sábado, 28 de fevereiro de 2009

Resumo das alterações a votar pelo IFAB

In: Globoesporte.com

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

International Board discute alterações às Leis de Jogo

A discussão sobre os métodos tecnológicos que permitam determinar se uma bola ultrapassou totalmente a linha de golo num jogo de futebol é um dos pontos da agenda do "conservador" International Board, que se reúne sábado.
A 123ª reunião anual do International Board (IFAB), na cidade norte-irlandesa de Newcastle, pode marcar uma viragem à insistente aversão dos "guardiões" das leis do jogo às novas tecnologias como recurso de auxílio às equipas de arbitragens.
As tecnologias que permitam confirmar, ou não, um golo, serão um dos temas em discussão mas não serão alvo de qualquer votação, embora mostre que, só pelo facto de figurar na agenda, por sugestão da federação escocesa, a IFAB poderá estar aberta a seguir os mesmos passos de outras modalidades que já aderiram oficialmente às tecnologias, como o ténis ("olho de falcão") ou o râguebi (recurso a imagens televisivas).
Fundada em 1886, a IFAB é composta por membros das federações inglesa, escocesa, galesa e norte-irlandesa, bem como representantes da FIFA.
Nas votações, cada organismo britânico tem direito a um voto, enquanto a FIFA, que representa 204 filiados, a quatro, sendo necessário a maioria de três quartos para aprovar qualquer proposta.
Na mesa de votação estarão temas como o número de substituições, que poderão passar de três para quatro caso seja necessário recorrer a um prolongamento para definir o vencedor de um encontro ou eliminatória.
Outra das regras que poderá mudar é o período máximo para intervalo, fixado actualmente em 15 minutos e que poderá dilatar para os 20, um alargamento, proposto pela FIFA, justificado pelo facto de em alguns estádios os balneários estarem muito distantes do campo de jogo.
A lei do fora-de-jogo pode também sofrer uma ligeira rectificação no que respeita aos jogadores defensores que saem deliberadamente de campo para forçarem a posição irregular ao adversário que ataca.
Nesta situaoção particular, a emenda, também proposta pela FIFA, sugere que todos os jogadores defensores que saiam das quatro linhas sem autorização do árbitro serão considerados como estando em jogo na linha de golo ou linha de fundo do campo.
A FIFA também deseja oferecer mais liberdade aos treinadores, que, segundo a regra actual, têm de abandonar a área técnica logo depois de terem dado instruções para o campo.
A proposta de alteração levanta a obrigação de regressar ao banco, pelo que os técnicos poderão acompanhar o encontro sempre de pé, desde que o desejem e não violem os limites da área técnica.
Embora não seja matéria para votação, a possibilidade de um jogador admoestado com um cartão amarelo ser suspenso do jogo temporariamente, também será alvo de discussão entre os membros do IFAB, por proposta dos norte-irandeses.
A FIFA também apresentará para discussão o relatório da experiência conduzida pela UEFA em algumas fases de qualificação (Eslovénia, Hungria e Chipre) para o Europeu de sub-19, que incluíram mais dois árbitros (um em cada linha de fundo).

In: O Jogo

Nomeações FPF para os dias 28 de Fevereiro e 1 de Março

Consulte aqui as nomeações da Federação Portuguesa de Futebol para os jogos a realizar nos dias 28 de Fevereiro e 1 de Março.

Um exemplo de paixão pelo futebol...

A expressão «dar a vida em campo» nunca fez tanto sentido. Jamie Vermiglio, futebolista do Telford United, entrou em campo frente ao Hincley, a contar para o FA Trophy, com a consciência de que a partida poderia terminar muito antes do apito final do árbitro.
Vermiglio tem uma fractura na coluna vertebral e apenas o sonho de jogar em Wembley o levou a calçar as chuteiras e a equipar-se, num desafio em que também estava em jogo a sua vida.
O futebolista de 26 anos contrariou as ordens médicas e as indicações do presidente do clube. «A vitória foi para o Jamie. Foi-lhe dito para não jogar mais esta temporada, mas ele assinou uma declaração para jogar contra os meus desejos, os desejos do clube e dos médicos», referiu Rob Smith, presidente do Telford, equipa da sexta divisão inglesa.
Vermiglio jogou 45 minutos na vitória do Telford frente ao Hincley, por 1-0. Agora, caso a sua equipa vença o York City nas meias-finais do FA Trophy, o futebolista pode cumprir o seu sonho de pisar Wembley, resta saber se será na equipa titular ou na bancada, como aconselham os médicos.

Opinião: Doença Nacional (Carlos Daniel)

Doença Nacional
Os narradores e comentadores de televisão, e poderia estender a leitura a quem escreve nos jornais, começam a estar numa posição idêntica à dos árbitros. Ninguém liga ao que dizem durante 80 e tal (ou escrevem sobre os mesmos 80 e tal) minutos de jogo. Só interessam os casos de arbitragem que decorrem na restante meia dúzia (de minutos ou de linha de crónica).
É doentio: os adeptos fazem de cada jogo do seu clube um exercício estatístico de comparação permanente entre o deve e o haver face ao árbitro. Tudo o resto é desvalorizado, numa receita que só pode tender a reforçar a incompetência e o compadrio e a disfarçar a falta de rigor na análise.
Culpados são todos: dirigentes, treinadores, jogadores, árbitros, e os próprios jornalistas e comentadores.

Autor: Carlos Daniel
In: Record

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Comunicado da APAF sobre reunião com AF Lisboa


COMUNICADO
1.Realizou-se hoje, dia 26.02.2009, na Sede da AFL, uma REUNIÃO de TRABALHO entre a APAF (presente o seu Presidente: António Sérgio) e Núcleos de Árbitros de Futebol (Agostinho Correia, NAF de Lisboa) e (Pedro Pereira, NAF de Sintra) e a AFL (Presidente da Direcção: Dr Carlos Ribeiro, Vice-Presidente da Direcção: António Silva e Tesoureiro: Laureano Nazaré), Presidente do Conselho de Arbitragem (José Vital), Secretário-Geral da AFL (Armando Carmezim) e Chefe de Serviços do C. A. da AFL (João Sargento).
2.Toda a Reunião decorreu em clima de perfeito e saudável diálogo, podendo considerar-se, quer global quer especificamente, muito profícua;
3.Com excepção do montante da “percentagem” quer servirá de Referencial para a fórmula do cálculo do montante da “Deslocação” – relativamente ao qual se aceite um valor superior ao montante actual mas sem que se tenha, porém, sido aceite o valor que foi proposto pela APAF - das demais revindicações apresentadas pelos Árbitros, através dos seus legítimos representantes, todas foram, em geral, bem acolhidas, por serem razoáveis e atendíveis;
4.E, por isso mesmo – e sem prejuízo de uma análise mais cuidada dos procedimentos a serem seguidos – iriam ser “tratadas” pelos Serviços da AFL;
5.Para uma análise mais cuidada e aprofundada e “acerto” quando à mencionada “percentagem”, ficou, contudo, agendada a realização de uma nova Reunião, se possível antes do final da próxima semana;
6.Face ao clima de bom entendimento criado pela Direcção e pelo Conselho de Arbitragem, da AFL, confia-se que venham a ser atingidos os grandes objectivos dos Árbitros: por um lado, instituição de um permanente canal de diálogo com a AFL e, por outro, uma melhoria significativa das suas Condições de Trabalho;
7.Por tudo isto, e também como prova da boa fé dos Árbitros e de que estes estão sempre disponíveis para colaborar com a AFL, a APAF aconselha vivamente todos os Agentes da Arbitragem, nomeadamente os Árbitros, a, como sempre o fizeram, colocarem-se à plena disposição do seu Conselho de Arbitragem.
Lisboa, 26.02.2009
APAF - Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol

Anexo - Comunicado APAF - Versão de impressão

APAF reúne com AF Lisboa para falar sobre condições de trabalho dos árbitros

A APAF vai reunir hoje, quinta-feira dia 26 de Fevereiro, com a Associação de Futebol de Lisboa com o objectivo de análise da actual situação dos Agentes de Arbitragem desta Associação.
Esta reunião surge no seguimento de uma outra realizada no passado dia 19 de Fevereiro. Na passada quinta-feira, os Representantes dos Núcleos de Lisboa e a APAF, reuniram-se na Sede do NAF Lisboa, com o objectivo de análise da actual situação dos Agentes da Arbitragem da AF Lisboa e ponderação de medidas a tomar para melhorar as condições dos mesmos no desempenho da função, procurando assim criar uma maior justiça e equilíbrio entre todos.
Estiveram presentes os seguintes elementos: António Sérgio, João Capela, Agostinho Correia, Nuno Nepomuceno, André Dias, Pedro Mendes, António Franco e Pedro Pereira.
No final dos trabalhos, foi entendimento geral dos presentes , que face à disponibilidade para dialogar manifestada pela AFL, numa Reunião, pedida pelo Presidente da APAF, agendada na sua Sede - Reunião entre o Presidente da Direcção da AFL, e o Presidente do CA da AFL, e o Presidente da APAF (com representantes dos Núcleos) -, a realizar no próximo dia 26 de Fevereiro (Quinta-feira), que os Árbitros e Observadores de Árbitros que haviam solicitado a dispensa suspendam esse seu pedido, com a maior brevidade possível, para os jogos dos próximos dias 28 de Fevereiro e 1 de Março, mantendo-se esta suspensão até nova data, em função do decurso das negociações.
Foi igualmente entendimento dos presentes que, tendo em conta a situação actual, esta é a melhor forma de defender os interesses dos Árbitros em particular, e do futebol em geral.
A referida Reunião de Trabalho com a AFL terá como Agenda, na essência, as questões relacionadas com. a fixação do valor unitário por Km das “Deslocações” (bem como a melhor justiça na distribuição das importâncias pagas aos respectivos membros das Equipas de Arbitragem). questões específicas várias, tais como os jogos realizados na mesma freguesia, as “Deslocações” aquando de realização de jogos vários no mesmo dia e a atribuição dos prémios de jogos fora do Distrito de Lisboa; e. outros assuntos, nomeadamente os de natureza técnico-desportiva.
Importa que o clima de diálogo criado pela AFL tenha os seus frutos e que todos contribuam para serem preservados os interesses das instituições e dos agentes desportivos envolvidos nesta matéria.
Confia-se que, no decorrer da Reunião, se consiga alcançar o melhor para todos, nomeadamente, os Árbitros e a Arbitragem e se consolide um clima de diálogo entre as várias instituições da Arbitragem, criando-se raízes para o futuro e assegurando-se a, como sempre desejada, estabilidade dos Quadros e das Competições.

In: apaf.pt

Pedro Henriques: «Profissionalização? Já não há volta a dar»

Pedro Henriques foi o convidado da entrevista semanal do Maisfutebol. O árbitro português foi confrontado a reunião do Internacional Board, marcada para sábado, 28 de Fevereiro, na Irlanda da Norte.
O organismo prepara-se para estudar várias propostas de alteração aos regulamentos, incluindo a possível introdução de «caixas de castigo», ou seja, surgirem suspensões temporárias para os jogadores, à parte dos correntes cartões amarelos e vermelhos. «Sem saber ao certo quando a caixa de castigo apareceria, antes do amarelo ou depois, parece-me uma medida adequada. Uma caixa de tempo que permitisse ter um jogador de fora durante um período determinado, que não a expulsão, poderia ser interessante», reconhece.
O juiz, tenente-coronel do Exército português, não coloca objecções a um intercâmbio de árbitros com outros países. Importar árbitros, pura e simplesmente, não: «Até ironizei com isso. Vinham os dois árbitros do Vitória de Guimarães na Liga dos Campeões, o árbitro do Real Madrid-Osasuna e o árbitro do Suécia-Portugal.»
«Fazer intercâmbio com alguns países, sim, isso seria útil. Quem lê e vê coisas fora de Portugal, percebe que o problema é comum. Em Espanha passa-se a mesma coisa. Em Itália, Colina vive momentos de drama autênticos. Tivemos um recente derby, o Inter-Milan, com um golo marcado pela mão», recorda.
Pedro Henriques defende a profissionalização dos árbitros e aproveitou para responder a um desabafo de Paulo Bento, quando o treinador do Sporting disse que a medida levaria apenas ao surgimento de «profissionais incompetentes». «Só digo uma coisa: em Portugal, o que melhor foi distribuído foi a inteligência. Isto porque todas as pessoas acham que a que têm é a suficiente. Digo apenas isto e as pessoas interpretam como quiserem», remata.

In: Mais Futebol

Ainda a história do Arsenal entrar com nove jogadores


Foi um momento insólito, em pleno jogo da Liga dos Campeões. O Arsenal regressou do intervalo e recomeçou o jogo frente à Roma apenas com nove jogadores. Arséne Wenger, treinador dos «Gunners», assume a responsabilidade e explica que o problema se deveu a um atraso de Gallas e à superstição de Touré, que faz questão de ser sempre o último a entrar em campo.
«A culpa é nossa. Quando soa o apito, temos de estar prontos para entrar. Explica-se pelo facto de o Kolo ser sempre o último a entrar e ter esperado pelo William, que tinha feito tratamento e ainda estava a calçar as botas e a acabar de se equipar. Não sabiam que o jogo tinha começado sem eles», explica o treinador francês, admitindo que ganhou mais alguns cabelos brancos à conta do episódio: «Todos os jogadores têm os seus hábitos. A superstição existe no desporto. Mas este tipo de coisas não nos faz mais novos.»
Touré ainda viu um cartão amarelo, porque quando percebeu que o jogo já tinha começado entrou em campo sem autorização do árbitro.
Nota: Aconteceu mesmo erro por parte do árbitro uma vez que um dos jogadores em falta era o capitão do Arsenal.

Opinião: As novas tecnologias no futebol

Vale a pena ler ...

As novas tecnologias no futebol
Periodicamente, principalmente quando perdem os jogos, dirigentes e treinadores clamam pela introdução das novas tecnologias no futebol. Mas será que os problemas actuais do futebol em Portugal seriam resolvidos com novas tecnologias? Penso que não. Apenas continuariam as polémicas semanais habituais mas noutros moldes.
O problema do futebol é que foi um jogo inventado, em meados do século XIX, na sua origem para ocupar os alunos dos colégios ingleses e não para ser um negócio de milhões como é hoje. Assim, as suas regras foram formadas no século XIX com aquele fim. Quando no pós-II Guerra, no século XX, a pouco e pouco o futebol começou ser um negócio, e cada vez menos um desporto, as suas regras revelaram-se incapazes dos novos tempos.

