sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Mais um árbitro cipriota alvo de atentado

Uma bomba explodiu à porta da casa do árbitro cipriota de futebol Vassilis Demetriou, um mês depois de um atentado semelhante, anunciou hoje a polícia.
Segundo as autoridades do Chipre, um carro estacionado perto da residência do árbitro, na cidade de Aradippou, explodiu pelas 03h50 locais (01h50 em Lisboa), provocando apenas danos materiais na vizinhança.
“Aparentemente, o motivo desta bomba está relacionado com a sua [Vassilis Demetruiou] atividade profissional”, comentou aos jornalistas um porta-voz da polícia, acrescentando que as autoridades não receberam antes qualquer queixa de ameaças por parte de Demetruiou.
A associação de árbitros cipriotas lembrou que este foi o quinto atentado com explosivos contra árbitros em menos de um ano, não esclarecendo se vai ser decretada nova greve, como há um mês, quando os árbitros pararam uma semana.
“Estes atos de terror colocam a vida dos árbitros em risco e ferem toda a família do futebol. São atentados cobardes que aterrorizam os árbitros”, referiu a Federação de Futebol do Chipre, em comunicado.
Fonte: Mais Futebol

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Sorteio ou nomeações? Está instalada a "guerra" na arbitragem

Treinadores, presidentes e outros dirigentes parecem estar contra o critério de nomeações e já há quem peça o regresso do sorteio puro e duro dos árbitros.


Os últimos erros de arbitragem instalaram uma “guerra” contra a nomeação dos juízes. Não há jornadas sem queixas, críticas dos intervenientes, erros de análise dos homens do apito que vão tendo influência nos resultados.
Treinadores, presidentes e outros dirigentes parecem estar contra o critério de nomeações e já há quem peça o regresso do sorteio puro e duro dos árbitros.
O jornal OJogo ouviu alguns ex-árbitros que apitaram na era do sorteio, aprovado em 1998 pelos clubes, mas com votos contra do FC Porto, Belenenses, Sporting e Vitória de Guimarães. Vigorou até 2003. Os árbitros reconhecem que as nomeações não estão a ser felizes mas nem todos concordam com o regresso do sorteio.
O jornal colocou duas questões a oito ex-árbitros: A hipótese de fazer regressar o sorteio é boa ou má? Quais as vantagens e desvantagens? Escolhemos o testemunho de três deles: Jorge Coroado, Pedro Henriques e Fortunato Azevedo.

Jorge Coroado: 

Por princípio e natureza, sou avesso ao sorteio. A designação dos árbitros deve primar pelo tributo à competência e à condição de forma. No atual momento não é o que se verifica. As nomeações não correspondem na íntegra ao que está regulamentado e são feitas de uma maneira que antecipadamente se apercebe que não vai resultar. Assim, o sorteio tornaria mais aleatória a nomeação e desresponsabilizaria o nomeador, perdendo este precisamente a mais capacitante condição que se exige num nomeador.

A nomeação direta, se se respeitarem paradigmas ade aferição rigorosos de tributo aos mais capacitados, é o processo ideal; quando são feitas por simpatia ou para ver no que dá... normalmente dá mau resultado.

Fortunato Azevedo:

Fui sempre a favor do sorteio. Hoje sou mais ainda, perante o cenário atual da arbitragem. As coisas chegaram a um estado tal que é fácil perceber quem vai dirigir o jogo de determinado clube. Continua a haver um grande apetite pelo poder e esse é um dos grandes problemas. Venha o sorteio, porque assim pode ser que alguma coisa mude.

Não vejo desvantagens, encontro, sim, muitas vantagens. Não quero fazer juízes de valor mas as nomeações são escandalosas, não estão a proteger o próprio árbitro, como acontece agora com o João Capela, que lá vai apitar o Benfica de novo. Estão a dar uma imagem errada dos árbitros. Por isso um sorteio só traz vantagens.

Pedro Henriques

Sorteio nem é boa nem é má, é péssima. Não faz sentido algum. Faz-se sempre essa analogia: um treinador tem quatro centrais para um jogo, vai sortear quem vai jogar? Não, vai escolher os centrais que são melhores para aquele jogo, em função das caraterísticas do adversário. É exatamente o mesmo na arbitragem.

