


Fonte: A Bola

APAF: "Só podemos repudiar as declarações de António Salvador"


José Gomes esclareceu que a reunião entre Godinho Lopes e o presidente do Conselho de Arbitragem em nada influenciou a decisão de Pedro Proença no golo anulado ao Sporting de Braga.
A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, através do presidente José Gomes, veio a público manisfestar o seu desagrado relativamente às declarações do presidente do Sporting de Braga, António Salvador, que no passado domingo sugeriu que o árbitro Pedro Porença prejudicou os arsenalistas no jogo com o Sporting.
"Só podemos repudiar essas declarações. Em nada a decisão de Pedro Proença (de invalidar o golo de Alan) tem que ver com qualquer reunião que possa ter existido. Não há uma relação direta", afirmou em declarações à Antena 1 e fazendo referência à reunião entre Godinho Lopes e o presidente da Conselho de Artibtragem, Vítor Pereira.
José Gomes, justifica ainda a decisão do juíz do encontro. "Pelo que tenho lido nos jornais, a decisão foi correta, por falta do Éder sobre o Schaars", concluiu.

Fonte: DN Desporto

Opinião: "É falta! Pra cartão vermelho!"



É FALTA! PRA CARTÃO VERMELHO!


Vamos falar um pouco das faltas (regra 12) que leva o árbitro (regra 05) mostrar o cartão vermelho sem antes ter mostrado o cartão amarelo ao jogador expulso. Lembramos que a amostragem dos cartões é uma forma de comunicar o jogador (regra 03) e a todos que estão assistindo a partida (regra 07) que este foi advertido ou expulso.

O contato físico entre os jogadores é um aspecto normal e aceitável no futebol, pois é um esporte de competição. Porém nesta linha os jogadores devem sempre respeitar as leis do jogo e os princípios do FAIR-PLAY, ou seja, do JOGO LIMPO.

O jogo brusco grave é uma destas faltas punidas com cartão vermelho. O jogador é culpado de praticar esta ação ao empregar força excessiva ou brutalidade contra seu adversário no momento de disputar a bola em jogo.

Qualquer jogador que se atire sobre o adversário na disputa da bola, de frente, por detrás ou dos lados utilizando uma ou ambas as pernas, com força excessiva e colocando em perigo a integridade física do adversário, será culpado desta prática, sendo assim, expulso.

O jogador que se utilizar de uma entrada que ponha em perigo a integridade física de um adversário deverá ser punido como jogo brusco grave. Esta entrada é o chamado “carrinho”, expressão usada dentro da linguagem da sociedade futebolística. Também expulso diretamente.

Um jogador que aplique uma entrada violenta será punido com um cartão vermelho.

Uma entrada violenta é quando um jogador se lança com um ou os dois pés para frente, quer seja de frente ou às costas do jogador que tenha a bola sem tocar esta última; ou quando se atira com a clara intenção de parar o jogador de forma violenta e sem se importar em que na ação toque ou não a bola.

Outra situação onde será aplicado diretamente o cartão vermelho é a conduta violenta. Esta situação pode ocorrer quer seja dentro ou fora do solo sagrado (campo de jogo – regra 01). Um jogador será culpado de conduta violenta se usar força excessiva ou brutalidade contra um adversário sem que a bola esteja em disputa entre os dois.


Também será culpado se empregar esta força excessiva ou brutalidade contra o próprio companheiro de equipe ou qualquer outra pessoa.

O campo de jogo é para os jogadores darem espetáculos, com jogadas geniais, lances de tirar o fôlego do torcedor e não um ringue de luta. O futebol é um grande veículo de comunicação e educação, a sua prática é desenvolvida principalmente entre as gerações mais novas, desta forma vem à importância que seja praticado com muito FAIR-PLAY (JOGO LIMPO) em sua esfera profissional, pois estes são simplesmente o espelho deste esporte.

Por Valter Ferreira Mariano

sábado, 10 de novembro de 2012

APAF solidária com os árbitros dos núcleos da A.F. Évora



A APAF está solidária com a tomada de posição dos Árbitros da Associação de Futebol de Évora, após as declarações do Sr. Presidente dessa Associação, onde insinua não precisar de árbitros para a realização dos seus jogos, assim sendo a APAF está disponível em tudo o que os Núcleos e árbitros dessa Associação entendam por bem levar a efeito, nomeadamente a mediação deste estremar de posições.

