quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Profissões dos árbitros da Liga




Todos sonham em lá chegar...
Fique a saber o que faz cada um deles na sua vida profissional!


Profissões dos Árbitros da Liga


Fonte: ArbitrosBeja/LPFP

Opinião: Os grãos da motivação

A tendência na arbitragem, nos dias de hoje, é sem duvida a busca pela valorização do fator humano. A esta valorização esta focada na capacidade do árbitro (regra 05) a lidar e enfrentar as adversidades dentro e fora do campo de jogo. 

O árbitro de futebol é um ser humano comum. E sendo um ser humano a sua natureza é muito complexa. Ao entrarmos nesta complexidade, constatamos a diferença entre árbitro top de linha e um árbitro comum, um árbitro cheio de felicidade e um totalmente infeliz. 

Ao observamos este contexto, podemos dizer que os árbitros comuns têm algo em comum entre eles, ou seja, uma falta de motivação, e isso geral uma queda na qualidade de suas arbitragens. Perguntamos afinal o que motiva o árbitro de futebol?

Essa motivação é um processo único, de cada indivíduo. Concepção da evolução humana. O impulso de sonhar e desejar algo maior, uma posição de destaque perante os demais árbitros, status junto à imprensa e ser o referencial para mais novos.

Podemos configurar uma receita para o sucesso utilizando pequenos grãos de área, sempre dependendo, é claro, do ângulo de visão de cada um. 

Iniciamos então nossa receita com a quantidade do grão da dedicação que o árbitro coloca em sua carreira. Sendo essa quantidade pequena o resultado da sua performance será pequena, pois o tempo dedicado as regras do jogo, sua preparação física e o dialogo para trocar informações com seus companheiros serão insuficiente para superar qualquer tipo de dificuldade que venha encontrar numa partida de futebol. 

Continuando com a receita chegamos ao grão do esforço. Este grão é uma espécie de fermento, será ele que fará a carreira do árbitro crescer. O emprego de suas forças para alcançar todos os seus objetivos dentro da arbitragem parte sempre deste fermento, pois não há vitória e muito menos árbitro top sem esforço. 

Para finalizar nossa receita temos o grão da qualidade das ações do árbitro dentro e fora do solo sagrado (campo de jogo – regra 01). Esta qualidade não é nada mais que a cobertura da sua imagem. São ações referentes ao seu cotidiano junto aos seus companheiros de profissão, ao circulo de amizade e conhecidos, principalmente junto à instituição mais valiosa que possui sua família. 

A maioria das pessoas é sonhadora. Elas são motivadas pela possibilidade de ver seus sonhos realizados. Então seus sonhos é o combustível de suas vidas. O árbitro de futebol que não sonha em ser um árbitro FIFA não passa de um simples árbitro, não tem motivação para apitar uma partida de futebol como se ela fosse à final de uma Copa do Mundo.

Por Valter Ferreira Mariano

Justificações...

A propósito do que veio acontecendo no início de época com os resultados de alguns clubes, deixamos estes pensamentos...

É melhor escolher os culpados do que procurá-los
Autor: Pagnol , Marcel

É próprio da natureza humana, lamentavelmente, sentir necessidade de culpar os outros dos nossos desastres e das nossas desventuras
Autor: Pirandello , Luigi

Culpado: o outro indivíduo
Fonte: "Dicionário do Diabo"
Autor: Bierce , Ambrose

Paulo Costa deu lição aos árbitros algarvios

O ex-árbitro internacional Paulo Costa, actual monitor da FPF e presidente da comissão deontológica e disciplinar da APAF, proferiu uma palestra para os árbitros algarvios subordinada ao tema «Algarve para a 1.ª Divisão da Arbitragem».

O antigo árbitro elencou “um vasto conjunto de aspectos essenciais para o sucesso de um árbitro e, também, as motivações que uma carreira no sector pode e deve despertar e ainda os cuidados a ter na preparação técnica e física e no relacionamento com todos os outros agentes do futebol”, refere a Associação de Futebol do Algarve (AFA), em comunicado.

O momento constituiu o ponto alto da primeira acção de formação da época, promovida pelo conselho de arbitragem da AFA, que englobou ainda os habituais testes físicos e escritos.