Desvantagem é o condicionamento: quando se começa a condicionar, de repente, faltam árbitros para os jogos, fica muito limitado. A vantagem surge quando se fala em transparência. As pessoas acham sempre que há um sistema por detrás e, felizmente, não há. Mas esse é uma impressão externa, na prática não é o que se passa. O que temos é de entender que o erro é inevitável.
Fonte: Sapo Desporto

Vídeo: Uso do spray levado ao limite...

Que o spray dos árbitros chegou para ficar, não restam dúvidas: com ele controlou-se até aquela vertigem dos jogadores que defendem ir dando um passinho atrás do outro para aproximar a barreira da bola. 

Este vídeo já tem mais de dois anos mas vale sempre a pena recordar...

Sporting vai homenagear Pedro Proença

Pedro Proença vai ser motivo de homenagem patrocinada pelo presidente do Sporting Bruno de Carvalho, segundo avança o sítio "A Bola".
O evento será na próxima segunda-feira (2 de março) no Grande Real Villa Itália Hotel e Spa em Cascais, a partir das 19.45 horas. Segundo foi possivel apurar, o jantar terá como missão valorizar a carreira do ex-árbitro, que terminou a carreira voluntariamente no inicio deste ano, que consideram: "celebrar a carreira única de um árbitro que honrou a sua profissão, dignificou a sua classe, constituindo-se por si só como uma bandeira de Portugal no estrangeiro".
Fonte: Relvado

Presidente dos árbitros da FIFA abre a porta a vídeo-árbitro

Jim Boyce, presidente do comité de árbitros e vice-presidente da FIFA, manifestou-se esta terça-feira favorável à introdução do recurso a imagens televisivas para auxiliar os árbitros em decisões dentro da grande área. 
  
«Sempre fui a favor da tecnologia de baliza, para perceber se a bola passou ou não a linha de golo, mas não a favor de outras tecnologias no futebol. No entanto comecei a mudar a minha opinião», referiu. 
  
«Se existirem grandes decisões a ser tomadas relativamente a faltas dentro da grande área e a tecnologia está disponível para isso, então acho que chegou a altura em que essa tecnologia deve ser utilizada.» 
  
Refira-se que estas declarações foram prestadas poucos dias antes do encontro anual do International Board, o qual está agendado para sábado, em Belfast, e que tem na agenda a discusão sobre a utilização de imagens televisivas na arbitragem. 
  
Refira-se também que o próprio presidente da FIFA, Sepp Blatter, sugeriu recentemente que devia ser permitido aos treinadores pedir duas interrupções por jogo para o árbitro analisar imagens televisivas em questões dentro da grande área.


Fonte: Mais Futebol

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Artur Soares Dias no FC Porto - Sporting

Artur Soares Dias foi o árbitro nomeado para arbitrar o clássico entre o FC Porto e o Sporting, da 23.ª jornada da I Liga, marcado para domingo, às 19h15, no estádio do Dragão. O anúncio foi feito esta terça-feira pelo C onselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Este será o sétimo clássico da carreira de Artur Soares Dias, o terceiro entre FC Porto e Sporting, com os anteriores igualmente disputados no Estádio do Dragão e ambos com vitórias do FC Porto.


Fonte: Mais Futebol

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

"Se fosse árbitro, gostava de ter tecnologia no futebol"

O treinador José Mourinho criticou hoje o árbitro inglês Martin Atkinson, considerando que este "cometeu quatro erros importantes" no inesperado empate caseiro 1-1 do Chelsea frente ao `aflito" Burnley.

"Os melhores futebolistas do mundo cometem erros. Este árbitro, que é um dos melhores da Europa, também pode enganar-se. No sábado cometeu quatro erros importantes", lamentou José Mourinho, um dia depois do empate caseiro com o Burnley-

A expulsão do ex-benfiquista Matic, uma mão na bola de um defesa adversário na área contrária e duas entradas `à margem da lei" sobre Diego Costa, também na área, são os lances que merecem o desagrado de Mourinho.