A Arbitragem é uma actividade necessária no Futebol Português e à verdade desportiva, não pode ser vista como uma função dispensável, principalmente por alguém com responsabilidades que deveria defender todos os filiados da sua Associação, tanto clubes, dirigentes, Árbitros e o Futebol na sua generalidade.

Os Árbitros não são nem mais nem menos que todos os restantes filiados de uma Associação, merecem todo o respeito, por parte de quem a dirige.


Pela Direcção,
José Gomes

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Árbitros de futebol de Évora avançam para greve por tempo indeterminado


Os árbitros de futebol de Évora vão avançar para uma greve, por tempo indeterminado, contra o decreto-lei que acaba com o policiamento em espetáculos desportivos e a falta de solidariedade do presidente da associação de futebol local.
    Imagem
O presidente do Núcleo de Árbitros de Futebol de Évora, Hugo Quintino, adiantou hoje à agência Lusa que a greve resulta do ''descontentamento dos árbitros'' com o decreto-lei do Governo que ''acaba com a comparticipação ao policiamento nos jogos de iniciados e juvenis''.

Segundo o responsável, os juízes estão também insatisfeitos com o presidente da Associação de Futebol de Évora (AFE), Amaro Camões, que não se tem mostrado ''minimamente preocupado com esta situação'', tendo afirmado que ''apenas precisava de equipas e de um campo para fazer os jogos''.

A paralisação, que arranca na sexta-feira e que se prolonga por tempo indeterminado, foi convocada pelos núcleos de árbitros de futebol de Évora, de Vendas Novas e da Zona dos Mármores, que representam cerca de 80 juízes do distrito.

A Lusa tentou contactar o presidente da AFE, Amaro Camões, mas sem sucesso.

''A falta de segurança nos jogos e a falta de consideração da AFE, aliada também ao facto de serem aplicadas penas muito leves aos prevaricadores, jogadores e treinadores, deixam-nos preocupados'', realçou o árbitro Hugo Quintino.

O dirigente alertou para as consequências do decreto-lei do Governo que acaba com o policiamento em espetáculos desportivos, considerando que os juízes ''são os que podem ser mais visados com a falta de segurança dos campos''.

Os árbitros não vão comparecer ''em nenhum dos jogos do fim de semana'' e ''não têm data para voltar a atuar nos campeonatos distritais'' até que o presidente da AFE esclareça as ''declarações infelizes que fez'' e ''que se resolva a questão do policiamento nos jogos'', disse.

Fonte: Futebol 365

Árbitro alemão contra o laser



Decorria o minuto 40 do jogo entre encarnados e moscovitas, quando Rodrigo se preparava para marcar um livre direto em zona frontal à baliza russa, propícia à aplicação de um tiro com o pé esquerdo. Enquanto dirigia a barreira, o guarda-redes do Spartak, Rebrov foi visado por um raio laser mais forte do que é habitual, saído da bancada.

A situação tornou-se vulgar nos campos de futebol em todo o Mundo, mas o árbitro alemão não esteve com meias-tintas: antes da marcação da falta, dirigiu-se ao quarto elemento da sua equipa e exigiu que o speaker de serviço na Luz fizesse apelo aos adeptos encarnados para pararem com a brincadeira. Enquanto isso, escreveu algo num bloco de notas, razão pela qual não se sabe que consequências disciplinares (e monetárias) pode ter esse ato.

A verdade é que, depois dessa situação insólita, nunca mais foi visível a exibição do laser sobre os jogadores russos. Prova de que os adeptos portugueses acataram a determinação do juiz germânico.

Fonte: Record

APAF preocupada com fim do policiamento


O vice-presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol está preocupado com o fim do policiamento em jogos de juvenis e escalões inferiores.
"Preocupa-nos bastante essa situação. Já tentámos sensibilizar a Federação Portuguesa de Futebol, mas já percebemos que o Governo não vai voltar atrás nesse decreto-lei e agora temos de arranjar formas de assegurar que não haja incidentes connosco, árbitros, mas esta é uma situação que envolve todos os agentes desportivos", afirmou José Fontelas Gomes à agência Lusa.