Fonte: Região Sul

Conclusões dos Cursos de Aperfeiçoamento e Actualização, da época de 2010/2011



Já se encontra disponível o documento com as Conclusões dos Cursos de Aperfeiçoamento e Actualização, da época de 2010/2011.
Consultem o documento abaixo:

CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO CONCLUSÕES


Fonte: FPF

Guia do Observador de Árbitros 2010 - Futebol de Onze



Guia Do Observador Futebol FPF 2010


Fonte: FPF

Duarte Gomes em jogo da Liga Europa



O português Duarte Gomes dirige hoje à noite o FC Utrecht - Liverpool a contar para a Liga Europa.
Confira a equipa de arbitragem completa:

Árbitro: Duarte Nuno Pereira Gomes
Árb. Ass: Bertino Miranda
Árb. Ass: Ricardo Jorge Ferreira Santos
4º Árb: Cosme Cunha Machado
Árb. Ass. Adic 1: João Francisco Lopes Ferreira
Árb. Ass. Adic 2: Bruno Alexandre Silva Esteves

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Uma "não lei da vantagem" que impediu um golaço!

Um grande golo, que nunca chegou a ser...Por culpa de um português. Ou melhor, por "culpa" de um árbitro que ao não aplicar a "lei da vantagem" privou o mundo de futebol de mais um «golaço».

Aconteceu na Holanda, no jogo entre o VVV Venlo e o De Graafschap. Do lado da equipa da casa estavam em campo Chula e Josué, dois jovens portugueses emprestados pelo F.C. Porto. O segundo viria a ter participação decisiva no lance insólito.

Na tentativa de ganhar uma bola a meio campo, acabou derrubado em falta. A bola sobrou para o companheiro Ken Lemmans que não pensou duas vezes e rematou, a cerca de 40 metros da baliza. A bola entrou no ângulo e o estádio levantou-se para celebrar. Em vão. O árbitro já tinha apitado a falta sobre Josué. O autor da mesma ainda reclamou, garantindo que não tinha tocado no jogador. Por ventura, não viu o que se seguiu, pois teria era de agradecer aquele apito do árbitro.

Veja o lance:


Nomeações para a 7ª jornada da Liga Zon Sagres e 4ª Jornada da Liga Orangina



Foram dadas a conhecer as nomeações da arbitragem referentes à 7ª jornada da Liga Zon Sagres e 4ª Jornada da Liga Orangina

Liga Zon Sagres - 7ª Jornada

Rio Ave - Marítimo:

Árbitro: João Ferreira
Árbitros Assistentes:  Pais António, Luís Ramos
Observador:  Fernando Ferreira

Nacional - Portimonense:

Árbitro: André Gralha
Árbitros Assistentes: Valter Oliveira, Luís Cabral
Observador:  Alexandre Morgado

V. Guimarães - Porto:

Árbitro:  Carlos Xistra
Árbitros Assistentes: Alfredo Braga, Luís Tavares
Observador:  António Brandão

Leiria - Académica:

Árbitro: Elmano Santos
Árbitros Assistentes: José Oliveira, Cristóvão Moniz,
Observador:  Carlos Coelho

Naval - Paços Ferreira:

Árbitro: Rui Silva
Árbitro Assistente:  Fernando Pereira, Bruno Trindade
Observador:  Fernando Mateus

Beira-Mar - Sporting:

Árbitro: Paulo Baptista
Árbitros Assistentes: Jorge Cruz, Paulo Soares
Observador: Mário Graça

Olhanense - V. Setúbal:

Árbitro: Cosme Machado
Árbitros Assistentes: Henrique Parente, Paulo Vieira
Observador: Andrelino Pena

Benfica - Braga:

Árbitro: Duarte Gomes
Árbitros Assistentes: Venâncio Tomé, José Lima
Observador: Natálio Silva


Liga Orangina - 4ª Jornada

Arouca - Moreirense:

Árbitro: Jorge Ferreira
Árbitros Assistentes: Inácio Pereira, José Gomes
Observador:  Luís Ferreira

Santa Clara - Covilhã:

Árbitro: Rui Costa
Árbitros Assistentes: Nuno Manso, Tomás Santos
Observador:  Manuel Antunes

Fátima - Belenenses:

Árbitro: Hugo Pacheco
Árbitros Assistentes: Vítor Carvalho, Pedro Ribeiro
Observador: Amílcar Ventura

Estoril - Penafiel:

Árbitro: Vasco Santos
Árbitros Assistentes: Alexandre Freitas, Rui Licínio
Observador: Humberto Viegas

Aves - Gil Vicente:

Árbitro: Pedro Proença
Árbitros Assistentes: Tiago Trigo, André Campos
Observador:  Humberto Gonçalves

Trofense - Feirense:

Árbitro: Olegário Benquerença
Árbitros Assistentes: João Santos, Luís Marcelino
Observador: Sales Gomes

Freamunde - Varzim:

Árbitro: Jorge Sousa
Árbitros Assistentes: José Ramalho, José Luís Melo
Observador: Joel Amado

Leixões - Oliveirense:

Árbitro: Marco Ferreira
Árbitros Assistentes: Álvaro Mesquita, Nuno Pereira
Observador: Arlindo Coimbra


Fonte: LPFP

Sugestão: Blog do NAF Brandoa Amadora

Hoje a nossa sugestão recai sobre o Blog do Núcleo de Árbitros de Futebol Brandoa Amadora. Este é um blog dinâmico que abrange não só a arbitragem distrital como também Nacional e Internacional. Se pretendem ficar atentos as noticias da arbitragem visitem este blog.
Visitem em http://nafba.blogspot.com/


RefereeTip

Em Espanha, foi o assistente quem «agrediu» o steward





Em Portugal, os stewards fizeram correr muita tinta. Em Espanha, deram motivo para rir. Na verdade, o assistente de recinto desportivo foi apenas um inocente no meio de uma jogada caricata no Racing-
Getafe, da última jornada da liga espanhola. Mais culpado foi o assistente do árbitro, que agrediu o steward, derrubando-o. Agrediu, ou não...

Em Santander, a jogada desenrolava-se junto à defesa dos visitantes. O Racing metia a bola na frente, mas um central do Getafe cortou a jogada e despachou pela linha lateral. A bola saiu com força e atingiu o «bandeirinha», que se desequilibrou e acabou por derrubar o steward...que lhe amparou a queda.

Veja o vídeo:


Fonte: Mais Futebol

Se isto acontecesse em Portugal!!!!



Uma atitude dos jogadores do Liverpool colocou em dúvida o espírito do fair-play no Campeonato Inglês. O facto polémico ocorreu na marcação do primeiro golo da equipa na partida contra o Sunderland.
Vejam o seguinte:




No entanto, o Corpo de Árbitros Profissionais da Inglaterra divulgou nota a defender a decisão tomada por Stuart Attwell. O comunicado diz que, segundo as regras do futebol, cabe ao árbitro indicar o reinício da partida após a interrupção por infracção. Essa indicação não precisa ser necessariamente sinalizada com o apito. Um gesto, por mínimo que seja, pode ser considerado como autorização para o reinício do jogo.

RefereeTip

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Opinião: Uma experiencia inesquecível




Nos dias 24,25 e 26 de Setembro realizou-se pela 9ª vez consecutiva o Encontro Nacional de Árbitros Jovens no Complexo Desportivo de Rio Maior.

Na sexta-feira a entrada no complexo desportivo realizou-se por volta das 19 horas e confesso que ia um bocadinho a medo por não saber o que me esperava nem como iria ser toda aquela experiencia mas acabou por se revelar uma surpresa muito boa. Tivemos uma recepção excelente onde nos puseram logo a vontade e onde começamos logo a contactar com árbitros de outros concelhos, o que se revelou muito bom, porque deu para trocar experiencias vividas e porque vimos que toda a gente que lá estava queria era se divertir, fazer novas amizades e acima de tudo: ser árbitro. Após o jantar foram-nos distribuídos os Kits para os dois dias de trabalho que nos esperavam

No sábado tive uma das experiencias mais marcantes da minha vida: estar presente na mesma sala com o Olegário Benquerença, árbitro internacional e um dos árbitros que participou no mundial deste ano e poder assistir em tempo real ao relato desta sua ultima fase menos positiva da sua carreira e tentar perceber como de repente as pessoas o passaram de bestial a besta, quando na verdade ele mostrou que tem muito valor e que e um ser simplesmente fantástico e com quem eu adorei trabalhar. No sábado a tarde seguiu-se uma tarde de treinos dirigida pelo Olegário e pelo C.A.T de Leiria e onde pudemos trabalhar de uma maneira prática tudo aquilo que vemos e que aprendemos teoricamente, e que a mim, me ajudou imenso, visto ter uma experiencia praticamente nula em campo. Como excelente pessoa que e o Olegário não se recusou a tirar qualquer foto e deu um autografo personalizado a todos aqueles que lhe pediram e assim deu por encerrada a sua participação no encontro e ao nosso sábado.