"Os árbitros tentam, obviamente, mas não estão a ajuizar bem. Não é apenas a minha opinião, mas o que todos pensam", reforçou.

A igualdade, que lhe custou ver diminuída para cinco pontos a vantagem para o Manchester City, ainda não foi digerida: "Se o árbitro não vê um penálti a três metros de distância, um auxiliar não o falhará se está em frente a um televisor. O que todos queremos é proteger a honestidade dos árbitros."

José Mourinho considera que "a tecnologia pode ajudar" e garante que "se fosse árbitro, gostava de a integrar no futebol".


Fonte: O Jogo

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

"Basta". Árbitros admitem fazer greve

Os árbitros poderão vir a fazer greve, na sequência da recente onda de agressões a juízes, em jogos de futebol distrital e de escalões de formação.

A ameaça, real, foi deixada esta quinta-feira, numa conferência de imprensa em que foi apresentada uma acção conjunta entre a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) e o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), que visa alertar para os actos de violência de que os árbitros têm sido alvo nas últimas épocas.

"As agressões têm-se sucedido frequentemente, perpetradas por adeptos, mas também por jogadores, dirigentes e até forças de segurança dos próprios clubes. Esta ação é para dizermos 'Basta!' ", afirmou Duarte Gomes, árbitro internacional, que marcou presença na iniciativa, ao lado de José Gomes, presidente da APAF, e de José Lima, do IPDJ.

No âmbito da campanha apresentada hoje, nos jogos do próximo fim-de-semana, as equipas de arbitragem das partidas de todos os escalões entrarão em campo usando uma t-shirt branca na qual se poderá ler a palavra "Respeito".

Fonte: Renascença

Golo anulado ao FC Porto: Decisão acertada?

Decisão demorada mas acertada. Jogador do FC Porto em posição de fora-de-jogo influencia a ação de um adversário (guarda-redes).

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Vídeo: David Luiz a "mudar" o spray...

David Luiz adulterou a marcação de um livre no PSG-Chelsea da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões disputada na terça-feira. 

O árbitro marcou o local com espuma e virou costas. David Luiz, com a maior das naturalidades, removeu a espuma e tentou repô-la mais ao lado. 

Não se sabe se foi uma combinação com Ibrahimovic, mas o avançado sueco nem «pestanejou». Mudou a bola de sítio e marcou a falta. 



Fonte: Mais Futebol

Opinião: "Cartão de memória: por um futebol com erros" por João Tiago Figueiredo

Caros leitores escrevo-vos de 2030. 
  
Antes que perguntem, 2030 não é nada de especial. Não existem aquelas coisas que vos falavam antigamente como naves espaciais, teletransporte ou um Portugal sem crise. 
  
É mais ou menos como o vosso 2015, embora admita que haja uma ou outra coisa melhor. Este último filme do Manoel de Oliveira, por exemplo, é, de facto, muito bom. Há até lá uma cena capaz de arrancar um sorriso. Duas, para quem achar graça a silêncios. 
  
O futebol, motivo que me leva a escrever-vos, já atravessou, contudo, melhores dias. Coisas de arbitragem, como é óbvio. 
  
Mas antes, as boas notícias: acabaram as simulações. O intensómetro, inventado no segundo mandato de Luís Figo à frente da FIFA, veio ajudar e de que maneira os árbitros. Em meio segundo têm a resposta nos óculos especiais, depois de o chip (obrigatório no corpo de cada jogador) averiguar se houve, ou não, motivo para a queda. Uma boa ideia, não é? Nem por isso. 
  
Durante muito tempo esta invenção fez o futebol definhar. Ficou parecido com a Fórmula 1, aquele campeonato que existia no vosso tempo. Tanta evolução tecnológica minimizou o erro e tirou-lhe a piada. Toda a gente sabe que o mundo só evolui com erros. 
  
Foi preciso Cabral enganar-se para se chegar ao Brasil ou Jesus aprovar Bruno Cortez para chegar Siqueira. 
  
Sem erros acabou o futebol no café. Muito se escreveu sobre isso, mas, passado este tempo todo, compreendo perfeitamente os motivos. Falar de quê? Um golo? Uma boa jogada? 
  