Na sexta-feira entra em vigor o decreto-lei 216/2012, que refere que "nos espectáculos referentes a competições de escalões juvenis e inferiores, quando realizadas em recinto, em regra, não deve ter lugar o policiamento". O documento acrescenta que caso o policiamento seja requerido, "de forma justificada", os encargos são "suportados pelos respetivos promotores".

"Há algumas interpretações diferentes do decreto-lei, uma delas é a de que nos campeonatos distritais possa não haver policiamento em jogos de seniores e juniores, mas aquilo que percebemos é a de que envolve os encontros de juvenis e inferiores. Esse é um problema que estamos a tentar resolver", explicou José Fontelas Gomes.

O dirigente da APAF reitera que a "primeira preocupação passa pelos árbitros mais jovens, que ainda estão a crescer e cuja mentalidade não é tão forte como nos adultos". "Preocupamo-nos que alguma coisa possa acontecer, que os possa fazer abandonar a arbitragem ou não saibam gerir as situações que, sem policiamento, possam surgir", concluiu.

Fonte: O Jogo

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

AF Lisboa suspende campeonatos distritais


A AF Lisboa decidiu suspender todos oscampeonatos distritais, pelo facto de o Governo não ter suspendido a entrada em vigor do decreto-lei sobre policiamento em espectáculos desportivos.
"A Direcção da Associação de Futebol deLisboa, em Reunião Extraordinária, realizada em 6 de Novembro de 2012, em que estiveram, também, representados todos os Órgãos Sociais da mesma, deliberou: Suspender, de imediato, a realização de todas as suas provas e de todos os seus campeonatos, em todas as suas categorias e vertentes -- Futebol   e Futsal", lê-se num comunicado emitido pelo organismo.
Refira-se que o decreto-lei 216/2012, que "acaba com o policiamento obrigatório em jogos de iniciados e juvenis", entra em vigor a 9 de Novembro, trinta dias após a sua publicação em Diário da República.

Árbitros Lusos na Liga Europa


Os jogos agendados para esta quinta-feira, referentes à Liga Europa, contarão com o contributo de duas equipas de arbitragem lusa.
Uma das equipas será liderada por Jorge Sousa e entrará em campo pelas 21h00 (locais), em Baku, no jogo entre Neftci PFK e FC Rubin Kazan. A equipa ficará completa com Bertino Miranda e Rui Tavares, o quarto árbitro Nuno Pereira, e os árbitros assistentes adicionais João Capela e João Ferreira.
Em Belgrado, será a vez de Duarte Gomes, Ricardo Santos e Venâncio Tomé, como árbitros assistentes, Tiago Trigo, na condição de quarto árbitro, Carlos Xistra e Hugo Miguel, como árbitros assistentes adicionais, entrarem em acção. O jogo será entre o FK Partizan e FC Internazionale Milano e terá início pelas 21h05 (locais).
Fonte: FPF

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Árbitros nomeados para o Mundial de Clubes 2012


A FIFA já definiu quem serão os responsáveis em dirigir os jogos do mundial de clubes deste fim de ano no Japão. Seguindo seu padrão a entidade levará 7 equipas de arbitragem sendo uma de cada afiliada continental e uma equipa reserva (IRÃO) que só será utilizada em caso de reprovação ou lesão de uma equipa titular.
Confira as equipas que estarão no japão em Dezembro e as principais características dos árbitros principais que comandarão a primeira competição da FIFA com o uso da tecnologia “golo não golo” e sem a presença de árbitros assistentes adicionais:
UEFA (Europa): Cüneyt Cakir (Turquia), Bahattin Duran (Turquia), Tarik Ongun (Turquia) 
OFC (OCEANIA): Peter O´Leary (Nova Zelândia), Jan Hintz (Nova Zelandia), Ravinesh Kumar (Fiji)
AFC (Ásia): Nawaf Shukralla (Bahrein), Yaser Abdulla Tulefat (Bahrein), Ebrahim Saleh (Bahrein)
 CAF (África): Djamel Haimoudi (Argélia), Redouane Achik (Marrocos), Abdelhak Etchiali (Argélia)
CONCACAF (Américas do Norte e Central): Marco Rodríguez (México), Marvin Torrentera (México), Marcos Quintero (México)
CONMEBOL (América do Sul): Carlos Vera (Equador), Christian Lescano (Equador), Byron Romero (Equador)
Equipa de reserva (será apenas utilizada em situações extremas)Alireza Faghani (Irão), Hassan Kamranifar (Irão), Reza Sokhandan (Irão)