Os americanos, no basquete, também um jogo inventado para ocupar alunos dentro do ginásio nos dias de chuva, viram isso a tempo e introduziram no jogo profissional alterações de fundo tendo em vista há sua melhor audiência na televisão como, por exemplo, o jogo ter quatro tempos de 15 minutos contra os dois de 30 minutos iniciais. Assim o jogo, com os três intervalos, já podia receber mais dinheiro da publicidade das TV’s. O futebol nunca conseguiu ultrapassar o seu estatuto antigo e o resultado, um pouco absurdo, é que um jogo que vale milhões de Euros pode ser resolvido com apenas com um golo solitário daí os constante problema com a arbitragem, o elo mais fraco do sistema, quando se perde, claro! No basquete, onde um jogo se resolve com cerca de 100 pontos uma falta, a menos ou a mais, pouco interfere no resultado final, mas no futebol um golo apenas pode dar milhões de euros mais ou a menos.

As NT, na opinião dos complicadores habituais do futebol, tudo iriam resolver. Os jogos seriam filmados e em caso de dúvida o jogo parava, uma comissão analisava as imagens, decidia a falta, ou a sua ausência e o jogo continuava. E com a colocação de um micro processador no interior da bola os golos seriam prontamente assinalados.

Tudo bem resolvido e assim os jornais desportivos e as estações de TV teriam que encontrar outros assuntos para as polémicas semanais. Mas será assim tão simples? Não! Em Portugal tudo seria ainda mais complicado, e senão veremos com exemplos práticos.

Programa Domingo Desportivo na RTP 1 no dia 11 de Janeiro. Dois especialistas conceituados da nossa praça, um antigo árbitro e um antigo jogador, apreciaram as imagens de uma possível grande penalidade contra o Benfica no jogo contra o Braga. As imagens foram passadas quatro vezes, de três câmaras, em normal e em câmara lenta. Pois as opiniões finais, dos conceituados especialistas em futebol, foram exemplares:
- O antigo árbitro disse que ainda tinha dúvidas se seria falta...
- O antigo jogador, que nunca jogou pelo Benfica disse ser falta.

Este jogo até envolveu declarações do presidente da Liga dos clubes e outras altas individualidades. O Braga barafustou, entregou participações na Liga, mas como é habitual tudo se esqueceu pois na semana seguinte foram descobertos, ou inventados, novos casos que por sua vez foram ultrapassados na outra semana....

Vejamos agora aquela situação concreta com as NT a funcionarem. O árbitro, talvez a pedido do Braga, parava o jogo. Depois o árbitro, com uma comissão formada por delegados de cada clube e outras personalidades, iria para um gabinete ver as imagens enquanto os milhares de adeptos iam roendo as unhas nervosamente à espera da decisão. E depois quem decidia? A maioria? Então o clube que perdia a votação na 2ª feira seguinte viria para os jornais dizer que o árbitro, em conluio com os outros elementos da comissão, “lhes tinham roubado um penalti descarado”. Quer dizer, as NT necessitam sempre no final da sua apreciação de uma decisão humana que tem que ser tomada por alguma pessoa ou por um grupo. Assim, a parte que se julga prejudicada, haverá sempre uma, pois só há duas decisões possíveis, ou há falta ou não há, convencido de ter toda a razão, virá sempre para praça pública acusar os outros de “roubalheira descarada”.

Com opiniões destas, perfeitamente sectárias, como é que seria decidido o resultado final na prática? A tal comissão ficava no gabinete a discutir durante tempos infinitos ou teria a um tempo estipulado no fim do qual teria que sair sempre uma decisão final? E qual seria a reacção dos adeptos, no campo, quando soubessem, alguns minutos mais tarde e depois de uma espera angustiante, que a decisão era contrária às suas expectativas? Certamente que iram reagir com violência pois agora, além do árbitro, havia a tal comissão contra eles o que confirmava a conspiração da qual, já na véspera do jogo, um seu prestimoso dirigente tinha anunciado num jornal desportivo.

Num campeonato normal, como é o inglês, os árbitros erram mas no final do campeonato os erros, em teoria, são distribuídos mais ou menos equilibradamente por todos os clubes. Em Portugal começa-se dizer mal do árbitro, seja ele qual for, na semana anterior ao jogo. Depois, o clube que perde, no final organiza, desde os jogadores aos dirigentes, um clamor geral contra o árbitro que os “roubou”. Mas, se ganhassem o jogo, afirmariam, candidamente, que “a arbitragem não influenciou o resultado pois toda a gente viu que a nossa equipa foi claramente superior em campo”.

Aliás o sectarismo clubístico é de tal ordem que roça o absurdo. Aconselho os leitores, com dúvidas, a lerem, com atenção, uma entrevista que veio publicado no Jornal de Notícias, do Porto, no dia 22 de Fevereiro. Na véspera do jogo entre o Sporting e o Benfica, que teve o resultado de 3 a 2, o jornal entrevistou um adepto do Sporting que é cego e assiste a todos os jogos em Alvalade. Pois esse adepto, formado em Psicologia pela universidade de Genebra, não teve o menor rebuço em afirmar "Há uma espécie de sportinguite em alguns árbitros, dirigentes e treinadores. Sofrem dessa inflamação. O Sporting é muito prejudicado. Isto não é uma lamúria, é uma verdade". Depois, acrescentou esta pérola "O Sporting não pode ganhar, porque é o Olegário Benquerença. É dos tais árbitros que sofre de sportinguite.” Ora até foi com aquele árbitro que o seu tão amado Sporting ganhou o jogo ao Benfica!

Com adeptos, dirigente, jogadores e treinadores deste calibre, que são aos milhares por esse país fora, não serão as Novas Tecnologias que irão resolver os problemas das dúvidas na arbitragem neste pobre e falido futebol português.


Autor: Alberto Pereira (professor aposentado)
In: setubalnarede.pt

João Ferreira é o árbitro nomeado para o F.C. Porto-Sporting

O árbitro João Ferreira foi designado pela Liga para dirigir o encontro entre o F.C. Porto e o Sporting, referente à 20ª jornada do campeonato.
O clássico do Dragão está agendado as 20h30 deste sábado.
Na partida de sábado, o Major do Exército da AF de Setúbal terá como árbitros assistentes Luís Ramos e Pais António.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Nomeações para 20ª jornada da Liga Sagres e Liga Vitalis

Olegário no Chelsea - Juventus para Champions League

O português, Olegário Benquerença, foi nomeado pela UEFA, para dirigir o encontro de hoje entre o Chelsea e a Juventus. O árbitro de Leiria, vai ser auxiliado por José Cardinal e Bertino Miranda, enquanto o quarto árbitro será Bruno Paixão.
Benquerença vai assim encontrar vários portugueses, nomeadamente, Hilário, Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira, Ricardo Quaresma, Paulo Ferreira, Deco e Bosingwa pelo lado do Chelsea e Tiago pela 'Vecchia Signora'.