Acabaram os programas desportivos porque não havia casos para discutir, como é lógico. Os estádios ficaram ainda mais vazios porque não fazia sentido insultar quem acertava sempre. Era só mau gosto e, aos poucos, perdeu a piada.
  
Até que alguém viu a luz. «Eureka!» 
  
As mãos! No meio de tanta mudança permaneceu intacta a lei que diz que um toque com a mão deve ser intencional para ser marcada falta. Ora, era esse lado dúbio que estava a faltar ao futebol. E foi-se por aí. 
  
Acabaram as simulações, começaram os tiros à mão. Deixou de medir-se a intensidade e passaram a medir-se as intenções. Tem sido igualmente giro e a verdade é que faz lembrar muito o futebol de outrora que já parecia esquecido. O do vosso tempo. Futebol ou tiro-à-mão, como também lhe chamam. 
  
Tem dado conversa, confusão. Ninguém se interessa muito por mudar essa regra porque, na verdade, dá jeito. O árbitro voltou a errar e muita gente respirou de alívio. Já se pode falar de futebol outra vez em paz. Ou em guerra. 
  
Bob Paisley, treinador do Liverpool, disse um dia: «Quando estiveres na grande área e não souberes o que fazer à bola, mete-a na baliza e depois discutimos as opções.» 
  
Nós mudamos a máxima: «Se não a meteres na baliza, ao menos vê se acertas numa mão.» 


Fonte: Mais Futebol

Tiago Martins obtém nota zero (Nota Record)


O árbitro Tiago Martins, de 34 anos, não vai esquecer tão cedo o Sp. Braga-Arouca. A partida não correu nada bem ao recém-internacional português, que foi creditado mesmo com a nota zero pelo nosso jornal. Algo inédito nos 189 jogos já disputados na corrente edição da 1.ª Liga (até agora o mínimo tinha sido um ponto).

Reflexo imediato dessa atuação infeliz, Tiago Martins deu um tombo de 13 lugares (do 6.º para o 19.º) no top dos árbitros, que continua a ser liderado pelo já retirado Pedro Proença.

Fonte: Jornal Record

Vídeo: Capitão do Kairat agride árbitro em jogo particular

O jogo particular entre o Kairat Almanty e o Metallurg Zaporozhye, disputado na segunda-feira, durou apenas 36 minutos. Até ao momento em que Mikhail Bakaev, capitão da equipa do Cazaquistão, agrediu um elemento da equipa de arbitragem, já depois de ter sido expulso. 

Curiosamente, tudo começa com uma falta sofrida por Bakaev. O jogador do Kairat não gostou da entrada do adversário e reagiu mal, motivo pelo qual acabou por ver o cartão vermelho direto. 

Visivelmente exaltado, Bakaev teve de ser agarrado pelos colegas para não aproximar-se do árbitro, mas depois, já na linha lateral, acabou por agredir o quarto árbitro. Completamente descontrolado, o jogador avançou depois para o árbitro principal, que ainda teve de fugir, até à intervenção de outros jogadores. Perante tudo isto, foi decretado o final do encontro. 




Fonte: Mais Futebol

Jorge Sousa arbitra Trabzonspor-Nápoles da Liga Europa

O árbitro Jorge Sousa foi nomeado pela UEFA para dirigir na quinta-feira a receção do Trabzonspor ao Nápoles, em jogo da primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa, anunciou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).
Na Turquia, o juiz da Associação de Futebol do Porto vai ter com assistentes Bertino Miranda e Álvaro Mesquita, enquanto Rui Licínio Tavares será o quarto árbitro. Carlos Xistra e Marco Ferreira serão os árbitros de baliza.
O encontro entre o Trabzonspor, equipa em que alinha o internacional português Bosingwa, e o Nápoles está agendado para as 18:00 (horas de Lisboa).
Fonte: Lusa

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Árbitro israelita no Wolfsburgo-Sporting

Alon Yefet é o árbitro designado pela UEFA para apitar o Wolfsburgo-Sporting, desta quinta-feira. O israelita, de 42 anos, volta a encontrar uma equipa portuguesa esta temporada, depois de ter estado no Estoril-Dínamo Moscovo.