No Ultimo dia, Domingo, em jeito de despedida fizemos uns jogos fora do complexo desportivo, onde nos guiávamos por um mapa e tínhamos de parar em certo pontos e realizar as tarefas propostas e enquanto isso tínhamos um pequeno teste onde tínhamos de responder as perguntas. No final a equipa vencedora, a qual pertencia, teve direito a umas meias da lacatoni oferecidas pela APAF.

Foi uma experiencia única e que espero repetir para o ano e se não for melhor que seja idêntica a esta.


Por Bárbara Peixoto, árbitra jovem de 16 anos de Viana do Castelo

RefereeTip - Grupo de Estudo de Árbitros de Futebol




O RefereeTip continua a crescer com o objectivo de ajudar os árbitros e arbitragem portuguesa. É com este pensamento que diariamente a equipa RefereeTip trabalha. Para dinamizar e aumentar ainda mais a nossa cooperação com a arbitragem, temos o prazer de anunciar que foi realizada uma parceria com o “Grupo de Estudo de Árbitros de Futebol”. Este é um grupo, na rede social Facebook, que foi criado pelos árbitros Eduardo Gaspar e Sandro Gonçalo Morgado Soares que desde o inicio sempre fizeram um excelente trabalho.

Este grupo serve para os árbitros debaterem e discutirem as leis de jogo, contribuindo para a sua formação técnica.
Podem aceder a este grupo através do seguinte link.

Esperamos que este grupo seja uma mais-valia para todos aqueles que pretendem melhorar as suas competências técnicas.
Convidamos todos os interessando a aparecerem.

RefereeTip

Jovens árbitros estiveram em Rio Maior para ouvirem experiência dos profissionais (vídeo)




Seis dezenas de jovens árbitros, entre os 14 e os 18 anos, participaram no fim-de-semana passado num encontro no complexo desportivo de Rio Maior para aprofundarem os seus conhecimentos e trocarem experiências. Entre o grupo estavam alguns homens e mulheres do apito da região.

Os árbitros que estão a dar os primeiros passos nesta área revelam já alguma maturidade no que toca a saber lidar com os insultos. “Temos que fazer ouvidos de mercador”, diz Inês Henriques, jovem árbitra de Santarém, com 16 anos de idade, que confessa ser alvo de comentários pelos jogadores mais velhos. “É mais difícil impor o respeito por ser rapariga. Chateia-me, mas tento não ouvir e concentrar-me apenas no jogo”, salienta.

A possibilidade de cometer erros durante um jogo não assusta estes jovens. “Um árbitro é um ser humano, tem direito a errar”, defende Ilpo de 17 anos, natural de Torres Novas, para quem a imparcialidade não é difícil de alcançar. “O árbitro tem direito a ter preferência clubística, mas a partir do momento em que entra no campo tem que se limitar a fazer o seu trabalho”, afirma seguro.

Olegário Benquerença, árbitro da primeira liga, foi a Rio Maior partilhar os seus conhecimentos com estes jovens e aproveitou para deixar alguns conselhos. "Só os fortes sobrevivem, porque se nós não fôssemos fortes, trucidavam-nos com toda a facilidade. Se não fossemos capazes de aguentar, fazíamos o que faz o comum dos mortais que era virarmo-nos e desatarmos à bofetada. Temos de ter a capacidade e a força de espírito para resistir” aos insultos vindos da bancada e às vezes até de jogadores.

Para o árbitro profissional “se colocassem um apito na boca de 90 por cento daqueles que criticam os árbitros, borravam-se todos”, rematou, arrancando gargalhadas da plateia. O nono Encontro Nacional do Árbitro Jovem, que decorreu de 24 a 26 de Setembro, para além da partilha de experiências, incluiu exercícios físicos e treinos de campo. O que para Lopes Brites, observador de árbitros, presente no encontro, “é uma mais-valia para a preparação dos aspirantes à profissão”.

Vejam o seguinte Video:



Fonte: O Mirante