Fonte: Blog do Gaciba

Solidariedade dos árbitros ameaça boicotar jogos do Chelsea


Os árbitros ingleses podem boicotar os jogos do Chelsea, em solidariedade para com Mark Clattenburg, acusado pelos londrinos de “linguagem inapropriada”, alegadamente por insultos racistas.
Clive Wilkes, ex-árbitro da Premier League, expressou a indignação dos juízes ingleses e deixou a ameaça de boicote no ar.
“Tenho falado com eles e há uma grande consternação com o que está a acontecer ao Mark. Os árbitros estão profundamente desiludidos, porque se sentem vulneráveis e isolados. Sei de alguns que já pensam boicotar os jogos do Chelsea”, admitiu Wilkes ao jornal “The Sun”.
O inglês relembrou ainda que este caso não é único: “Não é a primeira vez que um árbitro é alvo do Chelsea. Já aconteceu com Anders Frisk e Graham Poll. Não é exagero dizer que os árbitros deste país nunca se sentiram tão rebaixados”.
Anders Frisk retirou-se do futebol depois de receber ameaças de morte por expulsar Drogba frente ao Barcelona em 2005.
Um ano depois, também Graham Poll esteve envolvido em polémica com os “blues” depois de expulsar John Terry frente ao Tottenham.


Fonte: Jornal de Angola

Árbitro espanhol no Dínamo Kiev - F.C. Porto



O espanhol Alberto Undiano Mallenco é o árbitro escolhido pela UEFA para o jogo de terça-feira entre o Dínamo Kiev e o F.C. Porto, da quarta jornada do grupo A da Liga dos Campeões em futebol.
Alberto Undiano Mallenco, de 39 anos e árbitro internacional desde 2004, já dirigiu um jogo dos "dragões" na "Champions", mas é preciso recuar até à época de 2008/09, quando a equipa portuguesa venceu fora o Fenerbahce (2-1) na fase de grupos da prova.
Esta temporada, o árbitro espanhol esteve no jogo da Liga dos Campeões entre o Cluj e o Manchester United, equipas do grupo do Sporting de Braga, e que os ingleses venceram por 2-1.
O jogo entre Dínamo Kiev e F.C. Porto está agendado para terça-feira, às 19.45 horas, e os campeões portugueses qualificam-se para os oitavos de final em caso de vitória, ou até mesmo empate.
O empate servirá, no entanto, apenas se não existir empate no outro jogo do grupo, que opõe o Paris Saint-Germain ao Dínamo Zagreb.
O grupo A é liderado pelo F.C. Porto com nove pontos, seguido de PSG com seis, Dínamo Kiev com três e Dínamo Zagreb sem pontos.

Fonte: Jornal de Notícias

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Platini: "Tecnologia? Para os jogos durarem 3 ou 4 horas?"


O presidente da UEFA voltou a mostrar-se contra a utilização de meios tecnológicos no futebol
Michel Platini, presidente da UEFA, voltou a marcar posição sobre a introdução de novos elementos tecnológicos no futebol. Para Platini, não é possível "evitar todos os erros" e a tecnologia levaria a que os jogos se estendessem por "três ou quatro horas".

"O árbitro pode enganar-se num fora de jogo, numa bola fora, numa falta. Mas se tudo fosse decidido com o auxílio da tecnologia quanto duravam os jogos? Três, quatro horas?", ironizou, numa entrevista à RAI Rádio 2.

Platini aproveitou ainda para defender a utilização de cinco árbitros de campo, tal como já acontece nas provas organizadas pela UEFA.

"Podem ver todas as infracções num jogo. A probabilidade de errar é menor. Se não for assim terão de fazer outro trabalho", concluiu.

Fonte: A Bola

Humor: Ajudem o 4º Árbitro!!!!


Fonte: Grupo Facebook

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

APAF responde a Godinho Lopes

José Gomes, presidente interino da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) atribui as acusações feitas por Godinho Lopes à arbitragem ao «momento menos bom» do Sporting.

«Neste momento, o Sporting está a ser mal tratado, está a ser considerado uma equipa de terceira pelas equipas de arbitragem de uma maneira clara», acusou o presidente leonino, em entrevista a A BOLA TV, motivando a reação daquele organismo. 