É a quarta vez que Yefet é nomeado para um desafio do Sporting. Os leões registam dois empates (Bolton e Basileia) e uma vitória diante do Everton.

O Wolfsburgo-Sporting, a contar para os 16 avos-de-final da Liga Europa, está marcado para quinta-feira, às 18h00.


Fonte: Renascença

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Adidas e UEFA apresentam novos equipamentos para os árbitros

A fabricante de material desportivo adidas e a Uefa apresentaram ontem a indumentária que os "homens de preto" da UEFA utilizarão na Champions League e demais competições da europeias na temporada 2015/2016.


 Fonte: Football Refereeing

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Vídeo: Entrada violentíssima que deu em cartão amarelo...


Sam Nicholson, jogador do Hearts, do segundo escalão escocês, foi vítima de uma entrada muito violenta de Jason Talbot, capitão de equipa do Livingston.

O árbitro do encontro estava a poucos metros do lance e mostrou apenas cartão amarelo.

Nicholson ficou mal tratado e teve de levar pontos na cara. Poderíamos perguntar o que Talbot teria de fazer mais para merecer a expulsão?... Mas também podemos explicar que o angulo de visão do árbitro deste lance talvez nãoseja o melhor para que este pudesse tomar a decisão acertada!!

Veja o vídeo:

José Gomes: «Perdeu-se o pudor»

O presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, José Fontelas Gomes, confirmou esta segunda-feira dois casos de agressões registados este fim de semana. 

«Infelizmente estão a ser cada vez mais recorrentes estas lamentáveis notícias, sendo também de lamentar que ainda haja no desporto pessoas com este tipo de atuação. Com o aproximar do fim dos campeonatos, estas situações têm sido muito mais frequentes e cada vez mais graves, porque as pessoas parecem ter perdido o pudor», afirmou o dirigente à agência Lusa. 

Um dos casos verificou-se durante um encontro da 16.ª ronda da Divisão de Honra do distrital de Lisboa em futsal, entre Centro Ribamar e Lisboa FC. O jogo foi suspenso por agressão do guarda-redes da equipa da capital ao árbitro. 

José Fontelas Gomes denunciou ainda uma outra agressão num jogo entre União de Lamas e Águeda, a contar para a 1.ª Divisão distrital de Aveiro, interrompido aos 22 minutos por agressão de um espetador a um dos árbitros assistentes.


Fonte: Mais Futebol

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Agressão ao árbitro interrompe jogo

Não chegou ao fim o jogo entre o Oliveira do Douro e a União Desportiva Vilamaiorense, tendo sido interrompido já em tempo de descontos, devido a agressão ao árbitro António Rocha por um elemento da assistência.

O jogo contava para a 16.ª jornada da I Divisão Distrital da AF Viseu e, na altura do incidente, a equipa do concelho de Cinfães vencia por 2-1. Na origem da agressão terá estado uma grande penalidade assinalada contra a formação local, decisão que não foi recebida de bom grado pelo agressor.

O árbitro mandou chamar a GNR, que se deslocou ao local para proteger o árbitro e os seus auxiliares, ficando à espera da chegada de uma ambulância para transportar o juiz de campo ao Centro de Saúde de Cinfães.


Fonte: O Jogo

Boavista: confusão ao intervalo entre árbitro e adeptos


Foi atribulada a descida de Marco Ferreira, árbitro do Boavista-Rio Ave, aos balneários, no intervalo do jogo. 
  
Um grupo de adeptos concentrou-se para insultar o juiz madeirense, que aos dez minutos assinalo uma grande penalidade e deixou a equipa da casa a jogar com dez. No calor do momento, houve mesmo quem tentasse entrar no relvado, obrigando à atuação dos assistentes de recinto desportivo e, mais tarde, da polícia. 
  
Aliás, alguns agentes auxiliaram mesmo Marco Ferreira no caminho até aos balneários, o que aumentou ainda mais o volume dos protestos vindos da bancada.


Fonte: Mais Futebol

domingo, 8 de fevereiro de 2015

AC Milan indignado com linha de fora de jogo... estranha


O AC Milan utilizou as redes sociais para se atirar à arbitragem do clássico de sábado diante da Juventus, especialmente por causa do golo de Carlos Tévez, o primeiro da Vecchia Signora numa vitória por 3-1.