Arsenal-Roma: 2ª parte começa com dois jogadores na cabine

Episódio insólito no jogo entre Arsenal e Roma, da primeira-mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Quando soou o apito para o início da segunda parte, estavam apenas 20 jogadores em campo. E ninguém tinha sido expulso!
O erro foi do árbitro, o dinamarquês Claus Bo Larsen, que não deu pela ausência de William Gallas e Kolo Touré. O Arsenal ainda esteve cerca de meio minuto a jogar com nove jogadores. Touré viu mesmo o cartão amarelo, por ter entrado em campo sem autorização do árbitro.
Ultrapassado o susto, os «gunners» acabaram por garantir uma vitória por 1-0, graças a uma grande penalidade convertida por Van Persie.
In: MaisFutebol
RefereeTip esclarece que não é necessária a presença dos 22 jogadores em campo para se recomeçar a segunda parte de uma partida. Bastariam sete jogadores de cada equipa, entre os quais um capitão e um guarda-redes.

Árbitro francês Bertrand Layec no Sporting - Bayern

O francês Bertrand Layec foi o árbitro designado pela UEFA para dirigir o Sporting-Bayern de Munique, a contar para a primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.
O juiz gaulês será auxiliado por David Benech e Michael Annonier. O quarto árbitro é Damien Ledentu.
O último jogo dos «leões» apitado por Layec foi o Dínamo de Kiev-Sporting da fase de grupos da Champions da temporada 2007/08, que terminou com o triunfo dos «leões» por 1-2.

Lucílio favorito para o FC Porto - Sporting CP

O internacional setubalense, Lucílio Baptista, deve ser o árbitro escolhido pela Comissão de Arbitragem (CA) da Liga para dirigir o FC Porto-Sporting de sábado.
Lucílio era um dos nomes, a par de Pedro Proença e Olegário Benquerença, que estava na lista dos favoritos quer para o FC Porto-Benfica como para o dérbi lisboeta. Deste lote, a CA foi nomeando Proença e Olegário, respetivamete, pelo que para este último jogo grande da Liga, o setubalense se apresenta como favorito.
Para além de Lucílio, a CA pode ainda optar por Duarte Gomes, Artur Soares Dias (a revelação desta época) e Jorge Sousa, embora este último, tudo indique, vá apitar a final da Taça da Liga (o que o pode afastar desta nomeação). João Ferreira, por seu turno, ainda não fez nenhum jogo dos 'grandes' e, caso esteja bem fisicamente, é um trunfo de Vítor Pereira.
in: Record

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Inglês Howard Webb no Atlético Madrid - Porto

O inglês Howard Webb foi o árbitro designado pela UEFA para dirigir o encontro entre o Atl Madrid e o FC Porto, no Estádio Vicente Calderón, na 1ª mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.
Este sargento da polícia de South Yorkshire, de 37 anos, não traz grandes recordações ao FC Porto, uma vez que dirigiu a recepção dos «dragões» ao Schalke 04, na 2ª mão dos «oitavos» da Liga dos Campeões no ano passado, e que terminou com a eliminação dos azuis-e-brancos na marcação das grandes penalidades. Fucile foi expulso. Espera-se que desta vez o resultado seja diferente.

O treino de um árbitro...

No vídeo podemos ficar a saber como um árbitro de futebol americano treina a sua paciência.

Também seria um bom treino para os os árbitros e árbitros assistentes no futebol português!

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Luís Guilherme eleito presidente da APAF

O antigo presidente do Conselho de Arbitragem da Liga, que já liderou o organismo representativo dos árbitros entre 1999 e 2001, foi eleito sem votos contra, sucedendo a António Sérgio na presidência da APAF.
O actual presidente terá como maiores preocupações a reconciliação do sector com os clubes, bem como as alterações decorrentes do novo Regime Jurídico das Federações Desportivas.Além de Paulo Costa, Lucílio Baptista e Pedro Proença, a lista de Luís Guilherme, que tem como mandatário o antigo árbitro internacional Joaquim Campos, é constituída por outros árbitros da primeira categoria no activo, casos de Olegário Benquerença, Elmano Santos, Duarte Gomes, Carlos Xistra e Bruno Paixão.

Jogador atira bicicleta para o público... que pode o árbitro fazer?!!...

Num jogo da 3ª divisão do Campeonato Paulista, entre o XV de Jaú e o Inter de Limeira, os jogadores do XV decidiram festejar a obtenção do primeiro golo indo buscar uma bicicleta, que estava para ser sorteada pelo público presente no estádio, e lançá-la por cima da vedação.
O jogo acabou com a vitória do XV por 2/0, com dois golos de Tobias, só não se sabe quem é que "facturou" a bicicleta, resta acrescentar que os dois jogadores que lançaram a bicicleta para os adeptos também tiveram um "presente": o árbitro "ofereceu-lhes" um cartão amarelo a cada.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Sugestão: Eleição das Meninas da Liga Sagres

Como já devem ter reparado, nos jogos da Liga Sagres com transmissão televisiva, os árbitros são acompanhados por duas jovens que promovem a marca de cerveja patrocinadora da competição.
Numa iniciativa que não podemos deixar de considerar, pelo menos, curiosa, a Sagres, o jornal A Bola e a revista masculina FHM lançaram um concurso para eleger a dupla de "Meninas Sagres" mais bonita.
Porque é uma situação que está directamente relacionada com a arbitragem da nossa 1ª Liga do futebol profissional, sugerimos que visite o site http://www.meninasligasagres.com/ e vote na sua dupla favorita. Nós por cá ainda não nos decidimos...
Assim que tivermos uma dupla favorita... divulgaremos!

Projecto de Candidatura à Liderança da APAF

Já aqui divulgámos a lista candidata à eleições da APAF.
Hoje, véspera dessas eleições, convidamos a conhecer o Projecto de Candidatura à Liderança da APAF desta lista encabeçada pelo Luís Guilherme.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Platini pede mais árbitros em campo

Michel Platini pega no exemplo do golo do avançado do Inter, Adriano, marcado ao Milan com o braço, para demonstrar que o futebol precisa de ter mais árbitros em campo.
"Se houvesse outro árbitro em campo ele teria visto que a bola foi jogada com o braço. O que é preciso não é mais tecnologia, mas sim mais árbitros em campo. Se nós aumentássemos o número cortaríamos esses erros em cerca de 80%", garantiu o presidente da UEFA em entrevista ao "Corriere dello Sport".
Adriano fez o primeiro golo da vitória do Inter sobre o Milan (2-1), no domingo, num lance em que tenta cabecear mas a bola sai da cabeça para bater no seu braço direito antes de entrar na baliza.

Pedro Henriques repreendido pela CD da Liga

A Comissão Disciplinar da Liga, ainda no rescaldo do jogo entre Benfica – Nacional a contar para a 12ª jornada, repreendeu o árbitro depois das declarações prestadas aos órgãos de comunicação.
Segundo um artigo, o árbitro tem o “dever de não emitir opiniões públicas, sem autorização prévia da CD, sobre matérias de natureza técnica ou disciplinar, em relação a jogos em que tenha intervindo”.
O jogo que terminou com um empate a zeros, ficou marcado pelo golo anulado a Cardozo por suposta mão de Miguel Vítor.