«Não tem qualquer cabimento dizer que o Sporting está ser considerado uma equipa de terceira, visto que as equipas de arbitragem tratam todos os clubes de igual modo e com o mesmo respeito. Não penso ter sido uma chamada de atenção, mas uma declaração infeliz», afirmou José Gomes, em declarações à Rádio Renascença.

«A falta de respeito que o Sr. Godinho Lopes aponta é claramente inexistente. Os árbitros respeitam o Sporting tal como respeitam todos os clubes, independentemente da Divisão a que pertencem. Não vejo nem identifico qualquer falta de respeito da arbitragem para com o Sporting», reforçou.

O presidente interino da APAF vislumbra nas declarações do presidente leonino uma tentativa de fazer dos `homens do apito´ o bode expiatório do «momento menos bom que o Sporting atravessa».

Nesse sentido, espera José Gomes que, «a bem da competitividade futebol português», o leão possa recuperar.


Fonte: A Bola

Árbitro terá chamado "macaco" a Obi Mikel



O árbitro do jogo do passado domingo entre Chelsea-Manchester United continua debaixo de fogo em Inglaterra. Mark Clattenburg terá proferido insultos racistas contra jogadores dos blues, entre os quais Obi Mikel, a quem terá chamado "macaco".

A notícia é avançada esta quarta-feira pelo jornal inglês "The Sun". Dois jogadores do Chelsea terão ouvido os insultos a Obi Mikel e Juan Mata, mas Clattenburg quer provar a sua inocência através da restante equipa de arbitragem, que ouviu todas as suas palavras durante a partida, através do sistema de comunicação.

Fonte próxima do árbitro garantiu que o juiz "não disse nada desse tipo" e explicou que "há sempre muito barulho no relvado e os jogadores poderão ter percebido mal", cita o jornal inglês.

O caso já seguiu para inquérito policial e também é alvo de uma investigação por parte da Federação Inglesa.

Fonte: Record

«Às vezes dá vontade de matar os árbitros todos», diz Barcos, avançado do Palmeiras

Hernan Barcos, avançado argentino do Palmeiras, não escondeu a sua irritação após a derrota com o Internacional (1-2) e atirou-se, sem meias palavras, aos árbitros que identifica como os grandes inimigos do clube.

Para o avançado, o Palmeiras é sempre prejudicado, o que contribui para o nervosismo desmedido dos jogadores.

«Somos sempre nós os prejudicados. Temos de manter a calma, mas no momento ficamos f..., às vezes dá vontade de matar todos. A arbitragem faz sacanagem connosco. Temos de jogar contra onze jogadores, mas jogar também contra cinco árbitros por jogo é complicado», afirmou o jogador.

Barcos, que alega ter havido intromissão dos repórteres de pista presentes no jogo no lance que ditou a anulação daquele que teria sido o golo do empate — o delegado Gerson Antonio Baluta terá, alegadamente, ouvido dos jornalistas a informação de que Barcos jogara a bola com a mão e passou-a à equipa de arbitragem liderada por Francisco Carlos Nascimento —, ficou ainda mais agastado ao saber que o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Aristeu Tavares, considerou os protestos do Verdão um «desespero», roçando a «imoralidade».

«Se fosse desespero, eu teria batido no árbitro. Estamos numa situação difícil, mas temos de manter calma. Mas isso é muito difícil», afirmou o argentino.

O Palmeiras é antepenúltimo classificado na Série A, a cinco pontos do Bahia, o primeiro clube acima da linha de água, quando faltam apenas cinco jornadas para acabar o campeonato.

«Não sei se há um esquema para nos prejudicar. Mas em caso de dúvida, a decisão é sempre favorável ao adversário. Já não me lembro da última vez em que o Palmeiras foi ajudado», juntou Barcos.

O presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, deslocou-se entretanto à sede da Federação Paulista de Futebol para se encontrar com os presidentes do organismo Marco Polo Del Nero, e da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin, para fazer eco do desconsolo que reina no grupo.

No final do encontro, o dirigente assumiu que o clube poderá vir a pedir a impugnação do jogo.

«Viemos deixar claro o nosso descontentamento e indignação com o erro cometido no desafio com o Internacional. A partir do momento em que houve ingerência externa no golo anulado ao Barcos, temos fundamento para protestar e pedir a impugnação da partida», explicou o dirigente.


Fonte: A Bola