Além da crítica ao árbitro, por ter validado um golo aparentemente irregular, os milaneses também questionam a linha colocada pela empresa responsável pela transmissão do jogo, considerando que esta foi mal colocada.

Que acham desta linha?...

Fonte: Record

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Ação de formação para árbitros estagiários da categoria C3N2


O Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol promoveu este sábado, em Tomar, mais uma ação de atualização e avaliação para árbitros estagiários da categoria C3N2. 
Esta iniciativa, a segunda deste género nesta temporada, contou com a presença de 60 árbitros estagiários e incluiu testes físicos de manhã e um teste escrito após o almoço. 
Seguiu-se, depois, uma reflexão sobre vários lances de jogo, conduzida pela Secção de Classificações do CA da FPF, e uma intervenção da Secção Não-Profissional, na qual foram dissecadas diferentes práticas da arbitragem, com o vogal Jorge Nunes a deixar conselhos aos jovens juízes e a explicar os critérios de nomeação que têm sido aplicados.
No encerramento desta ação de formação, o diretor do Curso e membro do CA da FPF Paulo Costa felicitou os participantes pela disponibilidade, a atitude e o empenho demonstrados.
A próxima ação de formação está agendada para o próximo fim-de-semana (14 de fevereiro), em Espinho, e destina-se a árbitros e observadores de futsal.
Fonte: FPF

Árbitros e assistentes de topo reuniram em Tomar

A segunda Ação Regulamentar de Atualização e Avaliação para árbitros e árbitros assistentes C1 realizou-se em Tomar, no passado dia 4 de Fevereiro. No período da manhã os árbitros realizaram o teste escrito e assistiram a uma intervenção da Secção de Classificações.

O período da tarde iniciou-se com uma sessão sobre Match fixing, a que se seguiu uma sessão técnica e a realização das provas físicas.

No mesmo dia e local, decorreu uma ação em Arbitragem para Jornalistas e Comentadores desportivos. Leia aqui mais informações sobre esta ação.

Fonte: FPF

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Vídeo: Ninguém dá ordens a Zlatan: nem sequer o árbitro!

Ponto prévio: se alguém quer falar com Zlatan, esse alguém desloca-se até Zlatan. Zlatan não tem de se mexer para ouvir ninguém falar. 

O árbitro do último PSG-Lille descobriu-o da pior forma, num episódio que se espalhou pelas redes sociais.  

A determinada altura, o árbitro chamou três, quatro vezes Ibrahimovic para lhe deixar um aviso. O sueco olhou para juiz e nem se mexeu. De mãos na cintura, perguntou apenas com a cabeça: «O que queres?». 

Queria falar, claro, mas acabou por ser ele que caminhou até Ibrahimovic. Ninguém dá ordens a Zlatan: nem sequer um árbitro!!!....


Veja o vídeo:



Fonte: Mais Futebol

CAN: árbitro do Tunísia-Guiné Equatorial suspenso seis meses

O árbitro Rajindraparsad Seechurn, das Ilhas Maurícias, foi suspenso por seis meses, depois da polémica arbitragem no Guiné Equatorial-Tunísia, dos quartos de final da Taça das Nações Africanas (CAN).

A decisão foi tomada pela comissão disciplinar da Confederação Africana de Futebol (CAF), depois de uma exibição de Seechrun muito contestada pelos tunisinos, em especial devido a uma duvidosa grande penalidade, já nos descontos, que levou o encontro para prolongamento.

Além da pena aplicada ao juiz, a CAF puniu ainda a Tunísia com uma multa de 50.000 dólares (cerca de 43,5 mil euros) pelo "comportamento insolente, agressivo e inaceitável dos jogadores e dos responsáveis" da equipa.

A federação tunisina terá ainda de pagar os estragos causados no Estádio de Bata e terá de apresentar, até à meia-noite de quinta-feira, uma carta formal com um pedido de desculpas ou provar as acusações de que teria havido um complô para colocar o país organizador nas meias-finais.

Caso não apresenta esta carta, a Tunísia incorre em mais sanções, que podem levar ao afastamento da equipa da CAN de 2017.