In: Sapo Infordesporto

Família de árbitro agredido indemnizada

O Tribunal de Paredes condenou o Aliados de Lordelo a pagar 46 mil euros à família de Jorge Humberto, antigo árbitro – já falecido – que foi agredido em 1998 com um tijolo na cabeça. O caso aconteceu após um jogo entre o Aliados e o Sousense (distritais do Porto).
Jorge Humberto ficou alguns dias em coma mas viria a recuperar dessa lesão. O árbitro interpôs então um pedido de indemnização à Associação de Futebol do Porto (AFP) e ao Aliados, mas acabaria por não resistir, em 2003, a uma doença que, segundo o advogado da família, Luís Samagaio, não teve ligação à agressão.
Contudo, a família decidiu seguir com a acção que agora chega ao fim. O Tribunal de Paredes absolveu a AFP, mas condenou o clube de Lordelo a uma indemnização a ser entregue à viúva e à filha do antigo árbitro do Porto. Foi provada a responsabilidade do Aliados, devido à presença de várias pessoas em cima do balneário dos árbitros, de onde foi arremessado o bloco de cimento. O autor da agressão a Jorge Humberto nunca foi encontrado, pelo que o processo-crime então instaurado foi arquivado.

In: Correio da Manhã

Lucílio apita hoje na Grécia para Taça UEFA

Hoje, em partida entre Olympiakos e St. Etienne, a contar para a "primeira mão" dos dezasseis-avos-de-final da Taça UEFA, a arbitragem lusa será representada pelo árbitro Lucílio Batista, pelos assistentes João Santos e Venâncio Tomé, e por Luís Reforço (quarto-árbitro). O jogo será disputado no Georgios Karaiskakis Stadium (Atenas), pelas 19h30 (locais).

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Olegário Benquerença é o árbitro do Sporting - Benfica

O leiriense Olegário Benquerença foi o árbitro nomeado pela Comissão de Arbitragem (CA) da Liga para o jogo de sábado, às 20h, entre o Sporting e o Benfica. Benquerença terá como árbitros assistentes Bertino Miranda e José Cardinal.
Olegário Benquerença, de 39 anos, trabalha na área dos seguros e é um dos árbitros internacionais portugueses.Na presente temporada, o árbitro de Leiria, que apita desde 1989/90, dirigiu dois jogos do Benfica (empate 1-1 em casa do Leixões e vitória por 2-0 em Guimarães para a Taça da Liga) e outros dois do Sporting (empate a zero em Paços de Ferreira e vitória por 2-0 em Setúbal).

Nomeações para 19ª jornada da Liga Sagres e Liga Vitalis

Pedro Proença e a nota negativa do jogo do Dragão

Pedro Proença reagiu com tranquilidade à nota que o observador lhe deu na sequência da arbitragem no clássico F.C. Porto-Benfica, uma nota de 2,4 em cinco pontos possíveis. O que configura uma nota insuficiente.
«É a opinião de uma pessoa, neste caso um técnico. Apenas isso», referiu o árbitro em conversa com o Maisfutebol.
O juiz de Lisboa não quis de resto fazer qualquer comentário sobre os lances ou referir se concorda com a leitura do observador ao jogo. «A minha opinião interessa-me apenas a mim», disse.
Em relação à nota negativa, também poucos comentários. «Aceito-a», garantiu. «Sei conviver com as críticas. É a opinião de um técnico e eu respeito-a.»
No fundo, Pedro Proença deu a entender não querer valorizar a nota do observador. «Faço parte de uma actividade mediática e estou preparado para o escrutínio, seja ele público ou técnico», terminou.
in: MaisFutebol

Golo com a mão de Adriano...continuam as diferenças!

Adriano pode ser punido com dois jogos de suspensão devido ao golo marcado com o braço frente ao Milan, no qual o Inter de Milão venceu por 2-1, domingo, pelo Campeonato Italiano. O avançado da equipa orientada por José Mourinho já disse que não foi intencional mas, de acordo com o jornal "Gazzetta dello Sport", a federação italiana (FIGC) analisará o lance nos próximos dias.
Segundo a notícia, o procurador da FIGC, Stefano Palazzi, denunciou o caso ao juiz Gianpaolo Tosel e a jogada será analisada pelas imagens da televisão, tendo do outro lado o relatório do árbitro Roberto Rosetti. Se Rosetti tiver escrito que viu braço na bola mas que entendeu não ter sido intencional, o brasileiro deverá escapar sem puninção. O problema é que o mais certo é o árbitro ter escrito que não viu e, nesse caso, as portas ficarão abertas a uma suspensão que poderá ser de 2 jogos.
Semelhanças com Portugal... apenas no número de jogos de "castigo". Em Portugal o castigado seria outro...

Olegário ou Lucílio no derby... será?

A comunicação social portuguesa já fez as nomeações...
Olegário Benquerença e Lucílio Batista são os mais fortes candidatos a dirigirem o Sporting-Benfica de sábado à noite.Para além de Olegário Benquerença e Lucílio Batista, o presidente da Comissão de Arbitragem da Liga, Vítor Pereira, tem outras possibilidades, Paulo Costa, Carlos Xistra, Bruno Paixão, Elmano Santos e Artur Soares Dias. O novo presidente da APAF e antigo presidente da Comissão de Arbitragem, apenas espera, que a equipa de arbitragem não se faça notar.
À luz dos regulamentos, por terem conduzido os dois últimos jogos das duas equipas, Jorge Sousa, Pedro Henriques, Pedro Proença e Cosme Machado estão impossibilitados de dirigirem o jogo, tal como João Ferreira, este por estar lesionado.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Nomeações FPF para os jogos do dia 17 de Fevereiro

Consulte aqui as nomeações da Federação Portuguesa de Futebol para os jogos a realizar no dias 17 de Fevereiro.

Semelhanças e diferenças entre campeonatos europeus...

O Inter de Milão ganhou por 2-1 ao Milan em derby decisivo para a conquista do campeonato italiano de futebol. Abaixo estão as imagens de um dos golos do Inter, obtido pelo avançado brasileiro Adriano.
Deixamos o desafio para que descubra uma semelhança e uma diferença entre esta situação ocorrida num dos campeonatos mais competitivos do mundo, o italiano, e situação similar que ocorresse no nosso campeonato português. (solução em baixo)
Solução
Semelhança: Os árbitros erram (independentemente da nacionalidade ou do campeonato)
Diferença: A atitude dos restantes intervenientes perante o erro do árbitro

Mais uma agressão a um árbitro... triste este nosso futebolzinho

Árbitro agredido numa partida de futebol cuja receita revertia para a reconstrução da casa de jogador do Vila Real
Cerca de 500 pessoas assistiram, ontem à tarde, ao jogo entre o SC Vila Real e a AD Oliveirense a contar para a III Divisão, cuja receita reverteu a favor de Ernesto Correia, atleta do clube transmontano que no início deste ano ficou sem casa, num incêndio.
Contudo, a partida não acabou da melhor maneira. Aos 94’, a Oliveirense empatou (1-1) o jogo, num golo contestado pelos homens da casa. Alguns jogadores do Vila Real agrediram o árbitro, ainda no interior do campo, tendo sido obrigado, já com ajuda da GNR, a recolher aos balneários.
A revolta dos adeptos ainda causou danos na porta do balneário do juiz da partida.
O jogo, que começou às 15h00, não chegou ao fim e o árbitro Rui Oliveira, do Porto, apenas saiu – escoltado – do estádio às 18h30.
Apesar dos incidentes, o jogo teve uma afluência superior ao habitual, em muito devido ao facto de ter um objectivo solidário. A receita que será entregue ao atleta deverá rondar os 2500 euros.

in: Correio da Manhã

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Má colocação de árbitro, com maus resultados...