A federação da Guinés Equatorial foi também multada em 5.000 dólares (cerca de 4,3 mil euros) devido a uma invasão de campo.


Fonte: O Jogo

«Espero uma excelente arbitragem no dérbi», diz Fontelas Gomes

José Fontelas Gomes, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, espera uma «boa arbitragem» de Jorge Sousa, no próximo domingo, em Alvalade.
«Espero uma excelente arbitragem, tal como fez no último clássico entre FC Porto e Benfica», explicou Fontelas Gomes, que falava à margem de um encontro realizado em Tomar entre árbitros e jornalistas.
Fontelas Gomes disse ainda que Jorge Sousa «é um dos nossos melhores árbitros, reconhecido internacionalmente, por isso esperamos que tudo corra dentro da normalidade num jogo de futebol, havendo, tal como deve sempre acontecer também, a contribuição por parte das duas equipas».

Fonte: Zero Zero

Sporting-Benfica: Jorge Sousa é o árbitro do dérbi

Jorge Sousa é o árbitro designado pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol para o Sporting- Benfica, jogo grande da 20.ª jornada da Liga. 

Este é o terceiro clássico dirigido pelo «juiz» portuense esta época, depois de já ter marcado presença no FC Porto 1-3 Sporting (Taça de Portugal) e no FC Porto 0-2 Benfica, para o campeonato. 

Esta é, de resto, a quarta vez que Jorge Sousa dirige o dérbi entre os rivais de Lisboa. Nas três ocasiões anteriores, o Benfica conseguiu um saldo ligeiramente favorável: venceram dois jogos e perderam um.A primeira vez foi o jogo da 12.ª jornada do campeonato de 2006/07, com vitória do Benfica por 2-0 no Estádio de Alvalade. 

Na temporada seguinte, o juiz portuense voltou a dirigir o dérbi, em jogo das meias-finais da Taça de Portugal que o Sporting venceu por 5-3. O jogo mais recente aconteceu nas meias-finais da Taça da Liga de 2010/2011 e o Benfica voltou a vencer, agora por 2-1.


Fonte: Mais Futebol

Olegário Benquerença reprovou nos testes escritos

O leiriense Olegário Benquerença reprovou nos testes escritos da segunda avaliação regulamentar de atualização e avaliação da época do Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), confirmou à Lusa uma fonte do órgão federativo.

O ‘chumbo’ do árbitro internacional, que esteve no Mundial2010 e cumpre o último ano de atividade, noticiado pela Antena 1, vai implicar a sua substituição no jogo entre Vitória de Guimarães e Belenenses, no domingo, na 20.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, algo lamentado pelo presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF).
“É uma situação que acontece, todos temos dias menos bons e momentos de desconcentração. Naturalmente que, no seu último ano e no seu último teste, esta é uma marca que o Olegário não gostaria de ter. Agora, há que repetir o teste e, dentro de 45 dias, voltar ao ativo, voltar a fazer o que se gosta”, referiu José Fontelas Gomes, em declarações à agência Lusa.
Olegário Benquerença, de 45 anos e internacional desde 2001, já arbitrou esta temporada quatro jogos da Liga dos Campeões, um dos quais dos ‘play-offs’, e dois de qualificação para o Campeonato da Europa de 2016. No Mundial2010, o leiriense dirigiu dois jogos da fase de grupos, casos do Japão-Camarões e do Nigéria-Coreia do Sul, e o Uruguai-Gana, dos quartos de final.
Ainda de acordo com a Antena 1, além de Benquerença, também o árbitro assistente Tiago Costa reprovou neste teste.
Fonte: Diário Digital com Lusa