Quando um árbitro é protagonista de um jogo, isso nunca é bom sinal. Seja em que circunstância for. Massimiliano Saccani é a prova disso mesmo. O árbitro italiano assumiu grande protagonismo no jogo entre a Lazio e o Torino, não por uma decisão polémica, mas pelo facto de ter sido literalmente derrubado por um remate.
O autor da «bomba» foi o sérvio Aleksandar Kolarov, que procurava dar o empate à sua equipa, com um remate fortíssimo de pé esquerdo, lançado de fora da área. Saccani fez de defesa do Torino e cortou o remate, mas também ficou por terra. Não era para menos, como poderá ver pelas imagens. A Lazio lá acabou por empatar o encontro, e Saccani ganhou um protagonismo que, por certo, dispensaria.

De certo que irá rever a sua movimentação e colocação em campo...

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Corpos Sociais candidatos às eleições da APAF

MESA DA ASSEMBLEIA-GERAL
Presidente: OLEGÁRIO Manuel Bártolo Faustino BENQUERENÇA (18.10.1969), Sócio 875, Leiria, Árbitro FIFA e Profissional de Seguros.
Vice-Presidente: LUCÍLIO Cardoso Cortês BAPTISTA (26.04.1965), Sócio 371, Setúbal, Árbitro FIFA e Bancário.
Secretário: ELMANO Carlos Fernandes SANTOS (23.05.1966), Sócio 485, Madeira, Árbitro 1ª Categoria Nacional e Professor Educação Física.
Suplente: DUARTE Nuno Pereira GOMES (16.01.1973), Sócio 746, Lisboa, Árbitro FIFA e Bancário.

DIRECÇÃO
Presidente:
LUÍS Manuel Blanco Rocha GUILHERME (31.07.1955), Sócio 368, Lisboa, Ex-Presidente da Comissão de Arbitragem da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e Bancário.
Vice-Presidente: GUSTAVO Manuel Rodrigues SOUSA (27.10.1962), Sócio 679, Coimbra, Árbitro da 1ª categoria nacional (Futsal) e Funcionário Público.
Vogal: FRANCISCO José Batista GOULÃO (09.09.1957), Sócio 33-Fundador, Lisboa, Ex-Dirigente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa e Oficial de Justiça.
Vogal: JOSÉ Fernando Martins PADINHA (03.08.1949), Sócio 50, Lisboa, Ex-Dirigente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa e Jubilado.
Vogal: CARLOS Maria ESTRIGA (05.03.1954) Sócio 239, Santarém, Observador da 1ª categoria nacional e Bancário.
Vogal: SÉRGIO Gonçalves Assunção GUERREIRO (04.01.1973), Sócio 637, Lisboa, Ex-Dirigente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa e Empresário.
Vogal: ANTÓNIO Manuel Fernandes RESENDE (08.08.1971), Sócio 920, Aveiro, Árbitro da 2ª categoria nacional e Profissional de Escritório.
Vogal: ANTÓNIO Manuel Rodrigues PINTO (25.05.1970), Sócio 994, Viana do Castelo, Observador da 2ª categoria nacional e Promotor de Vendas.
Vogal: MARIA JOÃO Calado FREIRE (21.07.1977), Sócia 1.840, Lisboa, Árbitra do quadro nacional feminino e Psicóloga.
Suplente: ANTÓNIO Manuel Almeida COSTA (06.12.1960), Sócio 853, Setúbal, Membro do Gabinete de Aperfeiçoamento Técnico da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e Chefe de Produção.
Suplente: Vogal: CARLOS Jorge Silva AMADO (08.11.1967), Sócio 843, Leiria, Árbitro da 3ª categoria nacional e Electrotécnico da PT.

CONSELHO FISCAL
Presidente: PEDRO PROENÇA Oliveira Alves Garcia (03.11.1970), Sócio 589, Lisboa, Árbitro FIFA e Director Financeiro.
Secretário: CARLOS Miguel Taborda XISTRA (02.01.1974), Sócio 698, Castelo Branco, Árbitro FIFA e Funcionário Público.
Relator: JOSÉ Carlos Neves RAMALHO (28.08.1966), Sócio 1.345, Vila Real, Árbitro Assistente FIFA e Director Comercial.
Suplente: JOAQUIM Silva MOREIRA (26.11.1945), Sócio 7-Fundador, Lisboa, Ex-Observador da 1ª categoria nacional e Motorista.

CONSELHO DEONTOLÓGICO E DISCIPLINAR
Presidente:
PAULO Manuel Gomes COSTA (02.12.1964), Sócio 804, Porto, Árbitro FIFA e Gestor de Empresas.
Secretário: Manuel Nuno CUNHA ANTUNES (11.04.1960), Sócio 196, Braga, Observador da 2ª categoria nacional e Profissional Seguros.
Vogal: JOSÉ João Mendes PRATAS (06.10.1957), Sócio 252, Évora, Membro do Gabinete de Aperfeiçoamento Técnico da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e Empresário.
Suplente: BRUNO Miguel Duarte PAIXÃO (18.05.1974), Sócio 863, Setúbal, Árbitro FIFA e Engenheiro de produção industrial.

in: APAF.pt

Guia de Utilização de Bandeirolas Electrónicas

(reposição de post anteriormente publicado)
Solicite o pdf deste trabalho para refereetip@gmail.com

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Luís Guilherme: "Melhorar a arbitragem para melhorar o futebol"

O diálogo é o "caminho" que o antigo dirigente da APAF aponta na apresentação da sua recandidatura
Luís Guilherme, candidato único à presidência da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) nas eleições de 20 de Fevereiro, defendeu hoje, sexta-feira, a ideia de um pacto com os clubes para ultrapassar o "clima de pressão constante".
"Não é por pressionar, por se falar mais que a arbitragem pode melhorar. Essa mensagem tem de passar claramente. Os clubes têm de perceber que este caminho, que seguem há muitos anos, não traz qualquer benefícios para o futebol", sustentou Luís Guilherme, na apresentação do programa de candidatura, na sede da APAF, em Lisboa, advogando a necessidade de outra "disposição das pessoas" e propondo o diálogo, como saída da actual situação. "Assim, não vamos lá", concluiu.
Além de Paulo Costa, Lucílio Baptista e Pedro Proença, a lista de Luís Guilherme, que tem como mandatário o antigo árbitro internacional Joaquim Campos, é constituída por outros árbitros da primeira categoria no activo: Olegário Benquerença, Elmano Santos, Duarte Gomes, Carlos Xistra e Bruno Paixão.
Oiça aqui as palavras de Luís Guilherme sobre o caminho que defende para o futebol!