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

UEFA: Conduzir os árbitros ao topo

Coragem para assumir a responsabilidade pelas decisões tomadas... preparação assídua... confiança em sim próprio... capacidade de aprender com os erros... e uma força imensa para lidar com momentos complicados. Eis apenas algumas das qualidades exigidas nos dias de hoje aos árbitros e árbitras de topo.
Os "juízes" recém-chegados à lista de internacionais da FIFA receberam, no 24º Curso Introdutório da UEFA para Árbitros Internacionais, em Atenas, uma visão profunda daquilo que é preciso para chegar ao topo da arbitragem por parte de alguém que sabe bem o que é lá estar: Pierluigi Collina, responsável pela arbitragem da UEFA.
Collina, que entre outros jogos grandiosos dirigiu a final do Campeonato do Mundo de 2002, a final de 1999 da UEFA Champions League ou a final da Taça UEFA de 2004 durante uma carreira como árbitro reconhecida por todos, ofereceu a sua vasta experiência aos 53 novos árbitros e árbitras da Europa durante uma apaixonante apresentação com cerca de uma hora de duração.
"O trabalho de um árbitro é extremamente difícil", salientou. "Vocês têm menos de meio segundo para tomar uma decisão, frequentemente sob enorme pressão e debaixo de forte escrutínio por parte de adeptos e comunicação social. As vossas decisões podem afectar não só os resultados desportivos como ter igualmente um impacto económico. Um árbitro tem, pois, de saber lidar com essa responsabilidade. Têm de se conhecer a vós mesmos, saber quais as vossas forças e quais as vossas fraquezas. Têm de procurar sempre melhorar até à vossa derradeira nomeação como árbitros e estar sempre abertos à mudança."
Collina destacou a importância de um árbitro de topo estar bem preparado em termos físicos – "hoje, os árbitros têm de ser autênticos atletas", referiu – como no que diz respeito ao conhecimento das equipas que vai arbitrar. "Se estudarem as tácticas habituais das equipas e as características individuais dos seus jogadores poderão estar um passo à frente na tomada de decisões em campo. Não é apenas a vontade de vencer que faz a diferença, é a vontade de estar bem preparado. Se não estiverem bem preparados, então irão falhar."
A condição física é um elemento determinante para qualquer árbitro de topo, tendo em conta a alta velocidade e a elevada pressão do futebol actual. "Os jogadores cometem mais erros na parte final dos jogos devido ao cansaço", lembrou Collina, "e o mesmo é verdade para os árbitros. Têm de ter a capacidade de permanecer lúcidos mesmo até aos derradeiros instantes de um encontro, pois nunca se sabe o que vai acontecer", acrescentou, antes de relembrar a sua própria experiência como árbitro da inesquecível final de 1999 da UEFA Champions League, quando o Manchester United FC bateu o FC Bayern München em Barcelona com dois golos nos momentos finais da partida.
Collina pediu aos árbitros para protegerem tanto o jogo como os jogadores – e para se protegerem a eles mesmos. "Não queremos ver as carreiras dos jogadores colocadas em risco por uma entrada mais arriscada por parte de um adversário, nem podemos aceitar ajuntamentos de jogadores à volta de um árbitro", sublinhou. Outro aspecto essencial passa por conhecer na perfeição as Leis do Jogo. "Em campo, o árbitro é o indivíduo responsável por garantir que um jogo é disputado de acordo com as regras", explicou Collina, "pelo que vocês devem conhecer as regras e as mais recentes actualizações sobre como elas devem ser interpretadas, de forma a tomarem decisões correctas."
E como deve reagir um árbitro depois de cometer um erro? "Têm de olhar em frente e esquecer esse erro durante o jogo", aconselhou Collina. "Esse momento já passou. Depois, no final do encontro, tentem aprender com esse erro, perceber por que razão ele ocorreu e tentar transformar esse momento negativo numa experiência positiva, que os tornará mais fortes."
O elemento crucial do trabalho de equipa, motivação mútua e entreajuda entre os árbitros e os seus assistentes é igualmente uma componente vital para um bom desempenho, sendo os novos árbitros internacionais da UEFA convidados a ter sempre presente na sua cabeça que um árbitro nunca está em campo sozinho. O talento, afirmou Collina, pode ganhar jogos, mas o trabalho de equipa é determinante para ganhar campeonatos.
"Têm de ter autoconfiança e acreditar em vós mesmos", concluiu Collina no final da sua apresentação aos novos árbitros europeus. "Parabéns por terem chegado até aqui. Vocês têm o sonho de se tornarem em árbitros de topo e a UEFA está aqui para vos ajudar a concretizar esse sonho."

Fonte: UEFA