In: RTP.pt

Nomeações FPF para os jogos dos dias 14 e 15 de Fevereiro

Consulte aqui as nomeações da Federação Portuguesa de Futebol para os jogos a realizar nos dias 14 e 15 de Fevereiro.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Convenção de arbitragem reforçada

Mais sete federações nacionais vão juntar-se à Convenção de Arbitragem da UEFA, após verem a sua candidatura aprovada pelo Comité Executivo.
Reconhecimento formal
Os sete países - Ilhas Faroé, Islândia, Holanda, Irlanda do Norte, Malta, Eslováquia e Suécia - serão formalmente admitidos na Convenção de Arbitragem, durante uma cerimónia de assinatura que terá lugar durante o Congresso da UEFA, em Copenhaga, no final de Março. O Comité Executivo segue, assim, a recomendação do Comité de Arbitragem da UEFA.
Acordo
Ao assinar a convenção, as federações filiadas da UEFA acima referidas aceitam um plano de desenvolvimento para a arbitragem do seu país e tornam-se habilitadas a receber um bónus de cerca de 130 mil euros e pagamentos anuais de cerca de 65 mil euros, desde que mantenham os padrões exigidos.
Objectivos
Os objectivos da Convenção passam por potenciar a formação de árbitros, promover o papel destes e melhorar as estruturas de arbitragem nas federações europeias. Dentro do quadro da Convenção, as federações candidatas são visitadas e alvo de apoio específico por parte de especialistas em arbitragem durante um determinado período de tempo.
O nascimento da convenção
O caminho que conduziu ao nascimento da Convenção de Arbitragem da UEFA começou em 2003, quando uma auscultação efectuada pelo organismo aos árbitros de várias federações revelou a necessidade de proceder a melhorias em determinadas áreas, como a organização, recrutamento, acompanhamento, formação dos jovens árbitros, nomeações e independência dos organismos de arbitragem. Após a aprovação da convenção, no Congresso da UEFA de 2006, em Budapeste, dez federações - Bélgica, Finlândia, França, Alemanha, Hungria, Luxemburgo, Noruega, Escócia, Eslovénia e Suíça - tornaram-se nas primeiras nações a assinar o acordo, em Junho do ano seguinte, seguidas de mais três federações em Dezembro de 2007: Áustria, Dinamarca e República da Irlanda.

APAF nega doping na arbitragem

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) rejeita qualquer “fenómeno de doping na arbitragem”, defendendo que os controlos antidoping aos “juízes” são injustificados, mas não se vai opor a eventuais testes aos seus associados no futuro.
“Em Portugal, o fenómeno do doping na arbitragem não existe e nunca existiu e, de modo algum, se justificam medidas ‘à moda francesa’. De qualquer modo, por princípio, nada há a opor a que tal seja extensivo aos árbitros das competições profissionais de futebol, pois a APAF sempre apoiou e apoiará todas as iniciativas, legislativas e regulamentares, para erradicar do desporto o fenómeno do doping”, lê-se num documento da associação de árbitros a que a Agência Lusa teve acesso.
Em França, a autoridade nacional de combate ao doping (AFLD) prepara-se para efectuar análises aos “juízes” de futebol, râguebi e andebol, já em 2009. Em Portugal, o antigo árbitro internacional de futebol Jorge Coroado confirmou à Lusa que o fenómeno do doping se estende ao sector, mas o também retirado José Leirós assegurou que “nunca existiu doping na arbitragem portuguesa”.
O perito e director do Laboratório de Análises e Dopagem (LAD), Luís Horta, admitiu a hipótese de efectuar testes aos árbitros, caso as autoridades internacionais assim o estipulem, embora se trate de algo que “não está, para já, em cima da mesa”.
Segundo o documento assinado pelo presidente da APAF, António Sérgio, não há necessidade de estender os controlos antidoping aos árbitros porque “a competição não é feita tanto pelas perfomances nas provas físicas, mas sim pelas perfomances na arte de ajuizar”, além de considerar que aqueles agentes desportivos “não estão sujeitos à mesma intensidade de stress que os praticantes” e que “o doping nem sequer é algo acessível às magras bolsas dos árbitros”.
O líder da APAF ressalva que a eventual adopção em Portugal das medidas promovidas em França tem que respeitar as “condições de igualdade desportiva” e o “respeito pela dignidade da função”.
“Não tenho dúvidas em afirmar que, no seio da arbitragem, havia - não sei se ainda há porque já não estou no meio - quem recorresse a isso.(Os controlos aos árbitros) já deviam ter chegado”, afirmou Coroado, concordando com a medida para “proteger a saúde das pessoas e evitar efeitos nefastos mais tarde na vida”.
Na passada semana, a Autoridade Francesa de Luta Contra a Dopagem (AFLD) anunciou o seu programa para 2009, incluindo testes regulares ao sangue de atletas para detectar a presença de hormona de crescimento, entre outras análises sanguíneas, num total de 9.000 testes antidoping previstos, e os inovadores controlos antidoping aos árbitros, após os jogos e também de surpresa, durante os treinos e sessões de formação.
Relativamente ao fenómeno da dopagem dos árbitros, Luís Horta reconheceu já ter sido confrontado com o assunto e a necessidade de actuação das autoridades em vários “colóquios e outros eventos”.
“É uma hipótese que faz todo o sentido porque se trata de agentes desportivos como os outros, com intervenção directa nas competições, e a verdade desportiva é um valor superior”, disse o especialista português.

in: O Jogo

IFA Board reune para discutir alterações às Leis

Alteração nas leis em discussão
International Football Association Board (IFAB), órgão responsável pelas leis do futebol, vai levar a cabo a sua 123ª reunião anual, em Newcastle, Condado de Down, na Irlanda do Norte, no dia 28 de Fevereiro.
Agenda confirmada
A agenda para a reunião foi já confirmada, estando prevista a análise de uma série de propostas de alteração a várias Leis do Jogo. Entre elas encontra-se a alteração da Lei 3 (Número de Jogadores) de forma a possibilitar um aumento do número máximo de substituições em caso de prolongamento. Existe igualmente uma proposta de alteração à Lei 7 (Duração do Jogo), que pretende a extensão da duração máxima do tempo de intervalo.
Outros assuntos
Entre outros assuntos que estarão em discussão, destaque para a recente experiência apoiada pelo International Board que envolve a introdução de árbitros assistentes adicionais e o incitamento de exclusões temporárias. Pode fazer o download da agenda completa da reunião, que terá início às 9h30 locais e de Portugal Continental, no ´site´ oficial da FIFA: fifa.com
Guardião das leis do futebol
Fundado em 1886, o International Board é composto pelas federações de futebol da Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, além da FIFA, sendo tradicionalmente visto como o guardião das Leis do Jogo. Cada federação britânica tem um voto, enquanto a FIFA, em representação dos seus outros 204 membros, detém quatro votos. É necessária uma maioria de três quartos para que qualquer proposta seja aprovada.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Jogador marca golo directamente de pontapé de saída

Um jogo da Série A2 do Campeonato Paulista, entre São Bento e São José, deu que falar no Brasil. A equipa da casa conseguiu reduzir para 2-3, levou a bola para o centro do relvado para perder o mínimo de tempo mas acabou por sofrer o 2-4 logo aí, no pontapé de saída.
Renato Santiago rematou directamente a bola, a partir do centro do relvado, sem que nenhum companheiro de equipa tivesse interferido na jogada.
O golo foi considerado válido e, para que não fiquem duvidas, foi bem validado!

Pedro Proença reconhece e lamenta erro no clássico

Pedro Proença reconheceu que errou ao marcar a grande penalidade que possibilitou o empate (1-1) do FC Porto no clássico de domingo, diante o Benfica, tendo, logo após o final da partida, pedido desculpas a toda a comitiva encarnada, sabe o jornal Correio da Manhã. O juiz lisboeta admitiu que o toque de Yebda em Lisandro não foi suficiente, para provocar a queda do avançado argentino dos dragões, mas que o movimento dos jogadores o terá induzido em erro.

in: Correio da Manhã

Árbitro do jogo Portugal - Finlândia

Portugal defronta hoje a sua congénere Finlandesa em jogo de preparação para o confronto com a Suécia (28 de Março), do grupo 1 de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2010.
O árbitro da partida será o suíço Carlos Bertolini.

Jogador parte braço a árbitro após ser expulso

Enquanto a FIFA faz todos os tipos de campanhas para evitar a violência dentro dos campos de futebol, um jogador da Croácia passou todos os limites. Juraj Petricevic, atleta de 22 anos do Mladost Sucuraj, partiu o braço a um árbitro aos 6 minutos do segundo tempo após ficar muito irritado por ter sido expulso.
Segundo o jornal croata Slobodna Dalmacija, o jogador atacou brutalmente o juiz, começando com golpes na cabeça. “O primeiro soco foi na cabeça. Os seus companheiros tentaram pará-lo, mas acabou por dar um pontapé no meu antebraço”, declarou o juiz.
O incidente aconteceu no último domingo, quando o Mladost enfrentava o Poskok na ilha de Hvar. “A arbitragem não era boa desde o início da partida. Quando o meu filho viu o árbitro exibir-lhe o cartão vermelho, ninguém pôde fazer nada”, declarou o pai do agressor.
A convite da Federação Suíça de Futebol, o árbitro Duarte Gomes (AF Lisboa) e os árbitros assistentes José Ramalho (AF Vila Real) e Sérgio Pimenta (AF Madeira) dirigem hoje o jogo particular entre Suíça e Bulgária.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Jogadores despem-se... que pode o árbitro fazer??!!!....

O Galáctico Pegaso, equipa que milita na 3ª Divisão Espanhola, arranjou uma maneira original para protestar.
Antes do ínicio do jogo, os jogadores reuniram-se e baixaram os calções durante alguns minutos. O árbitro ainda tentou disciplinar os jogadores mas os jogadores do Real Madrid C, que eram adversários do Pegaso, impediram-no formando uma roda.Por cima da camisola de jogo, os jogadores do Galáctico usaram uma t-shirt com a frase "Nos han dejado con el culo al aire".
Os jogadores reclamam de quatro meses sem receber os seus ordenados e, pior ainda, de não saberem a quem os reclamar dado que o Galáctico Pegaso passa por uma grave crise interna.
O resultado do jogo terminou com um empate a uma bola, sendo que o Pegaso permanece na 17ª posição.

Nomeações para 18ª jornada da Liga Sagres e Liga Vitalis

Carlos Esteves: "São muitos erros e alguns são inadmissíveis"

O presidente do Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) diz que se tem assistido a «erros grosseiros» dos árbitros, atribuindo-os a falta de concentração, mas também à pressão exercida sobre os juízes.
«São muitos erros. Alguns não são admissíveis. O que mais me choca muitas vezes são os foras-de-jogo», afirma Carlos Esteves em entrevista à Lusa.
«A comunicação social e os clubes fazem muita pressão sobre os árbitros, o que pode fazer com que entrem para os jogos nervosos», prossegue, falando também em «falta de concentração dos árbitros».
Carlos Esteves não concorda de resto com algumas das opções que tem feito a actual Comissão de Arbitragem da Liga, nomeadamente a não nomeação dos árbitros após uma jornada em que tiveram exibições menos conseguidas. «Se um árbitro fez uma má arbitragem temos de lhe dar confiança dizendo: «Nós apostamos em ti». Se eu o paro, o homem desmoraliza. Devia ser-lhe dado um jogo logo a seguir, para ele não se sentir desmotivado», defende.
Mas defende o trabalho de Vítor Pereira, presidente da Comissão de Arbitragem. «Tem feito um bom trabalho, sério e honesto», considera: «Não acompanho o dia-a-dia, mas aquilo que sei é que tem estado a fazer um trabalho sério e honesto. Não quero dizer que esteja bem a 100 por cento, vemos alguns erros. Às vezes custa compreender erros, mas a arbitragem não está tão mal como se diz.»
O dirigente reconhece de resto que «as coisas não pioraram com a delegação de competências da arbitragem na Liga, e até melhoraram em certos aspectos», mas considera positiva a existência de um órgão único que dirija a arbitragem, prevista na nova Lei de Bases do Desporto.
«Vai ser bom haver um conselho único, a situação de dois conselhos não é salutar para a arbitragem. A arbitragem deve estar toda concentrada no seio da FPF, que é a casa mãe do futebol. A Liga é um sócio ordinário da federação, não se justifica que a tenha», afirma.
Por outro lado, Carlos Esteves afirma-se totalmente contra a introdução de novas tecnologias na arbitragem: «No dia em que as novas tecnologias aparecerem deixam de existir erros do árbitro, a comunicação social deixou de ter importância, o futebol deixou de ter importância.»
Também qualifica como «uma loucura» a ideia de ter árbitros estrangeiros a dirigirem jogos nacionais. «Estou de acordo, desde que seja a UEFA a nomear, mas com um intercâmbio de árbitros de vários países», afirma, acrescentando que «os árbitros portugueses são tão bons como são os jogadores e os treinadores».
Carlos Esteves elege de resto a falta de árbitros como um dos grandes problemas do sector, lembrando que há cada vez menos jovens a seguir a arbitragem, sobretudo devido a «questões fiscais, que obrigam os jovens árbitros a declarar prémios»: «Já temos problemas a nível distrital, já há muitos conselhos em que muitos jogos não têm árbitros oficiais. É um problema complicado. Já houve conversas com o Governo para que autorize que a nível distrital esses prémios não sejam declarados.»

In: Mais Futebol

Antigos árbitros defendem mudanças na arbitragem

Os antigos árbitros internacionais Jorge Coroado e José Leirós, em declarações à agência Lusa, são de opinião que a arbitragem portuguesa sofre um problema estrutural, que só poderá ser resolvido com mudanças na Comissão de Arbitragem (CA) da Liga.
«Não está bem definido o papel das pessoas, não há ligação entre presidente e árbitros. Há um afastamento, há uma atitude de altivez perante os árbitros», afirma Leirós, enquanto Jorge Coroado considera que «não é admissível que quem tem a acção disciplinar sobre os outros agentes desportivos tenha igualmente sobre os árbitros».
«Obviamente que o Vítor Pereira tem que sair e ser encontrada outra pessoa. Porque ele falhou», afirma Leirós, enquanto Coroado não fala em nomes, mas acha que a actual estrutura dirigente do sector «não defende os interesses da arbitragem», mas antes os «interesses pessoais de quem lá está».

Sugestão: Blog de Emprego Desportivo

A partir de agora, encontrar empregos e acções de formações na área desportiva passa a ser mais fácil. Henrique Ramalho Ortigão, licenciado em Ciências do Desporto e com curso de treinador profissional de futebol pela Universidade de Grennwich, é o responsável pela criação de um blogue onde se encontram disponíveis ofertas de emprego e formação na área desportiva.
Com o intuito de reunir num único local anúncios de emprego que os profissionais podem facilmente consultar e aos quais se podem candidatar, o empregodesportivo.blogspot.com pretende contribuir para uma melhoria da situação laboral na área desportiva.
Para além de permitir o anúncio gratuito das oportunidades de trabalho nesta área, o blogue potencia a divulgação das acções de formação por parte das diversas federações, clubes, associações ou outras entidades.
O internautas poderão, igualmente, deixar comentários ou opiniões que possam contribuir para o enriquecimento do espaço.